ERIKA TAMURA: O grande potencial do brasileiro

Eu sempre falo que quando brasileiro se dedica com afinco em algo, não tem pra ninguém, é o melhor! Me deparo com algumas descobertas surpreendentes aqui no Japão, e me refiro aos brasileiros que se destacam por aqui. Destaque esse que não fica apenas dentro da comunidade brasileira. Vai além. Sobressai também na sociedade nacional.

Não é novidade para ninguém que o presidente da Nissan é um brasileiro, Carlos Ghosn. Mas o que muita gente não sabe é que o vice-presidente, abaixo do Ghosn, é também um brasileiro, Celso Guiotoko. Ghosn também é hoje um dos maiores salários do Japão, e virou referência administrativa.

Vocês sabiam que os vagões do trem-bala no Japão são construídos por uma empresa que tem como o seu presidente um brasileiro? Pois então, o dono é o Sr. Tadokoro. A empresa possui o seu nome e é a responsável pela construção e manutenção do famoso trem-bala no Japão. Detalhe: a maioria dos seus funcionários é de brasileiros.

E, sabiam, também, que o rei da cebolinha no Japão, é um brasileiro? Walter Saito. Empresário no Japão, dono de empreiteira, durante a crise de 2008 passou por maus momentos e conseguiu dar a volta por cima, se dedicando ao ramo agrícola. E hoje, ostenta orgulhoso o título de “rei da cebolinha”, por ser o maior produtor no Japão.

Naoko Kobayashi, uma brasileira que vive no Japão há mais de 20 anos, é campeã de levantamento de supino, o que lhe rendeu o título de mulher mais forte do Japão. O ministro Marco Farani, cônsul do Consulado-Geral do Brasil em Tóquio, é tido como referência diplomática dentro do Itamaraty, isso por causa dos seus trabalhos na comunidade brasileira no Japão.

Temos tantos exemplos de brasileiros aqui no Japão, que inspiram e são orgulho do povo brasileiro. Exemplos como Roberto Casanova e Valter Koiti Saito, vencedores do concorrido concurso de karaokê da NHK. Quando entro em livrarias japonesas, a parte de revistas esportivas é dominada por brasileiros. Muitos exemplares trazem fotos e pôsters do Neymar. Em uma delas ensinava até o passo a passo das jogadas do jogador para quem quiser aprender.

Falando em futebol, não posso deixar de citar Rui Ramos, um dos responsáveis pelo início do futebol no Japão. E mesmo aposentado há muito tempo, Ramos ainda atrai muitos fãs, desperta a euforia quando sai nas ruas, e provoca debates com os seus comentários sinceros.
Isso sem contar Ayrton Senna, que o povo japonês ama de paixão.

Existem muitos outros exemplos de brasileiros no Japão que se destacam em suas áreas, mas citei apenas alguns para que todos tenham ideia de que brasileiro é um povo 100%. Não gosto quando falam mal. A verdade é que existe uma minoria que denigre a imagem do povo brasileiro no Japão, e a maioria acaba pagando por essa parcela. Temos que parar com o pensamento vira-lata, achando que o contentamento pode vir com pouco. Não, não pode e não deve. Precisamos buscar sempre mais e mais, porque está comprovado que o jogo de cintura e a flexibilidade dos brasileiros podem ser contados como um ponto a favor.

Se o Brasil está mal administrado, e atualmente existe uma iminente crise política, social e econômica, não é justo que o povo brasileiro se abata e abaixe a cabeça. Essa não é a característica de um brasileiro, e sim, seguir alguns desses exemplos que citei. O que todos eles têm em comum? São brasileiros! E são os melhores naquilo que se propuseram a fazer.

 

ERIKA TAMURA

ERIKA TAMURA

nasceu em Araçatuba e há 18 anos mora no Japão, onde trabalha no Serviço de assistência aos brasileiros no Japão da Ong chamada Sabja

E-mail: erikasumida@hotmail.com
ERIKA TAMURA

Últimos posts por ERIKA TAMURA (exibir todos)

    photo1

     

     

    Related Post

    AKIRA SAITO: DEFENDA-SE “A prática constante do Budo eleva o indivíduo a um estágio de não violência, de segurança em si mesmo”   Em um mundo tão violento e agressiv...
    SHIGUEYUKI YOSHIKUNI: Linense leva sakurá para Mi...   Hakuji Miura no dia da sua homenagem (Foto: divulgação) Haruji Miura nasceu no Bairro União, há 85 anos. Mais tarde seus pais se transfe...
    CANTO DO BACURI > Francisco Handa: O caso da cunha... Nunca fora aceita na casa. No começo a indiferença das cunhadas, que não economizavam palavras em japonês quando resolviam desprezá-la devido seus cab...
    ERIKA TAMURA: Hanamatsuri Há mais de 3 mil anos atrás, nas proximidades do monte Himalaia na India, vivia o rei Sudhowana e a rainha Maya. E, apesar de serem casados há muito t...

    Faça seu comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *