ERIKA TAMURA: Os brasileiros e a língua portuguesa

Sempre enfatizo muito a importância em aprender o idioma japonês. Costumo sempre voltar nesse assunto, pois acho essencial que os trabalhadores brasileiros no Japão, dominem a língua para criarem uma certa independência vivencial.

Agora, um detalhe que me passou despercebido e que me dei conta nesses últimos dias, é que o domínio do português também é importante. Afinal somos brasileiros, se não soubermos a nossa própria língua, o que será de nossa identidade num paradigma social?

Aliás, sinceramente, não achava que seria necessário eu falar sobre a língua portuguesa, afinal, seria redundante fixar a ideia do estudo da nossa língua mãe. Mas percebi que a maioria dos brasileiros que vivem no Japão, falam muito mal o português, e escrevem pior ainda. Sem contar as crianças brasileiras que estudam em escolas japonesas e acabam esquecendo a língua portuguesa por total falta de uso.

E o quadro real no presente momento é no mínimo preocupante, pois temos aqui brasileiros que não aprenderam o japonês e esqueceram a forma correta do português. Falta de tempo para os estudos não é desculpa, afinal, temos exemplos de pessoas que aprenderam tanto o português, quanto o japonês apenas com a força de vontade em querer melhorar.

O próprio Consulado do Brasil de Tóquio, demonstrou claramente essa preocupação, principalmente com jovens e crianças brasileiras que frequentam a escola japonesa. E para sanar tal problema, tem desenvolvido várias atividades e projetos para atuar nessa área, sem perder o foco na educação.

Vou citar um exemplo de como é possível criar os filhos em dois idiomas, sem prejudicar em nada na formação das crianças. Meus dois filhos foram educados em japonês e português. Meu filho mais velho, depois de sair das aulas na escola japonesa, ia para a escola brasileira, e lá ficava até de noite. Minha filha também faz isso. Só que com aulas particulares com uma professora brasileira. E hoje, meu filho optou em prosseguir os estudos no Brasil, houve uma certa dificuldade sim, mas tudo superável e agora já adaptado, está indo bem nos estudos. Toda essa realidade “puxada”, faz com que meus filhos tenham um diferencial onde quer que estejam: o domínio do segundo idioma!

E isso certamente faz muita diferença, não só no mundo acadêmico, mas na vida de qualquer pessoa. A segurança de que se sairá bem em qualquer situação, afinal possui a facilidade da comunicação como aliada.

O ato de escrever bem e corretamente, abre as portas para várias áreas, inclusive profissionalmente. Dificilmente um currículo ou um e-mail com linguagem do “gueto” poderá ser levado a sério. É claro que não precisamos exagerar nas formalidades ou no uso de palavras difíceis e pouco usadas, mas há a necessidade do uso gramatical correto, bem como a clareza das frases para não ter uma distorção dos fatos.

Eu não escrevo tudo corretamente e de forma polida, cometo erros sim. Mas para evitar tudo isso, estudo e leio muito. Essa sim é uma prática da qual só traz benefícios, a leitura! Na minha opinião, excelência não é um fato isolado, tem que ser um hábito, que se conquista na prática diária. Portanto, quanto mais se ler, mais aprenderá! Parece dica de professora do ensino fundamental, mas por incrível que pareça, existem brasileiros no Japão, que ainda não se deram conta disso.

Exatamente por isso, vi que a minha preocupação para que os brasileiros aprendessem o japonês, tornou-se secundário. Aprender japonês como? Se nem o português correto as pessoas sabem?

Espero que entendam que o meu artigo não é nenhuma crítica, e sim um alerta. Que seja extremamente útil para o desenvolvimento humano dentro das comunidades no exterior.

E com muita força de vontade, quem der o primeiro passo, já não estará mais no mesmo lugar…

 

 

 

 

 

Erika Tamura

nasceu em Araçatuba e há 15 anos mora no Japão, onde trabalha com desenvolvimento de criação. E-mail: erikasumida@hotmail.com

 

 

 

 

 

 

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

SHIGUYUKI YOSHIKUNI: Diretoria Executiva da ABCEL ...   Presidente: Akio Matsuura. Vices: Yuji Oota (Planejamento e Orçamento), Ciro Shizuo Kumazawa (Esporte e Lazer), Yukio Bosso (Sócio Cultural)...
SILVIO SANO: Ah! Um criativo concurso de karaokê!   Fui a Campinas para dar um abraço ao, agora professor, Renato Chibana e conferir esse seu intensamente badalado II Karaoke Taikai, conforme ...
SILVIO SANO > NIPÔNICA: E as mulheres e os negros ... Desde que tomou posse e anunciou seu ministério, o presidente interino, Michel Temer, tem sofrido uma saraivada de queixas, principalmente da parte do...
AKIRA SAITO: SOMOS TODOS IGUAIS? “A Igualdade de todos não pode ser uma coisa ocasional, muito menos de acordo com a conveniência de quem diz”   Há algum tempo, na mídia e na...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *