ERIKA TAMURA: Encontro com Paulo Sérgio de Almeida, presidente do Conselho Nacional de Imigração do Brasil

 

Semana passada estiveram no Japão, Paulo Sérgio de Almeida, presidente do Conselho Nacional de Imigração do Brasil e Diretor do Departamento de Fiscalização do Trabalho deste Ministério, juntamente com Célia Romeiro, assessora do Ministro do Trabalho Manoel Dias. E o Consulado Brasileiro de Tóquio, através de seu cônsul, Marco Farani, propiciou o encontro de Paulo Sérgio de Almeida e Célia Romeiro com os principais representantes da comunidade brasileira no Japão.

Vários assuntos foram abordados, dando ênfase a um tema em que sempre faço questão de citar na maioria dos meus artigos: A educação das crianças e jovens brasileiras no Japão. Foi abordado também temas relacionados ao trabalhador brasileiro e as suas necessidades tanto no Japão como no Brasil, englobando o acordo previdenciário vigente em ambos os países.

Recebi vários pedidos de leitores perguntando sobre a regularização do visto japonês para os brasileiros que receberam ajuda do governo japonês para retornarem ao Brasil, a famosa “ajuda dos 300 mil yens”. A verdade é que o Brasil não possui ainda um posicionamento do governo japonês para a liberação do visto, mas Paulo Sérgio confirmou que conversou sobre o assunto no encontro com representantes da imigração do governo japonês. Então, se já houve uma pauta para discussão de tal assunto é sinal de que há uma certa boa vontade no posicionamento para tal assunto. Na época em que essa ajuda estava em vigor, escrevi vários artigos alertando a todos sobre essa attitude do governo japonês que para mim estava maquiada com o nome de “ajuda” mas que na verdade era uma armadilha, na época fui muito criticada por ter escrito isso, mas enfim, agora podemos ver o resultado da “ajuda”, então, acho que tudo isso tem que ser negociado com uma conduta muito ponderadamente, cercada de cuidados que vão além do âmbito lega, pois na minha opinião não há muito o que se discutir.

O mais importante é que todas as reivindicações, fatos e constatações foram escutadas por Paulo Sérgio, observando que a assessora Célia anotou todas as pautas discutidas durante a reunião.

É claro que sempre falta tempo para se falar sobre determinado assunto, mas o que achei de maior valia foi a iniciativa do cônsul Marco Farani em propôr a reunião com qualidade em seu conteúdo, como disse em um artigo anterior, nunca vi um consulado tanto participativo dentro da comunidade brasileira no Japão, como esse de agora. Um consulado dinâmico que se coloca à disposição do bem estar dos brasileiros de sua jurisdição. E foi muito importante que um presidente do Conselho Nacional de Imigração estivesse ali presente para interagir e se integrar de tudo o que acontece realmente dentro da comunidade. E o mais interessante é que não existe pessoa mais propícia do que o Sr. Paulo Sérgio para o desempenho de tal tarefa, afinal, uma pessoa que está por dentro de assuntos imigratórios e relacionados ao ministerrio do Trabalho, consolidando todo o trabalhador brasileiro no exterior. Tudo isso nos dá uma sensação de segurança, porque, como disse na reunião, estou há 15 anos fora do Brasil, e se um dia decider retornar, sinto falta de um respaldo estrutural, e sabendo que o próprio governo possui representantes preocupados com os trabalhadores brasileiros no exterior, funciona como uma mão estendida nas horas em que bate um sentimento de desamparo social.

O Brasil, está passando por mudanças, e nós que vivemos no exterior temos que nos atentar a essas mudanças sem perder o foco inicial de nossas vindas para cá, senão todo o esforço de anos poderá ser jogado fora. Exatamente por isso, acredito na importância da consciência política, afinal criticar é muito fácil, temos que saber quem criticar e o motivo da crítica. Acho precipitado generalizar, afinal quando se vê o empenho do Cônsul Marco Farani, de Paulo Sérgio de Almeida e até mesmo do ministro do trabalho, Manoel Dias, que por razões óbvias não veio ao Japão, mas enviou uma assessora para estar a par dos problemas que afligem a comunidade, acho que tem que ter uma pausa para refletir e analisar o foco real de um protesto e uma manifestação, ainda mais morando no exterior.

 

 

 

 

Erika Tamura

nasceu em Araçatuba e há 15 anos mora no Japão, onde trabalha com desenvolvimento de criação. E-mail: erikasumida@hotmail.com

 

 

 

 

 

 

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

MUNDO VIRTUAL: No mundo virtual, sabem o que eu f... Quando eu abro uma página no meu navegador de internet ou inicio a sessão de um aplicativo, sou  avisado de que ao prosseguir, alguns dados pessoais m...
TÊNIS DE MESA: Eduardo Tomoike, nasce um fenômeno ...   Os grandes campeões são aqueles atletas que marcam a história de suas respectivas modalidades. “Hoyama”, recordista de medalhas em Pan-am...
HAICAI BRASILEIRO   A partir desta semana – e semana sim, semana não – o Jornal Nippak passa a publicar a coluna Haicai Brasileiro, um espaço dedicado a haicaísta...
CANTO DO BACURI > Mari Satake: A “bisa”     Às vezes, conhecemos pessoas com quem não de­senvolvemos relações e, no entanto, são pessoas que de alguma forma nos mar­cam. ...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *