ERIKA TAMURA: Mulheres Felizes

 

O artigo da semana passada foi um sucesso, total! Recebi muitas mensagens falando sobre o tema, e como falei sobre mulheres fortes pelo mundo, e dei ênfase ao lado profissional, hoje vou falar sobre a força das mulheres no lado emocional.

Devido a toda evolução do mundo, a evolução feminina também se faz presente, e acredito que ainda esteja em andamento, pois não vejo a conclusão do processo ainda. Principalmente aqui no Japão, vejo muitas mulheres infelizes, mas por serem dependentes do marido, não dão um passo para frente. Não que eu incentive a separação no casamento, mas eu admiro uma pessoa que tenha a alegria de viver! E um casamento infeliz, já não se vê mais o brilho no olhar de uma mulher.

Por isso ressalto a importância em estudar, em batalhar e conquistar o seu próprio espaço. Isso passa para a mulher muita segurança, e o que muitas não sabem, é diferenciar insegurança com carência e acabam metendo os pés pelas mãos, entram em relacionamentos que na verdade não passam de ilusão. Simplesmente porque não possuem uma segurança emocional. A ideia de se viver sozinha apavora.

Eu moro sozinha com minha filha, e tem pessoas que acham que só porque estou sozinha, sou infeliz. Mas muito pelo contrário, sei o que quero para mim, e por isso mesmo sou seletiva, tenho plena segurança das minhas decisões, sou consciente emocionalmente. Isso me basta!

Hoje em dia, o mundo está muito mais dinâmico, e a visão humana para tudo isso também, portanto não dá para a mulher ficar parada no tempo, e aceitar o papel de submissa. Não admiro isso e não aceito ( é a minha opinião, não significa que todos pensem assim), é tão interessante ver uma mulher com opinião própria, com um papo que desenrola sem forçar nada, com alegria de viver! Existem aquelas mulheres que são lindas, mas reclamam o tempo todo da vida, e parecem estar sempre de mal humor, oras a vida já é intensa, e se viver de mal humor então, o que se aproveita? Reclamar irá resolver algum problema? Reflitam…

As qualidades femininas variam de tempos em tempos, existem mulheres que se contentam com lindas, outras preferem ser chamadas de gostosas, outras querem ser magras…Pode ser bom para auto estima, mas são elogios fúteis, na minha opinião. Eu não dou a menor importância para elogios que se referem a minha aparência. Gosto quando sou reconhecida pela minha atitude, pelo meu caráter, pelos meus conhecimentos. Afinal, atitude sempre tive, caráter eu fui moldando conforme vivi, sofri e aprendi, e os conhecimentos, eu batalho para isso, estudo, corro atrás, pois são essas 3 coisas que posso chamar de meu de verdade!

Já que citei as qualidades femininas, agora vou citar um defeito que me irrita, a ignorância! No mundo totalmente virtual e globalizado de hoje a ignorância é quase que inaceitável, pois o acesso as informações estão ao alcance de todos, basta abrir os olhos. É tão lindo uma mulher que sabe a receita de um bolo maravilhoso, e também fala sobre futebol e política com a mesma maestria. Não somente isso, mas uma mulher bem informada, culta e instruída, muito dificilmente sofrerá por um amor mal resolvido.

A mulher não precisa estar dentro de um padrão de beleza para ser desejada, basta ela ter um brilho no olhar diferente, um papo que prenda a atenção, e uma inteligência questionadora, pronto! Eis a mulher poderosa!

O importante de tudo isso é que as mulheres tenham consciência de que a acomodação só trará “amores” temporários, pois ninguém aguenta a dependência emocional de uma pessoa por muito tempo. Isso serve para ambos os lados, não somente para o lado feminino.

E uma dica, não mudem para satisfazer uma pessoa, nunca! Se for mudar que seja por você! A alegria de viver, vem de dentro, e isso só se consegue quando centraliza-se o foco para você mesmo!

Para fechar o artigo, quero deixar uma frase que é o lema do brasão da cidade de São Paulo, e sempre que encontro um obstáculo na minha vida, eu penso nessa frase, que me dá autonomia para tomar a melhor decisão, pois obstáculo para mim nnao encaro como problema e sim como desafio, a frase é : “No ducor, duco” (Não sou conduzido, conduzo).

 

 

Erika Tamura

nasceu em Araçatuba e há 15 anos mora no Japão, onde trabalha com desenvolvimento de criação. E-mail: erikasumida@hotmail.com

 

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

SHIGUEYUKI YOSHIKUNI: JOE HIRATA, CIDADÃO PROMISSE...   JOE HIRATA, CIDADÃO PROMISSENSE (Foto: Shigueyuki Yoshikuni)   É o que acontecerá se o Projeto de Decreto Legislativo 07/2013, a...
CANTO DO BACURI > Mari Satake: Professora de trico   Regininha nasceu no Brasil. É a caçula de uma grande família de imigrantes japoneses. Seus pais tiveram treze filhos antes dela e ela, s...
JORGE NAGAO: Fernanda TAoKAY!     “O bisavô veio ao Brasil no navio Kasato  Maru, em 1908. Seu filho Toshita, veio logo depois, e encontrou Akiko, minha avó mat...
AKIRA SAITO: VITÓRIA E CRÍTICA “Muitos criticam, mas poucos sabem o valor do sacrifício”   Com os Jogos Olímpicos, com toda a beleza, a adrenalina, a emoção das competições...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *