ERIKA TAMURA: JAPAN HOUSE

Como estou no Brasil, não pude deixar de conhecer a Japan House em São Paulo.

A belíssima obra encontra-se na Avenida Paulista, bem no começo e não poderia estar melhor localizada, a representatividade cultural do Japão, na avenida símbolo da cidade de São Paulo.

O embaixador do Brasil em Tóquio, André Corrêa do Lago, é um grande conhecedor de arquitetura, e soube através dele sobre o projeto (na época ainda era somente um projeto) da Japan House. O arquiteto responsável pela obra é nada menos que Kengo Kuma, super famoso e super conceituado, tem como a madeira como um dos seus principais elementos de criação. Kuma é também responsável pelo projeto do estádio olímpico de 2020 em Tóquio, que também fará uso de muita madeira.

Visitei a Japan House, e logo na entrada dá para sentir o clima de Kengo Kuma, pois as madeiras ali disponibilizadas parecem flutuar, realmente uma obra prima. Lembrando que toda a madeira utilizada na Japan House foi trazida do Japão, bem como a mão de obra utilizada para montar o projeto. Tudo meticulosamente projetado, pensado e executado, como tudo no Japão.

Assim que adentrei o pavilhão da Japan House, me senti no Japão. O clima, a decoração, os objetos, enfim, parece que atravessei uma porta em São Paulo que transportava diretamente ao Japão. E acho que essa é a intenção do governo japonês quando decidiu construir a Japan House no Brasil, diga-se de passagem, a única no mundo.

Eu quis me atentar a cada detalhe, desde a roupa de Ken dô exposta ali, até ao balcão de venda de saquês. Tudo isso é muito nipônico.

Andando pelas estantes, me deparei com um acervo de livros maravilhosos, pedi uma bebida no café, sentei no sofá, peguei um livro de arquitetura e devorei-o, nem vi o tempo passar…

Sentada nesse sofá, de frente ao jardim de inverno com uma obra de arte feita de bambu, olhei para as prateleiras dos livros e novamente me encantei com os variados títulos que vi ali. Todos estão a disposição para a leitura no local, mas não para vendas. Anotei todos os livros mais interessantes e vou procurar no Japão, assim que chegar lá. São livros sobre a história do Japão, mas os que me interessam são sobra arte, tem até um livro em japonês sobre as obras do Oscar Oiwa, o artista plástico brasileiro que eu adoro, e que antes de eu embarcar para o Brasil, tive o privilégio de encontrar no Japão.

Dos arquitetos japoneses, o meu preferido é Tadao Ando. Adoro as suas obras modernas, apesar de achar que o tradicional do Japão é encantador, mas o moderno me fascina.

Fui para o segundo andar do pavilhão da Japan House, preciso ressaltar que os detalhes minimalistas deixaram o ambiente moderno e chique. No segundo andar, a escultura de bambus entrelaçados é o chamariz de toda a atenção. Ao lado tem um vídeo explicativo com todo o processo de confecção da obra.

E a iluminação dos ambientes? Se tem um assunto que os japoneses dominam com perfeição é a iluminação. Até o mais amador dos fotógrafos é capaz de fazer a melhor foto ali.

O que eu quero dizer com tudo isso? Quero dizer apenas uma palavra: Obrigada! Obrigada Japão, por compartilhar com o Brasil um pouco da sua espetacular cultura.

E acho que os brasileiros estão começando a dar valor e descobrir ainda mais sobre a cultura nipônica, afinal são 4 mil visitantes por dia na média. Espetacular!

O fato da Japan House em São Paulo ser a primeira a ser construída, e por enquanto a única, faz do relacionamento Brasil e Japão ser cada vez mais fortalecido.

Acredito em maktub, onde tudo está escrito e nada é por acaso, não nasci descendentes de japoneses a toa, existe um propósito nisso, e se uma das minhas missões for aliar a cultura japonesa com a brasileira, pois bem, aqui estou! A Japan House é um daqueles lugares fantásticos, onde eu sinto minhas raízes japonesas tão familiarizadas e me arrepia sentir isso em terras brasileiras, mais precisamente em São Paulo. N˜åo consigo fazer uma definição que expresse o que senti, senão dizer, felicidade. Foi isso que senti e me sinto muito feliz!

A Japan House acabou de ser inaugurada, mas senti que ela sempre esteve ali, é engraçado isso, me senti tão em casa, que parece que ela está ali há anos.

Quem pode explicar?

 

 

ERIKA TAMURA

ERIKA TAMURA

nasceu em Araçatuba e há 18 anos mora no Japão, onde trabalha no Serviço de assistência aos brasileiros no Japão da Ong chamada Sabja

E-mail: erikasumida@hotmail.com
ERIKA TAMURA

Últimos posts por ERIKA TAMURA (exibir todos)

     

    Related Post

    AKIRA SAITO: UTILIZANDO OS PONTOS CONTRA “Ninguém chega a seu objetivo passando apenas por bons momentos”   Continuando com o assunto da semana anterior, muitas pessoas iniciam o ano...
    SILVIO SANO > NIPÔNICA: NOBUHIRO, O GRANDE CAMPEÃO...   Terminado o XXI Concurso de Karaokê do Estado de São Paulo, no ótimo Teatro Paulo Machado de Carvalho, em São Caetano do Sul, e tendo fe...
    ERIKA TAMURA: Educação das crianças brasileiras no...   O movimento dekassegui começou há mais de vinte anos atrás, e até hoje ainda conta com um problema deficitário, no quesito educação. As c...
    SILVIO SANO: Xô, alienação, etc., e tal!   Uma das minhas preocupações com a grande massa da população brasileira tem sido sempre por sua alienação explícita em relação às questões so...

    Faça seu comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *