ERIKA TAMURA: Yasukuni Jinja ou Templo Yasukuni

Semana passada visitei o Templo Yasukuni, localizado em Tóquio. Sempre quis conhecer, mas tinha um certo receio, por se tratar de um local polêmico, e vou explicar o por quê.

Yasukuni Jinja (lê se Dindja), para quem não sabe, é onde estão as homenagens aos heróis de guerra do Japão. Cerca de 2,5 milhões de nomes estão registrados no santuário, como forma do povo japonês prestar homenagem, reconhecer e serem gratos aos que morreram lutando pelo seu país.

 

 

Até aí, tudo lindo e maravilhoso, não é mesmo? Mas o templo é local de evidentes símbolos nacionalistas, e as visitas de políticos japoneses, bem como a família imperial, gera um incômodo em chineses e coreanos, o que torna o templo, um lugar constante de manifestações.

Por toda essa evidência nacionalista, eu tinha receio em visitar o santuário, mesmo tendo a cara de japonesa, me sinto incomodada com o discurso extremamente racista dos nacionalistas que sempre estão nos arredores do templo.

Aproveitei a visita da minha prima ao Japão, e a data propícia do Mitama Matsuri, e fui realizar a minha vontade de conhecer o Yasukuni Jinja.

Mitaka Matsuri, é o festival das lanternas, onde cerca de 30 mil lanternas iluminam a rua principal do templo. O evento visa homenagear a honra dos mortos, e recebe cerca de 300 mil pessoas, durante os 3 dias de realização.

 

 

Claro que, um evento desse porte, chamaria a atenção de protestantes chineses e coreanos, mas como era dia de matsuri, a polícia estaria mais reforçada. Segui essa linha de pensamento, e deu certo, nenhum transtorno ocorrido, visto que havia um grande número de estrangeiros visitando o local. Afinal, as lanternas eram um espetáculo a parte. Tudo muito lindo!

Mas por que os chineses e coreanos, insistem em fazer protestos e manifestações? Porque para eles, os soldados japoneses que lutaram na guerra, não são heróis e sim, assassinos. A crueldade de uma guerra, gerou consequências, e chineses e coreanos, pleiteiam um pedido de desculpas oficial do governo japonês.

O Japão alega que, o pedido já foi feito tacitamente, e que atualmente as relações entre os países asiáticos e o Japão são de forma pacífica.

Uma vez escrevi um artigo sobre Hiroshima, onde os japoneses sobreviventes da segunda guerra mundial, exigiam do governo americano, um pedido de desculpas oficial, e escrevi exatamente assim, na guerra vale tudo, por mais cruel e desumano que tenha sido, e que as consequências de uma bomba atômica tenha vitimado milhares de inocentes, era uma guerra. E o fato do então presidente americano, Barack Obama ter sido o primeiro presidente americano a visitar Hiroshima depois do fim da guerra, já poderia ter sido entendido como um pedido tácito de desculpas ao povo japonês. A mesma opinião, de forma inversa, também serve para os coreanos e chineses. Entendo que na guerra vale tudo, se houve a crueldade dos soldados japoneses, o Japão também sentiu na pele a mesma crueldade, com a bomba atômica.

 

 

 

Sei que tudo isso é um assunto extremamente polêmico. Apesar de eu ser descendente de japoneses, não tenho nada contra coreanos e chineses, pelo contrário, admiro a cultura dos dois países, e entendo o ponto de vista de cada um no assunto que diz respeito a guerra.

Entendo também que o Japão tenha um lugar sagrado para homenagear os heróis de guerra, podem falar o que for, para os japoneses são soldados combatentes que são considerados heróis sim, e não há nada de errado nisso, pois o sentimento nacionalista aflora de forma variada em cada povo. Tudo é uma questão de cultura e ponto de vista. Mas não de bom senso, afinal, na guerra não cabe essa palavra.

Sou contra qualquer tipo de guerra, claro. Mas o que aconteceu no passado, está lá escrito, documentado, falado, e historicamente falando, o templo yasukuni é uma grande referência, pois há também o museu da guerra, um lugar interessantíssimo. Para quem for para Tóquio, acho importante visitar o local.

 

ERIKA TAMURA

ERIKA TAMURA

nasceu em Araçatuba e há 18 anos mora no Japão, onde trabalha no Serviço de assistência aos brasileiros no Japão da Ong chamada Sabja

E-mail: erikasumida@hotmail.com
ERIKA TAMURA

Últimos posts por ERIKA TAMURA (exibir todos)

     

     

    Related Post

    SHIGUEYUKI YOSHIKUNI: Assembléia da Federação de 3...   Ocorreu no dia 10, com início às 9h em Araçatuba, na sede da Nipo. Anteriormente, já tinha realizada a da Sociedade da Difusão da Língua Jap...
    JOJOSCOPE: Sweet Delícia A confeitaria japonesa tradicional é conhecida como wagashi (和菓子), mas a chamada “pâtisserie” ganha força no Japão, onde é conhecida como yôgashi (洋菓子...
    ERIKA TAMURA: Conscientização ambiental Atualmente estou no Brasil e tenho acompanhado as noticias pelo mundo. O mundo foi abalado pelo atentado terrorista em Paris, o Brasil sofre com a tr...
    ERIKA TAMURA: Minha viagem à Abu Dhabi e Dubai   De volta aos artigos! Peguei uns dias de férias e passei uma semana no Emirados Árabes Unidos, fui visitar uma amiga, e aproveitei para c...

    Faça seu comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *