ERIKA TAMURA: Jorge Wagner, jogador do Kashiwa Reysol

Jorge Wagner e Erika Tamura (foto: Erika Tamura)

Estive presente em um evento beneficente, o Jogada Bonita (evento esse, que falarei semana que vem), no artigo de hoje falarei apenas sobre a conversa que tive com o jogador de futebol, Jorge Wagner.

Jorge Wagner é baiano, tem 34 anos e atualmente joga pelo time do Kashiwa Reysol.

Quando cheguei no evento, ele foi a primeira pessoa que vi lá dentro, e na primeira oportunidade fui conversar com ele, afinal, jogou no Corinthians, e fez dois gols na vitória do Corinthians conquistando o campeonato paulista de 2003.

Mas Jorge Wagner agrada os são paulinos também, afinal foram 4 anos dentro do São Paulo.

O contrato dele termina esse ano, mas o jogador comentou que sente muita vontade de ficar no Japão. E um dos fatores é devido a sua idade, pois com 34 anos ele disse ser difícil conseguir um time com projeção para jogar. O outro fator é a segurança de se viver no Japão.

Jorge Wagner disse que está adaptado ao país, e que inclusive a sua família também gosta muito do Japão. Um fator essencial para a estabilidade e desempenho de um atleta.

Admiro essa vida que os jogadores têm, e até mesmo a própria família que se submete à vários deslocamentos para poder acompanhar a vida de um atleta. Afinal não é fácil, chegar a um término de contrato e ter que pensar em mudanças, novos lugares, novas amizades, nova vida…

É realmente uma vida meio nômade, mas para o dekassegui que aqui vive, nada disso é novidade. Quantas vezes paramos e pensamos, qual o melhor lugar? Onde vou viver? Brasil ou Japão? E o tempo vai passando e no resumo final percebemos que vivemos uma parte da vida de forma provisória.

Assisti ao jogo do Kashiwa Reysol contra o Santos, em 2011, aqui no Japão. E confesso que fiquei admirada, durante o jogo só deu Jorge Wagner, e quase o Kashiwa vence o Santos, sem contar que o Kashiwa só participou da Toyota Cup porque foi campeão da J-League, com uma campanha incrível, pois o time estava na segunda divisão, e logo que subiu foi campeão!
E Jorge Wagner é assim, por onde passa sempre leva consigo um título, uma vitória, um destaque! Não é a toa que os futebolistas brasileiros são idolatrados em terras nipônicas. Pois já carregam na nacionalidade o sub entendimento de que são craques da bola.

Admiro jogadores como Jorge Wagner, que o talento atravessa as linhas do gramado e dá vazão para o ser humano, afinal, ele saiu de Kashiwa que fica em Chiba e foi para Oizumi em Gunma, para poder prestigiar um evento beneficente, o Jogada Bonita.
Jorge Wagner disse que foi a primeira vez que foi a um evento brasileiro no Japão, e disse estar muito feliz em participar, ainda mais com caráter social, no qual o evento está vinculado.

São pequenos gestos, que demonstram o caráter e a humildade de cada pessoa, e o Jorge Wagner mesmo com todo o sucesso, e com todo o seu currículo, atendeu à todos, conversou com todos que chegavam ali por perto, tirou fotos, e isso me fez ver que ele é merecedor de cada momento de glória que ele tem e ainda terá! Pois pessoas assim são as que realmente conseguem manter a cabeça em ordem mesmo no topo, sem deixar que o sucesso afetem os seus princípios. Já conheci muitas pessoas que não fazem nem a metade do que o Jorge Wagner já fez profissionalmente e que ainda assim usam de armas subterfugias para humilhar as pessoas.

E são nesses momentos é que temos a real noção e a melhor visibilidade para valorizar quem realmente merece.

Não posso deixa de citar o jogador Paulinho, que jogou no Vasco da Gama e hoje está no time de Tochigi, que também humildemente atendeu à todos com uma atenção ímpar, conversou comigo e com a imprensa, de uma forma muito humana. Jogador jovem de 24 anos apenas, com uma vida pela frente, e muito disposto em fazer carreira no Japão, pois gostou muito do país.

Dois exemplos de profissionais com a humildade que se torna um diferencial no mundo atual, o que não deveria ser, mas infelizmente é. Então temos que destacar os profissionais com grandes diferenciais, dentro e fora do campo, pois esses sim são os verdadeiros esportistas de uma nação.

 

 

 

Erika Tamura

nasceu em Araçatuba e há 15 anos mora no Japão, onde trabalha com desenvolvimento de criação. E-mail: erikasumida@hotmail.com

 

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

LEGISLAÇÃO com FELÍCIA HARADA: Do Simples Doméstic... (Resolução 780, de 24 de setembro de 2015)   A Lei Complementar nº 150/2015, regulamentou os direitos dos empregados domésticos e ao institui...
AKIRA SAITO: A INVERSÃO DOS VALORES   “O ser humano é dotado da capacidade de raciocinar, de discernir o certo do errado e de livre arbítrio para a escolha, por isso deve ser res...
ARTIGO: Impactos da economia colaborativa na hotel... A OMT (Organização Mundial de Turismo) em conjunto com o Ministério do Uruguai, com a FEHGRA (Federación Empresaria Hotelera Gastronómica de la Repúbl...
CANTO DO BACURI: Norwegian Wood   Penso que para boa parte das pessoas de minha geração ou da geração de minhas irmãs não há como ficar indiferente ao ver este título est...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *