ERIKA TAMURA: Valorizar-se para ser valorizado

 

O artigo de hoje, é inspirado no artigo que li da minha amiga Dell Santos, coordenadora de eventos do secretariado municipal de mulheres do PSDB. E antes que qualquer fanático partidário torça o nariz, eu digo que o texto é cabível ao povo brasileiro em geral, pois quando se fala em uma nação e o seu desenvolvimento é interessante deixarmos um pouco os pensamentos de fidelidade partidária e pensarmos como cidadãos.

E durante o texto o que me chamou a atenção é o posicionamento político, econômico e social da mulher dentro da sociedade brasileira, e uma frase que lateja em meu pensamento é: “Quem não se valoriza, não será valorizado.” Essa pérola literária, um ditado que Dell sabiamente cita, encaixa-se perfeitamente aos brasileiros que vivem no Japão. Pois valorizar-se pode ter sentido amplo, como por exemplo, valorização intelectual, estudar, aprender o idioma local, fazer cursos. Valorização cultural, aproveitar que se vive em outro país e tentar a integração cultural no meio onde vive. Valorização pessoal, valorização econômica, pode se falar inúmeros pontos e formas de se valorizar.

A verdade é que o povo brasileiro, ultimamente tem evoluído mais, tem pensado mais, e com isso as chances de conquistar um espaço maior, trabalhando no Japão também aumenta.

Dell foi muito feliz no artigo, quando ressalta sobre a força do poder feminino, eu sempre defendi essa bandeira, ainda mais aqui no Japão, um país machista e preconceituoso em relação a ascensão profissional das mulheres.

Mas o conselho de Dell para as mulheres, também serve como um conselho bem abrangente a todos os brasileiros no Japão. Como por exemplo, passar à frente dos holofotes, destacar-se dentro do Japão em áreas administrativas, políticas e econômicas, afinal, temos a mesma capacidade dos japoneses, homens ou mulheres, não importa. A única desvantagem que poderemos ter é em relação ao idioma, mas nada que alguns anos de estudos não propiciem um poder de igualdade.

Acredito muito na capacidade dos brasileiros, pois têm o dom empreendedor correndo em suas veias, afinal de contas, a partir do momento em que se atravessa um oceano em busca de melhores condições financeiras, já se demonstra uma verdadeira capacidade de empreendedorismo.

E isso nota-se em qualquer parte do mundo que se tenha brasileiros, é uma característica única.

Temos que nos valorizar, mesmo que estivermos longe da nossa pátria mãe, e para isso temos que superar o nosso próprio preconceito, ou a nosso pensamento em achar que há um limite para a nossa própria capacidade. Como diz a Dell em seu artigo, para dinamitar o preconceito existente na sociedade é preciso dinamitar o próprio preconceito.

Eu sempre acreditei em mim, na minha capacidade, até mesmo quando tudo parecia esvanecer surgia uma força de dentro de mim, que me colocava num ponto de aprendizado, precisava e sentia a necessidade de evoluir, por isso hoje, dentro do meu ambiente de trabalho, não tenho tratamento diferenciado por ser estrangeira. Muito pelo contrário, conquistei respeito de todos, por ter uma história que é caracterizado por dias de lutas e batalhas travadas para a busca de um único objetivo: a minha evolução. Em todos os sentidos. Hoje sinto me plena, mas não completa, afinal, os estudos não param e a evolução tem que continuar sempre, afinal, qual seria o sentido de viver se eu achasse que sei tudo, e que já vivi tudo?

É por isso que sempre digo aos brasileiros que vivem aqui no Japão, independente de onde vocês estejam, corram atrás dos seus sonhos, não parem nunca. Nunca deixem de lado, aquilo que um dia foi prioridade na vida de vocês.

E como disse a Dell, valorizar-se para ser valorizado!

O link para ler na íntegra o artigo da Dell Santos é esse:

http://www.psdbmulher-sp.org.br/pessima-estrutura-gestao-ineficiente-falta-de-compromisso-este-nao-e-o-pais-que-queremos/

 

 

 

 

Erika Tamura

nasceu em Araçatuba e há 15 anos mora no Japão, onde trabalha com desenvolvimento de criação. E-mail: erikasumida@hotmail.com

 

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

CANTO DO BACURI > Mari Satake: 24 Olhos No original, “Nijushi no Hitomi”, belíssimo filme de 1954 com adaptação e direção de Keisuke Kinoshita é baseado no romance de mesmo nome da escritora...
MUNDO VIRTUAL: Dois problemas comuns nas compras f... Os benefícios e comodidades do mundo virtual estão cada vez maiores, onde todos os usuários sempre ganham, seja em lucro financeiro, seja em comodidad...
ERIKA TAMURA: O meu retorno ao Brasil  Faz um mês que cheguei no Brasil, apesar dos pesares, estou amando viver por aqui. Amo o Japão, respeito muito o país que me acolheu, me deu condiçõe...
AKIRA SAITO: CORDIALIDADE   “O que demonstra a evolução de um ser humano é simplesmente a sua capacidade de ser cordial com os outros”. Bom dia! Por Favor! Por g...

3 Comments

  1. Muito interessante ambos artigo! Parabéns mulheres!!!

  2. Erika, vc não imagina minha felicidade, em saber que o artigo da minha amiga Dell, teve tamanha repercussão. Obrigada pelo comentário.
    Celia lucena – PSDB Estadual

  3. valorizar-se para ser valorizado!……….nossa vcs estão de parabéns adorei…

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *