ERIKA TAMURA: Quando eu digo que vivo no Japão

Decidi escrever esse texto para que as pessoas que não conhecem nada de Japão tenha alguma noção da correria que é viver por aqui.

Por mais que os dias no Japão tenham as mesmas 24 horas que no Brasil, a impressão que tenho é que o dia aqui é mais curto, parece que estou sempre correndo e sempre estou atrasada.

O Japão por ser uma referência tecnológica, todos tem a impressão de que existe acesso fácil a internet, o que não é verdade. Até pode ser que tenha, mas internet aberta igual no Brasil, não tem. Estive no Brasil, e me surpreendi quando vi que os restaurantes possuem wi fi para os clientes, disponibilizando as senhas e tudo mais, não somente os restaurantes, mas shopping, lojas, aeroporto, enfim geral. Aqui no Japão isso não existe. Tudo pago, nada é de graça. Como diz a minha amiga, no Japão nada é de graça.

Existem facilidades que só se encontra no Japão, claro, mas o tema do artigo é outro. Estou aqui para falar sobre como os brasileiros imaginam o Japão, e como na verdade é.

A culinária japonesa também é outro ponto. Já ouvi muitos brasileiros falando que amam a comida japonesa, e quando chegam no Japão se decepcionam, porque a comida japonesa que se come no Brasil não tem nada a ver com a comida japonesa tradicional, original. Aqui no Japão não se usa muito tempero como no Brasil, e aqueles sushis diferentes cheio de frutas e gostos misturados, na verdade é considerado até ofensivo para os japoneses, pois fogem do tradicional.

Outra coisa que escuto muito é o fato do dólar estar na casa dos 4 reais no Brasil, dai as pessoas perguntam quanto eu ganho, convertem em dólar, multiplicam por 4 e acham que ganho bem, mas calma aí… Ganho em yene, mas gasto em gene também! O custo de vida aqui não é em real, portanto não ganho bem, ganho o suficiente para se viver no Japão. Seria um ótimo salário se eu ganhasse em dólar, vivendo no Brasil, aí sim seria incontestável.

Mas se tem algo que me irrita e muito, é o fato de quando estou para ir para o Brasil, as pessoas ficam me pedindo “coisas” para levar. Os meus filhos e os meus pais tudo bem, afinal, como já sei o que eles querem, eu vou comprando no dia a dia. Mas tem pessoas que chegam a incomodar com os seus pedidos nada convencionais. E olha, o povo é criativo nas encomendas. Eu não tenho tempo nem de fazer compra para a minha casa, imagina sair de loja em loja procurando um produto que não conheço e não é para mim, difícil!

A imagem de Tóquio com seus prédios imponentes, aquele mar de arranha céu, fica impregnado na imaginação da maioria das pessoas, na verdade é assim na parte central de Tóquio mesmo, a medida em que vai se afastando da capital, vão aparecendo paisagens contraditórias, como plantações, casas velhas, prédios baixos, rios, etc.

Preciso esclarecer uma coisa também, o monte Fuji não fica perto de Tóquio, como aparece nos cartões postais, lamento desapontar quem imaginou isso, mas a verdade é que o monte Fuji fica em Shizuoka, província um pouco mais afastada de Tóquio. De alguns prédios mais altos de Tóquio dá para ver o monte Fuji, se o tempo estiver bom, mas não dá para se ter uma noção real do tamanho gigantesco do monte Fuji. Realmente é espetacular.

Para quem vem passear no Japão, é preciso que saiba que o inglês não é suficiente para se virar por aqui. A maioria dos japoneses não falam inglês, portanto se não tiver o auxílio de algum tradutor, é necessário decorar algumas frases básicas, ou usar aplicativos digitais como salvação.

Apesar de todos esses pontos no qual me referi acima, quem visita o Japão, sempre quer voltar. Tenho certeza que todos saem encantados daqui, pois apesar de ser uma cultura totalmente diferente, é muito fascinante quando a entendemos.

Já acompanhei muitas pessoas que vieram passear no Japão, e todas, sem exceção, sempre falam em voltar.

Por isso decidi escrever esse artigo para tentar desmistificar algumas referências que os brasileiros têm do Japão. E isso não o faz menos encantador, isso faz do Japão mais interessante e envolvente.

 

ERIKA TAMURA

ERIKA TAMURA

nasceu em Araçatuba e há 18 anos mora no Japão, onde trabalha no Serviço de assistência aos brasileiros no Japão da Ong chamada Sabja

E-mail: erikasumida@hotmail.com
ERIKA TAMURA

Últimos posts por ERIKA TAMURA (exibir todos)

     

     

    Related Post

    JORGE NAGAO: Mauricio de Sousa é coisa nossa Mauricio de Sousa e família   Noel Rosa, sambista da antiga, compôs “Coisas nossas” para exaltar os nossos valores e pessoas relevantes: “...
    AKIRA SAITO: MOMENTO OLÍMPICO “Muito além da competição, a busca pelo melhor é um conceito de humanização”   A partir desta semana nosso país entra no clima dos Jogos Olím...
    BELEZA BY YUMI KATAOKA: Make-up Blue line   Olá meninas, Tudo bem? E quando surge aquele happy-hour após o trabalho e você quer dar um “trato” rápido no visual para não aparecer de ...
    SILVIO SANO > NIPÔNICA: CULTURA, TRADIÇÃO E COSTUM...   Meus filhos (filho e nora... ops!, explico: conforme a tradição japonesa, entrou na família, entrou “literalmente”... rsrs) acabaram de ...

    Faça seu comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *