ERIKA TAMURA: O retorno ao Brasil

 

Faz um tempo que decidi retornar definitivamente ao Brasil, os motivos não são únicos e vão desde o lado emocional ao profissional.

No início, tomei a decisão com um certo receio e uma dúvida que me tirava o chão, pois na minha cabeça eu pensava: “Como vou deixar o país que eu amo, que me acolheu tão bem e que me ensinou tudo o que sei hoje?”. Mas a medida que o tempo passava, aconteciam fatos que surgiam em forma de oportunidades em seguir um novo rumo, e de repente, vi a chance de se construir uma nova ponte cheia de esperanças e que me levaria aos objetivos que sempre quis.

Quando fui pedir demissão do centro de pesquisa em que eu trabalhava, quase não consegui, pois um nó na garganta me emudeceu e encheu meus olhos de lágrimas. E é nessa hora que passa um filme na cabeça, vi em segundos a história da minha vida no Japão, retratada ali. O começo difícil, os obstáculos e a superação de cada um deles, etapa por etapa vencida, a adaptação, o aprendizado do idioma, a integração cultural e social. E finalmente eu tinha chegado onde eu almejei, ser funcionária contratada diretamente pelo centro de pesquisa.

Mas aí soou o alarme da zona de acomodação. Estava numa situação tão cômoda que chegava a me irritar, percebi que não estava plenamente feliz com tudo o que conquistei, pois queria mais. E eu sei que posso mais…

Quero conquistar o que o dinheiro não compra. Não busco fama, nem vaidades mundanas. Quero poder olhar para trás e pensar, conquistei tudo isso para mim, sem egoísmos quando falo isso, pois o que quero dizer é que conquistei aquilo que ninguém irá tirar de mim, nenhum ladrão rouba, a morte não separa, não posso dar e muito menos vender. Mas posso deixar um legado…

Portanto é nisso que quero focar, e seguir em frente. Afinal tem que ser algo muito forte e grande para eu desejar pois não deixaria o Japão por pouca coisa.

O Japão representa em minha vida quase tudo, não diria que tudo porque tenho uma base brasileira muito estruturada, mas os meus parâmetros referenciais sempre serão movidos em torno do Japão.

Essa decisão nada tem a ver com um descontentamento no centro de pesquisa onde eu trabalhava, sinceramente ali foi o melhor emprego que já tive, com pessoas exemplares e um ambiente de trabalho ótimo! E as pessoas me perguntam, então por quê sair de um lugar assim? Porque vi que ali cheguei numa posição que eu não cresceria mais, poderia passar anos, mas sem mudar nada. Mesmo salário, mesmo serviço, mesmas pessoas e desafios zero. E eu quero mais para mim, gosto de desafios, e mais, gosto de me dedicar profissionalmente, portanto, nada mais justo que eu me entregue naquilo que gosto e que possa me proporcionar retornos satisfatórios e excelentes.

Sou extremamente profissional e por isso não admito certos vícios brasileiros, esse seria o grande desafio: Viver no Brasil. Mas estou disposta a encarar tudo isso, quero poder caminhar livre e saber que faço por mim, para depois poder fazer por outras pessoas. Me fortaleço para poder ajudar o próximo.

Nesses primeiros dias de Brasil, ainda estou em fase de adaptação, tudo é novidade. Sinto falta do Japão sim, e isso irei sentir sempre, pois sou completamente agradecida por tudo o que aprendi no Japão.

E até mesmo no momento de despedida do Japão, aprendo lições que vou carregar por toda minha vida, meu chefe e o presidente do centro de pesquisas, falaram pra mim: “Chegou sua hora de crescer, Erika. Então vá! Não podemos te segurar aqui pois você é muito maior que um emprego de pesquisadora, voe, mas voe alto, para que um dia tenhamos o orgulho de falar, essa mulher trabalhou aqui! “. Chorei muito, agradeci o carinho de todos e por fim, eu disse: “…e quando eu chegar lá em cima, voar alto, vou falar que tudo o que aprendi em matéria de liderança e profissionalismo aprendi com essas duas pessoas”.

 

 

===============================================================

 

 

Erika Tamura

nasceu em Araçatuba e há 15 anos mora no Japão, onde trabalha com desenvolvimento de criação. E-mail: erikasumida@hotmail.com

 

 

 

 

 

 

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

ERIKA TAMURA: Ingressos para os jogos do Corinthi...   Eu como corintiana e fã de futebol, morando no Japão, não posso deixar de descrever a correria dos torcedores para comprar ingresso para os ...
MUNDO VIRTUAL: Uma compra eletrônica   Sempre faço paralelos entre o mundo físico e o mundo digital, pois acho que raciocinando assim eu consigo entender com mais facilidade o que...
JORGE NAGAO: Você é um Nikkei se: Juliana Higa, Andrea Kurihara, Karina Nakahara, Jéssica Aoki e Jacqueline Sato ("missigenação")Vanessa Maeji/NJ | Fotos: Divulgação e Arquivo Pessoal...
BEM ESTAR: Apego e suas consequencias Nos dias de hoje a familia é composto de um ou no máximo dois filhos. São criados e educados com total esmero, dedicação dos pais para que nada fal...

4 Comments

  1. Érica,quando mais você se deixa conhecer,mais eu a admiro.
    Parabéns!
    Sucesso no seu novo caminho.
    Que tenha muita paz e alegria.
    SUCESSO.

  2. Amiga vc ts retornando p nossa terrinha??

  3. Bem-vinda, Érika. Fez bem. Você vai crescer aqui, no Brasil, sua terra, sua gente.

  4. Erika , desejo a voce toda sorte do mundo ,pois talento tem de sobra .

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *