ERIKA TAMURA: Novamente Japão

Acabo de retornar de uma curta temporada no Japão, onde fiquei 2 meses.

E esse tempo em que fiquei no Japão, recebi uma proposta inédita e desafiadora: Dar aula de português para japoneses.

Foi um desafio pois nunca dei aula em minha vida, nunca escondi de ninguém que sempre achei a arte de lecionar um dom divino, afinal é uma profissão linda e que merece todo respeito. E isso ficou mais evidente quando assumi a sala de aula, com alunos inteligentes e com um ótimo nível de português.

Eu estava ali, perante engenheiros, professores, pesquisadores (esses eram os meus alunos), e todos empenhados em aprender a língua portuguesa, adorei essa experiência.

Os motivos pelos quais os meus alunos decidiram se dedicar no aprendizado do idioma são diversos, por motivos profissionais porque pensam em trabalhar no Brasil, por motivos pessoais, porque cresceram no Brasil e não querem perder o vínculo, etc. E cada vez que eu sabia um pouco mais da história de cada um, eu me sentia privilegiada em estar ali ouvindo as experiências, e podendo absorver mais um pouco de conhecimento.

Estava no papel de professora, é verdade, mas confesso que aprendi mais do que ensinei!

A dedicação dos alunos me fez refletir sobre o futuro da comunidade brasileira no Japão, por que a maioria dos brasileiros não tem o menor interesse em aprender o japonês? E acredito que, morando no Japão é uma oportunidade única que serve como diferencial. Quantas pessoas não queriam essa chance para poder aprender japonês?

Quando eu estava no aeroporto de Abu Dhabi, esperando a escala para o Brasil, encontrei um grupo de jovens brasileiros, que estavam retornando da Tailândia. Os chamados “mochileiros”, e conversa vai, conversa vem, falei que estava no Japão, onde morei por 17 anos, e um deles me perguntou se era verdade que a maioria dos brasileiros que vivem no Japão como dekasseguis, não dominam o idioma japonês, e eu respondi que infelizmente, é verdade isso. É uma realidade triste, mas cada vez mais evidente.

Me espantei pois, até os “mochileiros” já sabiam dessa característica da comunidade brasileira que vive no Japão! E ainda escutei os comentários: “E eu sou louco para aprender japonês, morar no Japão, e os caras que têm essa oportunidade não aproveitam? Que louco hein…”. Pois bem, percebi que tudo o que escrevi até hoje nos meus artigos, sobre a importância em aprender japonês, não foi em vão, e me mostrou que estou certa.

Meus alunos, me ensinaram que o impossível não existe quando se tem um objetivo. E olha que o português não é uma língua fácil. É muito difícil!

As conjugações dos verbos, as concordâncias nominais e verbais, os discursos diretos e indiretos, tudo muito complexo, mas a minha turma foi muito bem. Eu já peguei o bonde andando, entrei para substituir o professor anterior que retornou ao Brasil, dei aula durante 3 semanas, e agora a turma entrou de férias, retornando em outubro, onde outro professor irá dar início ao novo ciclo de aulas.

Para mim, foi uma experiência nova e com gosto de desafio, saí com a sensação de dever cumprido, e valorizando ainda mais a profissão de professor. Quanta responsabilidade se carrega num cargo como esse, sempre admirei as pessoas que possuem o dom da didática, e hoje admiro ainda mais!

É uma carga profissional com um fardo pesado, digo pesado não no sentido ruim, mas pesado de tantos conhecimentos e ter que repassar isso de uma forma com que todos absorvam bem, enfim uma responsabilidade imensa, e que no Brasil não é tão valorizado como no Japão.

Agradeço imensamente pela oportunidade e experiência única em poder ensinar português para japoneses, como sempre, eu sou a maior beneficiária de tudo isso, pois fui eu que aprendi muito com cada aluno. Podem falar o que for do povo japonês, mas que são dedicados e disciplinados, isso são mesmo.

Cada vez que penso em fazer um bem pro povo japonês, recebo o dobro em troca. Foi assim quando fui para as áreas atingidas pelo tsunami, onde fui para ajudar e recebi em troca uma lição de vida que dinheiro nenhum pode comprar, e agora, ensinando o português para os japoneses aconteceu a mesma coisa, o que aprendi com isso foi muito maior do que eu ensinei.

E assim é o povo japonês!

 

 

 

===============================================================

Erika-Tamura

Erika Tamura

nasceu em Araçatuba e há 15 anos mora no Japão, onde trabalha com desenvolvimento de criação. E-mail: erikasumida@hotmail.com

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

AKIRA SAITO: EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO “Tudo que acontece de bom e ruim com os filhos, é responsabilidade dos pais” Para quem tem filhos, eles são nossos bens mais preciosos e temos o de...
JORGE NAGAO: Nikkeis Anônimos   Assim como existe o grupo Alcoólicos Anônimos, poderia existir o grupo Nikkeis Anônimos cujos integrantes relatariam o assédio moral que...
ERIKA TAMURA: Aniversário do Imperador Akihito Domingo, dia 7 de dezembro, participei de um evento comemorativo no Nipo de Araçatuba. Foi comemorado o aniversário de 81 anos do Imperador japonê...
SILVIO SANO > NIPÔNICA: CULTURA, TRADIÇÃO E COSTUM...   Meus filhos (filho e nora... ops!, explico: conforme a tradição japonesa, entrou na família, entrou “literalmente”... rsrs) acabaram de ...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *