ERIKA TAMURA: Japão e o juros bancário negativo

Será que alguém, entendedor de economia ou não, já ouviu falar de um caso como esse que está acontecendo no Japão?

Entrou em vigor essa semana, o novo sistema adotado pelo Banco Central japonês, o juros negativo.

O plano econômico é arrojado, arriscado e fadada ao fracasso na opinião de algumas pessoas.

O banco central surpreendeu os investidores com essa decisão, onde irá cobrar 0,1% dos bancos, para manter reservas adicionais junto à autoridade monetária. Essa medida visa incentivar os bancos, empresas e poupadores a gastar.

O governo japonês faz o possível, e agora o impossível também para tentar estimular o crescimento enquanto os mercados globais mostram fraqueza.

Esses últimos dias, os noticiários japoneses davam ênfase a queda da bolsa de valores de Tóquio, mas entre ontem e hoje, ttudo isso já foi restabelecido, demonstrando que o Japão possui uma credibilidade financeiro diante dos investidores quase inabalável.

Eu não sou nenhuma especialista em economia, muito pelo contrário, sou totalmente leiga no assunto. Mas mesmo leiga, sei que juros bancários negativos não são normais.

O que isso pode afetar na população? Para quem tem dinheiro aplicado em poupança, o que vai mudar é que ao invés do dinheiro render, acontecerá o contrário, o cliente terá que pagar. Está certo que o valor pode ser irrisório diante tudo isso, mas para os bancos é um valor significativo.

No final de tudo isso, as consequências que tal medida poderá acarretar, poderá estar relacionado com a alta dos juros de financiamentos bancários e inflação. O que não é ruim para a economia japonesa.

E é exatamente isso que o governo japonês quer. Haverá sim uma facilitação no crédito do financiamento bancário, mas a taxa de juros poderá ser variável. E a inflação, até agora o Japão tem trabalhado com uma economia estagnada e ás vezes com a incidência de deflação. Já vi várias entrevistas do primeiro ministro japonês, Shinzo Abe, falando da dificuldade dos economistas de seu governo em lidar com uma realidade econômica de deflação. Se para o Japão, a economia estagnada já preocupava, a deflação preocupa muito mais.

A intenção real do governo japonês é fazer com que o capital interno gire, e para isso age de modo a incentivar o consumo financeiro.

Eu como cidadã, vivendo no Japão, me surpreendo com alguns fatos. Venho de um país com histórico inflacionário exorbitante, é difícil para minha cabeça se adaptar com o fato de que aqui no Japão a gasolina abaixa de preço, que quando compro um carro zero, recebo cash back, que quando saio às compras, tudo está em promoção de verdade. Para o consumidor é uma maravilha, ou parece ser uma maravilha. Não entendo de economia, mas sei perfeitamente que pelo menos quando tem inflação, eu tenho dinheiro no bolso, e nessa realidade de deflação, não sobra dinheiro. Não é estranho?

Para quem entende do assunto, não é estranho, explicam que a deflação existe exatamente por causa da baixa circulação monetária vigente, ou seja, o Japão necessita de consumidores e empreendedores.

A falta de empreendedorismo japonês, na minha opinião, está culturalmente relacionado, o japonês é mais comedido, cauteloso e precavido. Tem medo de arriscar, não troca de emprego, não gosta de situações onde possa ter instabilidade financeira. E isso pode ser um dos motivos que tenha levado o Banco Central japonês a adotar essa medida de juros negativos. Pois assim, o banco central acreditava que quem tem o dinheiro investido em poupança, se veria obrigado a procurar outro investimento, como a compra de um imóvel, ou qualquer outro tipo de compra, mas a verdade é que durante uma pesquisa feita pela mídia, foi constatado que a maioria dos clientes com investimento em poupança, são pessoas idosas, e que não querem resgatar o dinheiro da poupança para relocar em qualquer outro tipo de investimento, alegando até que preferem pagar, desde que o dinheiro fique no banco.

Quando eu falo que esse Japão me surpreende, é verdade! Eu me deparo com situações que nunca imaginei presenciar na minha vida.

Essa medida pode ser arriscada sim, mas japonês é japonês, eles jamais iriam tomar uma iniciativa sem antes terem pensado mil vezes nas consequências que isso pode trazer além de pensarem em  todas as possibilidades de consequências.  É por isso que a credibilidade japonesa segue inabalável. Há o risco de dar errado? Claro que há! Mas o Japão já pensou nisso antes de todos. A nós, resta confiar e desfrutar dos benefícios do impacto na economia dessa nova medida. Não temos juros zero mais, temos juros negativos!!

 

ERIKA TAMURA

ERIKA TAMURA

nasceu em Araçatuba e há 18 anos mora no Japão, onde trabalha no Serviço de assistência aos brasileiros no Japão da Ong chamada Sabja

E-mail: erikasumida@hotmail.com
ERIKA TAMURA

Últimos posts por ERIKA TAMURA (exibir todos)

     

    Related Post

    MEMAI: LITERATURA – QUANDO O IMPERADOR ERA DIVINO... O livro narra uma história de ruptura em uma família nipo-americana formada por um executivo bem sucedido, uma dona de casa típica da classe média ame...
    CANTO DO BACURI > Francisco Handa: A era das incer... Quando o historiador inglês Eric Hobsbawm em seu último volume das eras, a Era dos Extremos, aquele viveu grande parte de sua vida no século XX, com o...
    ERIKA TAMURA: Tokyo Sky Tree   Semana estive visitando a torre Sky Tree, localizada na capital japonesa, Tóquio, às margens do rio Sumida. Sky Tree, que esse mês comemo...
    JORGE NAGAO: Tokyo 2020, enfim!   No dia da Independência do Brasil, em Buenos Aires, chegava ao fim a maratona para a escolha da cidade-sede dos Jogos Olímpicos e Paralímpic...

    2 Comments

    1. “O que isso pode afetar na população? Para quem tem dinheiro aplicado em poupança, o que vai mudar é que ao invés do dinheiro render, acontecerá o contrário, o cliente terá que pagar. ”
      O dinheiro do povo aplicado na poupança , por enquanto não está com juros negativo . Somente os valores aplicados dos bancos ao Banco Central que terá juros negativo a partir do dia 16 . No montante total de 330 bilhões de dólares (30兆円). Forçando assim os bancos a financiarem empresas, comércios e pessoas físicas afins de aumentar o giro de capital . Porém o dinheiro está sendo aplicado nos títulos do governo que chegaram a -0,035% pela primeira vez na história!

    2. O Japão não é o primeiro país a ter os juros negativo. A Suécia, Suíça, Dinamarca são outros países que adotaram os juros negativos.
      Agora acabou os rendimentos em poupança e conta corrente, imagine pagar para deixar seu dinheiro no banco!!
      Na Suécia está acontecendo uma explosão de construção de casas devido aos juros negativos para financiamento. Imagine receber dinheiro caso faça um financiamento!
      – Aqui no Japão as vendas de cofres doméstico estão em alta, isso é um perigo!!!

    Faça seu comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *