ERIKA TAMURA: Seminário de Universitários e Bolsistas Brasileiros no Japão

 

No último dia 26, fui convidada a participar do 1° Seminário de Universitários e Bolsistas no Japão, organizado pela SABJA (Serviço de Assistência aos Brasileiros no Japão), que tem como diretora-presidente: Ana Elisa Yamaguchi, professora da Universidade de Sofia de Tóquio.

Na minha opinião, uma iniciativa excelente, com vários pontos positivos, mas o que me chamou mais a atenção foi a escolha de alto nível dos palestrantes:

. Alexandre Vidal Porto, Ministro conselheiro da Embaixada do Brasil,

. Marco Farani, Cônsul Geral do Brasil no Japão

. Osvaldo Kawakami, Gerente geral da Petrobrás Tóquio

. Giuliano Ponzio, Gerente geral da LATAM Airlines Group

. Tiago Marson Fonseca e Waldemiro Michels Junior, Gerentes de vendas da Brasil Foods

. Frank Issamu Murai, diretor da WEG

. Marcos Turini, presidente da Companhia Vale

Somente pela presença de ilustres profissionais, o encontro já valeria muito a pena, mas o seminário foi além, visou mostrar o real mercado de negócios atual, com vigências internacionais, e a amplitude na visão econômica é um fator primordial. Durante as palestras, ficou claro que atualmente, com a globalização dos mercados, de línguas e de moedas, já não existem mais fronteiras, a expansão dos negócios vigentes depende tão somente da capacidade dos seus administradores.

Para debater, discutir e descrever tudo o que foi falado nesse seminário seria necessário semanas e mais semanas de artigos no jornal, por isso vou tentar resumir e descrever a minha opinião sobre isso tudo.

O seminário foi realizado no salão nobre da Embaixada Brasileira em Tóquio, e o público presente representa a nata intelectual do Brasil, apesar de todos serem muito jovens, são determinados, objetivos e destemidos, afinal são estudantes no Japão, e o currículo dos palestrantes não deixa dúvidas de que estavam ali um seleto grupo de empresários bem sucedidos passando sua experiência para um selecionado e privilegiado grupo de estudantes.

Quando Osvaldo Kawakami começou a falar sobre sua trajetória dentro da Petrobrás, senti-me como um grão de areia no deserto, e ali na minha frente estava uma rocha, percebi como sou pequena nesse mundo de gigantes, ainda tenho tanta a aprender…Logo em seguida falou Giuliano da antiga TAM e atualmente LATAM, pois a TAM uniu-se com a LAN, e Giuliano descreveu toda a sua trajetória dentro da companhia aérea e mais atualmente sobre a fusão dessas duas empresas, incrível o poder de resiliência de Giuliano.

Mas o que me emocionou realmente foi a apresentação da Br Foods, onde a empresa representa a Sadia e a Perdigão, e a maioria da carne de frango consumida no Japão é brasileira. Até fiz um comentário com o Tiago e o Junior, onde menciono o meu orgulho quando vou ap supermercado e vejo um frango com a etiqueta da Sadia…
Não posso deixar de mencionar a WEG, que fabrica motores elétricos e exporta esses motores para todos os países no mundo, como disse seu diretor Frank, “Não existe um país que não tenha pelo menos um motor WEG”. E para finalizar as palavras de Marcos Turini da Vale, e não há muito o que se dizer pois a Vale é a Vale! Excelência no mercado de mineração, orgulho econômico brasileiro e como foi mostrado no seminário, exemplo em sustentabilidade ambiental e social.

O que ficou evidente ao final disso tudo? O alto nível das empresas brasileiras, o significativo poder de competitividade dos brasileiros no mercado internacional globalizado. Depois dessa palestra acredito que ninguém seja capaz de duvidar do alcance do mercado econômico brasileiro. Realmente um orgulho! Esse é um ponto de vista em que todos os brasileiros podem se orgulhar, a capacidade de adaptação dos brasileiros e a quebra de fronteiras para as empresas em expansão rumo ao sucesso!

Quero muito encerrar o artigo com palavras de Jaque Frescco: “Quando a educação e os recursos estiverem disponíveis a todos, sem uma etiqueta de preço, não haverá limite para o potencial humano”. E essa frase está relacionada a pergunta que fiz ao Turini da Vale, sobre a valorização dos estudos de seus funcionários, onde a Vale mantém um programa de graduação acessível a todos, até mesmo aqueles que não possuem o primeiro grau completo, a Vale faz questão de que todos obtenham graduação, e como disse o próprio Turini, isso não significa despesa, a Vale vê isso como investimento. Será esse o sucesso da Vale?

 

 

*Erika Tamura nasceu em Araçatuba e há 15 anos mora no Japão, onde trabalha com desenvolvimento de criação. E-mail: erikasumida@hotmail.com

 

 

 

 

 

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

AKIRA SAITO: NÃO PULE ESTÁGIOS Em toda área e também nos propósitos da vida, todo conhecimento é baseado em estágios e na vivência destes estágios. Quando jovens algumas pessoas mui...
HAICAI BRASILEIRO O Jornal Nippak publica aqui os haicais enviados pelos leitores. Haicai é um tipo de poema que se originou no Japão. Seu maior expoente é Matsuo Bashô...
AKIRA SAITO: A CULPA É DE QUEM?   “Os perdedores culpam os outros por seus fracassos, os vencedores assumem seus erros em busca de melhorar a si mesmos.” Geralmente quando...
SILVIO SANO > NIPÔNICA: 64º lugar e… zero me... "Foi inesperado. Tenho certeza de que nossos atletas se esforçaram ao máximo, mas infelizmente não pudemos satisfazer aos anseios de nosso povo. Nossa...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *