ERIKA TAMURA: Visto japonês para yonsei

Vou novamente falar sobre o visto dos yonseis, ou a quarta geração de descendentes de japoneses.

Essa semana, esse assunto veio a tona novamente e com mais vigor, pois saiu na média, uma especulação sobre o visto, com informações sobre os requisitos para que os yonseis obtenham o visto para trabalharem no Japão. E logo em seguida, o deputado japonês que esteva no brasil, ministrando uma palestra específica sobre o assunto, Mikko Shimoji, posta em sua rede social que o visto não terá tantas restrições assim…

Sinceramente fico perdida nesse apanhado de informações, e muitas pessoas me enviam mensagens, perguntando o que realmente está acontecendo, foi liberado ou não foi o visto, qual a minha opinião, por que não dou um posicionamento? Sinceramente, não sei o que dizer sobre o visto, pois de concreto não se tem nada ainda, e não me posicionei porque estou esperando um comunicado oficial por parte do governo japonês, para não falar besteira e nem me precipitar.

E se realmente os requisitos que foram divulgados na mídia, forem os requisitos oficiais para a obtenção do visto? Não dá para correr atrás? Será que quem realmente deseja ou necessita vir ao Japão para trabalhar, não consegue se dedicar ao aprendizado da língua? Afinal, o visto de “working holiday”, já está em vigor para os vietnamitas, por exemplo, e o nível de japonês deles é surpreendente! No Vietnã existem escolas específicas para quem quer vir ao Japão trabalhar. Pois então, vendo por esse lado, não é de todo o mal o requisito do conhecimento do idioma, não é mesmo? Afinal, num mercado de trabalho competitivo, quem melhor se adaptar, sai na frente.

Vamos imaginar o meu caso, eu sansei, quando cheguei ao Japão, sem saber nada de japonês, se eu soubesse pelo menos o básico, e tivesse noção do idioma, o começo aqui no Japão teria sido mais fácil.

A princípio pode parecer que o governo japonês estaria dificultando a entrada dos yonseis, se realmente os requisitos impostos forem colocados em prática, mas na verdade, eu vejo como uma preocupação dos japoneses para diminuir o tempo de adaptação, o que facilita a vida no Japão.

A única ressalva que eu acho importante citar, do meu ponto de vista, que isso fique bem claro, é a minha opinião, já que a intenção é liberar o visto WH (working holiday) para os yonseis, utilizando critérios e requisitos para a validação, acho que deveria se estender o visto para os não descendentes também, para aqueles que realmente têm interesse de vir ao Japão, independente de serem sansei, yonsei…

Sei que essa minha opinião, pode gerar uma polêmica, mas em nenhum momento essa é a minha intenção, só acho que se estão falando tanto de lados justos, então, nada mais justo que o direito seja para todos, desde que enquadrem-se nos critérios exigidos.

Mas de nada vale essa discussão toda, até o pronunciamento oficial do governo japonês, com a decisão fundamentada em editais e o que realmente entrará em vigor, ninguém ainda sabe. O que temos são especulações. Que na atual conjuntura, só servem mesmo para gerar polêmica.

Estou acompanhando tudo o que sai na imprensa, tanto brasileira como japonesa, e está difícil, pelo menos por enquanto, dar um parecer, ou até mesmo escrever um artigo concreto, com detalhes sobre o assunto. Então para acalmar os ânimos, escrevi esse artigo, para que saibam que, assim como todos, estou esperando um comunicado oficial. Não estou sendo omissa e nem destratando o assunto, só quero dar a devida importância, quando tudo for certeza.

Espero que entendam, e assim como todos, estou aguardando ansiosamente o desfecho dessa história.

 

 

ERIKA TAMURA

ERIKA TAMURA

nasceu em Araçatuba e há 20 anos mora no Japão, onde trabalha no Serviço de assistência aos brasileiros no Japão da Ong chamada Sabja

E-mail: erikasumida@hotmail.com
ERIKA TAMURA

Últimos posts por ERIKA TAMURA (exibir todos)

     

    Related Post

    CANTO DO BACURI > Francisco Handa: A Trilha do Inf... Começou como mangá, Kozure Okami foi lançado em 1970, em 28 volumes, em torno de 300 páginas cada um. O roteiro era de Kazuo Koike e arte de Goseki Ko...
    SILVIO SANO > NIPÔNICA: Ainda sobre o vexame!̷... Juro! Prometo que não mais retomarei o tema após esta Nipônica. E explico porque o estou fazendo agora, antes que me chamem de “bobinho” por minha ins...
    ERIKA TAMURA: A IMPORTÂNCIA DO CONHECIMENTO Eu, particularmente, sou uma admiradora de pessoas determinadas, e nunca escondi isso de ninguém. Mas confesso que como mãe, ver a determinação da...
    GASTRONOMIA: Em busca da popularização da cultura ...   Como deve ser um lámen saboroso A MN-TryLamen Produtos Alimentícios Ltda. é uma empresa que dedica todo o esforço para servir a tigela de lám...

    One Comment

    1. Parabéns pela seriedade e clareza do artigo, querida Erika Tamura san!!!
      Teruko

    Faça seu comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *