ERIKA TAMURA: Tecnologia no Brasil

 

Estava lendo e pesquisando uns artigos interessantes sobre tecnologia, e percebi que atualmente há um interesse maior por parte do Brasil, em investir nas áreas de pesquisas tecnológicas.

Isso é um assunto que me interessa muito, pois trabalho nessa área, sou pesquisadora e desenvolvo chip para conexão de internet. Tenho a certeza absoluta de que estou no lugar certo para o desempenho de tal função: Japão, mais especificamente em Tsukuba, onde se concentra os maiores centros de pesquisas da Ásia. Mas fiquei muito feliz em saber do interesse do Brasil em investir em tecnologia, e o mais interessante é saber que existe um programa com todo um planejamento para o desenvolvimento dessa área, o programa “Ciência sem fronteiras” é um exemplo disso.

E em uma conversa informal no Consulado Brasileiro de Tóquio, soube através do presidente do Conselho Nacional de Imigração, Paulo Sérgio Almeida, que já existe no interior de São Paulo, um centro de pesquisa tecnológico nos padrões japoneses de qualidade, e isso me deixou muito feliz!

E apesar de Paulo Sérgio, ser um representante do Ministério do Trabalho do Brasil, eu fiz questão de ressaltar, a importância para a economia do Brasil, em investir em mais centros de pesquisa. Sei que esse é um assunto para o Ministério da Ciência e Tecnologia, mas o meu recado foi dado. E penso da seguinte forma: Acho muito válido o capital estrangeiro investido no Brasil para a instalação de fábricas, muito válido mesmo, pois isso movimenta a economia, gera empregos, encargos e outros benefícios mais, mas na minha opinião, um centro de pesquisa, consolida a economia do país, fortalecendo os laços afinal, no centro de pesquisa não existe crise econômica, pois se um produto não vende é trabalho dos pesquisadores buscarem uma saída. Nessa área há a necessidade de mão de obra qualificada, portanto a valorização do estudo é imediata, e há uma maior conscientização de que é necessário evoluir para produzir, isso faz com que o povo mude um pouco o pensamento provinciano, e entenda que é necessário pensar como primeiro mundo, pois de nada adianta investimentos, estudos, horas gastas em pesquisas, se o próprio povo pensar como um habitante de terceiro mundo.

Isso não significa que eu seja contra o investimento em fábricas, claro que não é isso, mas acho interessante o Brasil querer partir para outras áreas e no caso, tudo que envolve tecnologia, tem um investimento alto, mas o retorno também é praticamente certo. Quantos profissionais qualificados o Brasil não deve ter mundo a fora não é mesmo? E por falta de oportunidades esses profissionais caminham pelo exterior, um desperdício. Pois se pegarmos esses profissionais e concentrarmos no Brasil, com condições e estruturas semelhantes a do exterior, muitos até topam voltar ao Brasil, mesmo que ganhando menos, tenho certeza disso. E ainda por cima, levar o nome do Brasil em cada pesquisa feita, ajudando a mudar a imagem do país, seria uma maravilha.

E conversando com o presidente da minha empresa, perguntei se ele tem interesse em investir no Brasil, e ele respondeu que sim, afinal o Brasil está no Brics, mas a prioridade seria África do Sul, e perguntei o motivo, ele disse que é tão somente pela estrutura. Mas ele ressaltou, o Brasil também tem condições de se implantar um centro de pesquisa de alta tecnologia, é apenas questão de se acertar alguns detalhes e uma conversa mais diplomática. Eu fiquei muito empolgada com a ideia, e prometo fazer de tudo para poder levar a empresa que trabalho para investir no Brasil.

E com isso, podemos ter esperança no Brasil, não é porque algumas áreas não vão bem tem que se desanimar. Eu acredito muito no potencial de cada brasileiro empenhado no desenvolvimento do país.

 

 

 

Erika Tamura

nasceu em Araçatuba e há 15 anos mora no Japão, onde trabalha com desenvolvimento de criação. E-mail: erikasumida@hotmail.com

 

 

 

 

 

 

 

 

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

ERIKA TAMURA: Novamente Japão Acabo de retornar de uma curta temporada no Japão, onde fiquei 2 meses. E esse tempo em que fiquei no Japão, recebi uma proposta inédita e desa...
AKIRA SAITO: ACORDAR UM INICIANTE, DORMIR CAMPEÃO “A busca consiste em alcançar o equilíbrio, sempre”   Quando iniciamos, visualizamos o objetivo como algo distante e em muitas vezes citado c...
JOJOSCOPE: Kemari: photo-história do futebol   Gravura de Toyohara Chikanobu, Kemari, 1897   Em tempos de Copa, vale lembrar que o jogo de chutar uma bolinha era praticado no ...
JOJOSCOPE: Uma Paixão Nipo-mexicana   Em 1936, quando Isamu Noguchi tinha 32 anos, ele passou oito meses no México, para desenhar um mural intitulado “A História do México”, no m...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *