ERIKA TAMURA: Tóquio 2020

 

Acompanhei a cerimônia de escolha da sede das olimpíadas de 2020 com muita apreensão, afinal torci muito para que a escolha fosse pela capital japonesa. E enfim, Tóquio, foi a cidade escolhida, deixando Istambul para trás.

 

 

O que isso significa? Para mim significa muito mais do que a chance de ver e presenciar uma olimpíada, significa a consagração japonesa num ciclo suscetivo de grandes obstáculos. O vídeo exibido por Tóquio durante a cerimônia é lindo, emocionante e espetacular, confesso que chorei quando assisti, mas para quem observar atentamente o vídeo, verá que tem algumas explicações nas entrelinhas, ou será que fui a única a notar? O vídeo começa com uma criança treinando basquete e num momento de dificuldade aparece um atleta veterano para incentivá-lo e isso lhe dá forças para continuar a vencer, a atitude simbólica de se colocar a mão fechada no coração, evocando forças interiores, pode ter um significado amplo, e muito condizente com a realidade dos japoneses, afinal, não faz 3 anos que o povo japonês passou pelo tsunami, e reergueram-se com uma força interior admirável, e mais ainda, o respeito pelo próximo fez com que todos se ajudassem mutuamente. Eu estava lá, eu vi de perto tudo isso, e para mim foi uma das maiores lições que já recebi na minha vida! E o vídeo traz isso, apenas com as imagens, isso ficou muito claro para mim, respeito ao adversário é extremamente necessário, assim como o preparo e treinamento para vencer, é imprescindível que se respeite o seu oponente, e mais ainda, se vier a vencer, nunca humilhe o seu adversário, pois um dia você poderá estar no lugar dele. Tudo isso foram ensinamentos que aprendi com o meu pai, aprendi vivendo no Japão, aprendi com as vítimas do tsunami… E o vídeo deixou isso bem claro, quando um garoto desanima, surge alguém para incentivá-lo, quando o atleta derrotado chora a sua derrota, o que ganhou vai lhe dar um abraço, isso é o Japão!

Por isso me emocionei com o vídeo e com a cerimônia em si, pois ali, naquelas horas estavam parte de uma grande história que o Japão tem para contar, e todos deveriam absorver um pouco dessa mensagem.

Outro ponto importante sobre a capital japonesa, que foi destaque durante a campanha de candidatura da cidade para as Olimpíadas de 2020, a palavra “omotenashi”, que em português significa, hospitalidade.

Ou seja, o Japão investiu nessa imagem de povo hospitaleiro, o que não é mentira, pois eu tenho propriedade em afirmar com todas as letras a realidade hospitaleira dos japoneses, sou estrangeira, e com certeza relataria aqui se em algum momento eu estivesse insatisfeita com o tratamento que os japoneses me dão. A segurança é outro fator que contou favoravelmente para a escolha, o baixo índice de criminalidade fala por si só. Mas os pessimistas de plantão falam sobre um possível terremoto no país durante os jogos e as consequências negativas que isso pode acarretar. Vou ser bem sincera, mesmo que haja um terremoto de grande proporção, o Japão está preparado estruturalmente para que isso não seja um fator de risco, e digo mais, o terremoto não causa danos, o que realmente acontece em 2011 foi um terremoto seguido de tsunami, esse sim foi o grande causador da tragédia que assolou o país.

Já que toquei no assunto “estrutura”, vou citar a infra estrutura japonesa… não será necessário grandes obras para construção de ginásios, afinal Tóquio possui uma das melhores estruturas para abrigar um evento desse porte, e falo não somente na parte de complexos poliesportivos, mas também na parte de logística, Tóquio é uma cidade onde não há a necessidade de se ter um carro, pois os meios de transportes coletivos funcionam, e muito bem!

O Japão, mais uma vez conseguiu dar uma lição ao mundo com um vídeo de apenas 5 minutos, e sem expressar explicitamente nenhuma palavra, típico do povo japonês que consegue renascer das cinzas e se sobressair muito bem seja qual for a situação e circunstância.

E logo após a definição de Tóquio para as olimpíadas de 2020, as tevês japonesas começaram a mostrar crianças que poderão ser os campeões em 2020, afinal são 7 anos até lá, e a caminhada já começou! E o povo japonês é disciplinado e determinado, traçaram as metas, agora estão correndo focados para o objetivo que almejam. Realmente um exemplo a ser seguido!

 

 

 

 

Erika Tamura

nasceu em Araçatuba e há 15 anos mora no Japão, onde trabalha com desenvolvimento de criação. E-mail: erikasumida@hotmail.com

 

 

 

 

 

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

NIPPAK PESCA: Tubarões, raias e peixes podem sumir...   Por Marcelo Szpilman     Um novo estudo afirma que 40 espécies marinhas que vivem no Mediterrâneo podem desaparecer d...
SHIGUEYUKI YOSHIKUNI: OS ANOS FAZ MUITA DIFERENÇA   Formei-me em Letras há 40 ano, em Penápolis, turma de 1973. Éramos 45. Pesquisei, nome por nome, no Face e só encontrei uma ex-colega, mesmo...
ERIKA TAMURA: Grand Prix de vôlei masculino 2017 A seleção brasileira masculina de vôlei sagrou-se campeã do Grand Prix 2017, realizado no Japão, durante a semana passada. A equipe contou com ...
SHIGUEYUKI YOSHIKUNI: Cilada de Mestre   Quando a esmola é grande, é bom desconfiar. Mas poucos seguem o conselho. É só assistir ao noticiário para constatar que muitos ainda caem t...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *