ERIKA TAMURA: Fortalecimento da relação Brasil e Japão

Eu posso estar enganada, mas tenho observado que o mundo está girando rápido demais, e nessas voltas, percebi que o momento econômico do Japão é perfeito para uma aproximação com o Brasil. Essa relação do Brasil com o Japão, não é novidade, existe uma aproximação muito grande, apesar da distância geográfica, e não é tão recente assim, temos mais de 120 anos de intensas movimentações lado a lado, mas enxergo este momento atual como um dos mais propícios, economicamente falando.

Depois que o Trump assumiu como presidente dos Estados Unidos, a economia japonesa tem sofrido grandes oscilações financeiras, e a consequência disso é uma insegurança no setor de investimentos, e isso afeta diretamente cidadãos comuns. Portanto, esse é o momento do Brasil crescer perante o Japão, oferecendo parcerias de negócios, pois o Brasil possui grandes riquezas que interessam aos empresários japoneses.

Está na hora do mercado brasileiro atentar-se ao momento atual, e agarrar as oportunidades que estão sendo lançadas, basta pensar nos setores onde o Japão tem uma maior carência, como por exemplo, matéria prima. O Brasil é riquíssimo em matéria prima e o Japão é o campeão da tecnologia e dos produtos manufaturados, é só pensar no que cada um quer e no que pode oferecer. Já pararam para pensar sobre o assunto?

Já passou da hora dos brasileiros perderem a síndrome de vira lata e perceberem que possuem potencial para entrarem numa parceria de negócios com vantagens bilaterais. Temos que aprender a valorizar o que é nosso. E a cotação do Brasil pode subir muito no mercado mundial e tornar-se altamente competitivo a partir do momento que enxergarmos que os produtos brasileiros são valorizados no mercado internacional.

E olha só, o Japão tem buscado fazer parcerias econômicas com vários países, e é uma busca incessante e cansativa para o governo japonês. Eu que sou totalmente leiga no assunto, tenho notado que aqui na Ásia, existe uma certa resistência dos países asiáticos em firmar uma parceria com o Japão. O passado japonês ainda se faz presente na memória de alguns países, como por exemplo China e Coréia.

E em todo o tipo de negociação tem que ter uma troca de interesses, não dá para agir de forma egoísta e achar que malandramente pode-se levar vantagem nas negociatas.

Um exemplo de negociação vigente entre Brasil e Japão, é a liberação de visto japonês para a quarta geração de descendentes japoneses, os yonseis. Não adianta o governo brasileiro bater na porta do governo japonês e falar: ” Queremos o visto para yonseis”. É claro que ninguém dará ouvidos, e ainda viram as costas e saem andando. Claro! O governo brasileiro tem que pedir o visto sim, mas oferecer algo em troca também, aí sim estará abrindo uma porta de negociação. Queremos o visto para yonseis, mas em contrapartida, oferecemos mão de obra qualificada, com conhecimento do idioma e ainda nos comprometemos a pagar o nenkin hoken do país (seguro de previdência do governo). Pronto! aí sim o governo japonês  irá parar para nos ouvir e pensar que nós temos algo para oferecer que interessam para eles.

Em outra áreas também é assim que funciona. Pedimos algo que nos interessa e oferecemos algo que temos e sabemos que interessa para o outro lado.

A troca e a integração de culturas é muito válida nesse contexto todo. O Japão é um país com uma cultura milenar, e o Brasil, apesar de ser bem mais novo que o Japão, possui uma história ímpar. E essa troca é muito legal e enriquecedora. Sorte da pessoa que conseguir absorver o que os dois países podem oferecer de bom. E aquele que conseguir transitar nos dois mundos, será o que terá maior poder de adaptação, o que é um passo a frente no desenvolvimento humano.

Em maio, receberemos aqui no Japão, uma delegação de arquitetos e engenheiros, eles vêm para um turismo arquitetônico. O Japão é muito rico em arquitetura, e serve como uma grande exposição de obras de arte.

No que diz respeito a conhecimento sobre arquitetura, o Brasil está muito bem representado aqui no Japão, pois temos o nosso embaixador, André Corrêa do Lago, que é um grande conhecedor e diria que, um especialista na área, onde domina o assunto com uma maestria impressionante. E temos também o Cônsul do Brasil em Nagoia, Arnaldo Caiche D’Oliveira, um grande amigo meu, que tem me ensinado muito sobre cultura e arte. Tento absorver todas as informações que recebo, e tornei-me uma admiradora de Tóquio por conta disso.

O Cônsul Arnaldo deu sua opinião sobre o Japão, do ponto de vista arquitetônico: ” O Japão é um país ideal para arquitetos brasileiros conhecerem novas tendências construtivas e materiais. Tóquio é um universo à parte, um museu vivo da boa arquitetura. Kyoto tem pontos belíssimos a conhecer e Hiroshima creio que é o melhor exemplo de recuperação bem realizada. É uma cidade importante, linda, é agradável. Tem o edifício recuperado pelo arquiteto Hiroshi Sambuichi, o Orizuru Tower, sobre o Parque da Paz (obra fundamental da arquitetura moderna japonesa, do Kenzo Tange). Sambuichi diz que trabalha com os elementos naturais sobre o terreno: água, vento, Sol, maré”.

Já que estamos falando de arquitetura, temos que falar sobre a Japan House que será inaugurada em maio em São Paulo, na minha opinião, uma obra prima de Kengo Kuma, que o Brasil tem o privilégio de receber. Praticamente um presente para a cidade. Kengo Kuma é o arquiteto do estádio olímpico de Tóquio. Incrível! Pelo menos na parte de arquitetura, os laços entre Brasil e Japão, estão se aprofundando e criando raízes. O que é um ótimo sinal.

Isso tudo pode ser o grande alerta para que os empresários abram os olhos e percebam o quão importante é o relacionamento nipo brasileiro. Pois ao contrário de outros países, não será uma relação unilateral.

Eu, mais do que ninguém torço para que esse caminho entre Brasil e Japão se concretize para sempre e se fortaleça cada vez mais. Lembrando que, esse é momento ideal para os negócios entre os dois países, não podemos perder o bonde.

ERIKA TAMURA

ERIKA TAMURA

nasceu em Araçatuba e há 18 anos mora no Japão, onde trabalha no Serviço de assistência aos brasileiros no Japão da Ong chamada Sabja

E-mail: erikasumida@hotmail.com
ERIKA TAMURA

Últimos posts por ERIKA TAMURA (exibir todos)

    photo1

    Related Post

    TURISMO: Sinergia estratégica entre hotelaria, gov... *Bruno Omori   A ABIH-SP (Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Estado de SP) realizou a 5ª edição do Sehga – Sinergia Estratégic...
    ERIKA TAMURA: A maior exposição de carros na Ásia...   A maior exposição de carros na Ásia, está acontecendo essa semana no Japão, o famoso Tokyo Motor Show, tem atraído toda a sua atenção para a...
    CANTO DO BACURI > Mari Satake: E ele se foi E ele se foi Era um homem elegante. De poucas palavras. Viveu no Brasil por uma temporada de cinco anos. Ou quase, ou uns poucos dias a mais. Dep...
    CANTO DO BACURI > Francisco Handa: As sombras do m...   Certa vez li de Carl Gustav Jung, aquele da psicologia analítica, de que para entender a mente humana e seus dilemas, ao invés de recorr...

    Faça seu comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *