ESPETÁCULO: WARIKI, um universo de música, dança e magia do Japão, pela primeira vez no Brasil

 

Grupo de performance mescla variadas expressões artísticas, incluindo instrumentos tradicionais e vestimentas típicas

 

A Fundação Japão promove, em julho, a inédita vinda do grupo WARIKI ao Brasil. WARIKI, desde sua fundação, em 2002, vem apresentando ao mundo um verdadeiro trabalho de pesquisa sobre a arte e a cultura das diversas regiões japonesas. Ao contrário do que muitos possam imaginar, a cada região do Japão, a cada província, diferentes tradições, danças e músicas predominam, transmitidas de geração em geração.

 

 

Nesta inédita vinda ao Brasil, será possível apreciar alguns de seus mais representativos números, em uma encantadora viagem por entre músicas, danças e instrumentos típicos, que revelam culturas, folclore e tradições de províncias como Aomori, Fukuoka, Osaka, entre outras.

A primeira apresentação do grupo, em parceria com o Centro Cultural São Paulo, será realizada em 19 de julho, sexta-feira, às 20 horas, na sala Adoniran Barbosa. Com capacidade para 622 pessoas, a apresentação será gratuita e aberta ao público.

 

 

No dia 20 de julho, sábado, das 17h às 19h, será realizada uma oficina-demonstração com os artistas na Fábrica de Cultura de Sapopemba, também aberto ao público e gratuito.

Será uma grande oportunidade de conhecer de perto uma faceta da origem histórica dos instrumentos tradicionais japoneses e a correta forma de manusear (tocar) os instrumentos através de uma demonstração. Nesta oficina serão apresentados diversos instrumentos utilizados nas apresentações de WARIKI, bem como algumas das tradicionais músicas japonesas que compõem o seu repertório.

 

 

No domingo, 21 de julho, o grupo estará em dois shows no Festival do Japão, um evento realizado pela Federação das Associações de Províncias do Japão no Brasil. As apresentações de WARIKI acontecerão às 11h50 (palco Principal) e às 15h30 (palco Cultural).

A Fundação Japão, vale destacar, contará com um estande exclusivo para oferecer mais informações sobre atividades e serviços oferecidos em sua sede, localizada na capital.

 

 

 

WARIKI no Brasil

 

Para esta aguardada estreia em território brasileiro, cinco integrantes do grupo trarão na bagagem instrumentos como o taiko, típico tambor japonês; tsugaru shamisen, uma versão do shamisen – instrumento tradicional japonês de três cordas – desenvolvida na região de Tsugaru, ao norte do arquipélago japonês; shino-bue, uma espécie de flauta transversal; e o koto, instrumento de 13 cordas, semelhante à cítara.

Entre os números, destaque para o Okoshi, o canto festivo típico do Enburi, um festival de inverno realizado na província de Aomori, no extremo norte do país. Trajados a caráter, com chapéus em forma de cavalo, cantam palavras mágicas que prometem a felicidade. Seguem cavando o solo e dançando, de modo a “acordar” o planeta Terra para uma boa colheita.

Bastante representativas nas apresentações do WARIKI, algumas figuras de animais poderão ser vistos em diferentes números. Dança do Leão (Shishimai) revelará que o leão, que desde os tempos antigos é visto como um mensageiro dos deuses, possui o poder de dissipar o mal e transformar os desejos das pessoas em realidade. Outro folclore da região de Aomori, a Dança da Galinha (Torimai) traz o amanhecer se livrando dos maus espíritos que dominam a escuridão da noite. A ave é aqui representada pelo fato de desde os tempos mais antigos ter sido sempre relacionada com o anúncio do amanhecer.

Também poderão ser apreciados o Koma no Gei, desenvolvido a partir de apresentações de rua e outras manifestações populares da província de Fukuoka. O número inclui performances com piões, revelando a perfeita combinação entre equilíbrio e sincronia; e o Danjiri-Bayashi – com origem na construção da parede de pedra do castelo de Osaka, hoje representa uma grande diversão, sempre presente nos festivais locais de dança e música, reunindo ritmo e cores marcados pelas batidas dos tambores, entre muitas outras performances.

 

Mais sobre o grupo WARIKI

Historicamente, a cada espetáculo, o grupo se reinventa com novas formações de integrantes, incluindo convidados especiais que, por meio de músicas, danças e instrumentos típicos, apresentam a diversidade da cultura japonesa, folclore e tradições das diferentes províncias e regiões. Para mostrar toda a diversidade existente em um único país, fazem parte do espetáculo cantos, danças e performances, com devidos figurinos e adereços.

As apresentações têm o objetivo de popularizar a música e a arte folclórica tradicional japonesa, baseada na essência de seu antepassado, e de exibir novas criações também.

 

 

 

 

Os artistas

Akira Katogi

nascido na província de Akita, em 1967, o líder do grupo WARIKI cresceu pesquisando música e dança xintoísta e dança japonesa, assim como acompanhamento musical e artes tradicionais de todas as regiões do Japão. Para ele, “o palco é o espaço para rituais da sociedade atual, sentindo a terra natal, desejando a felicidade, transmitindo as preces do coração no tempo e espaço em que crio as obras performáticas”. Anualmente, percorre vários lugares no mundo para se apresentar como parte da delegação cultural representativa do Japão. Sua mais recente turnê aconteceu em abril e maio, nos Estados Unidos.

 

 

Shunsuke Kimura

nasceu em 1969, na província de Saitama. Músico de instrumentos tradicionais japoneses, como fue e shamisen, atua também como compositor e diretor musical. Sua música reúne ritmo e estilo de manifestações folclóricas do Japão, apresentada em festivais em mais de 30 países e em programas televisivos internacionais, como na BBC3 (Inglaterra) e WDR3 (Alemanha). Recentemente, em março, dirigiu o espetáculo de Chieko Kojima, e de março a maio apresentou-se em dueto com Etsuro Ono na Austrália, Nova Zelândia e Holanda. Ainda este ano tem agendada turnê em 17 cidades europeias, principalmente na Alemanha.

 

 

Etsuro Ono

nasceu em 1972, na província de Akita. Foi discípulo do mestre de tsugaru shamisen Chisato Yamada. Concluiu o seu treinamento na cidade de Hirosaki, na província de Aomori. Como integrante do grupo Warabi-za, participou de inúmeras turnês no país e no exterior, como músico de shamisen. Tornou-se independente em 2003, quando passou a compor obras originais para apresentação solo a partir dos clássicos, além de realizar arranjos. Em maio de 2006 lançou o primeiro cd, apresentando-se com o Hanzou, grupo de shakuhachi e bateria. Em parceria com Shunsuke Kimura, como duo, realizou turnê pela Europa (Noruega, Suíça, Itália, Alemanha, França), em 2012, e participará da turnê já agendada para este ano em 17 cidades europeias.

 

 

 

Shingo Ikegami

nasceu em 1966, na província de Kanagawa, e recebeu os primeiros ensinamentos de koto de seu pai, durante a infância. Posteriormente, tornou-se discípulo dos mestres Katsuko Uchida e Takeru Nakai. Graduou-se em Música Tradicional Japonesa na Faculdade de Música da Tokyo University of the Arts, especializando-se em koto do estilo Ikuta. Formou-se também na NHK Hogaku Ginosha Ikuseikai (curso para profissionais de música tradicional japonesa). Apresenta-se como profissional de koto, sangen, kokyu, jushichigen, além de compor e efetuar arranjos para peças de instrumentos tradicionais japoneses. Ministra cursos de composição autoral e é júri de concursos, presidente do Shinjunokai e professor de koto na Women’s Art University, atuando na formação de sucessores. Apresentou-se com o grupo Nemunokai, em turnê nacional, e com a Miyagi Koto Company, no Havaí, em 1991. Também integrou um programa de música na TV Fuji por 4 anos consecutivos. Em 1992, participou do Asian Music Festival; e, em 1994, se apresentou com a delegação da Agência de Assuntos Culturais na Turquia, além de conquistar a terceira colocação no Concurso Miyagikai. No ano de 1995 lançou o cd single “Sangenjaya” e o cd álbum “Octet”. No ano seguinte, realizou concerto no Tokyo Inter Arts, em Hanover e Berlim, na Alemanha, participando também da gravação do cd comemorativo. Em 1998, participou novamente no Tokyo Inter Arts, em Berlim, e lançou o cd “Gozo Roppu”. Em 2006, lançou dois álbuns cd, “Coleção Primavera e Verão” e “Coleção Outono Inverno”.

 

 

Raiya Katogi

o mais jovem integrante a participar das apresentações no Brasil, nasceu em 1992, na província de Nagano. Atualmente está em treinamento de kyogen (teatro tradicional japonês cômico), tsugaru shamisen (uma das três variações do shamisen, instrumento de três cordas), koto (instrumento de 13 cordas, semelhante a uma cítara), kokyu (instrumento de cordas tocado com um arco), yokobue (flauta transversal feita com bambu japonês) e canto, em busca de uma formação global de expressão cênica. Em abril e maio deste ano, ao lado de Akira Katogi, participou de turnê nos Estados Unidos e Canadá, apresentando-se em festivais, universidades e escolas.

 

 

 

SERVIÇO

 

ESPETÁCULO

19 de julho de 2013 (sexta-feira)

Horário: 20h

Local: Centro Cultural São Paulo – sala Adoniran Barbosa

Endereço: Rua Vergueiro, 1000, Paraíso, São Paulo, SP (ao lado da estação Vergueiro do Metrô)

Ingressos: gratuitos (disponíveis para retirada na bilheteria no dia do espetáculo, a partir das 18h)

Classificação: livre

Duração: 90 minutos

Capacidade: 622 lugares

Informações: (11) 3397-4002 ou www.centrocultural.sp.gov.br

 

 

OFICINA-DEMONSTRAÇÃO

20 de julho de 2013 (sábado)

Horário: 17h às 19h

Local: Fábrica de Cultura de Sapopemba

Endereço: Rua Augustin Luberti, 300 (atrás do Batalhão da Polícia Militar), próximo a Av. Sapopemba, altura do nº 12.377

Ingressos: entrada gratuita

Classificação: livre

Duração: 120 minutos

Capacidade: 200 lugares

Informações: (11) 2012-5803 ou www.fabricadecultura.org.br

 

 

ESPETÁCULOS

21 de julho de 2013 (domingo)

Horário: 11h50 (Palco Principal) e 15h30 (Palco Cultural)

Local: 16º Festival do Japão

Endereço: Centro de Exposições Imigrantes,  Rodovia dos Imigrantes – km 1,5 – São Paulo

Ingressos: apresentações WARIKI são gratuitas e abertas a todos os visitantes do Festival do Japão

(Para o Festival do Japão, ingressos antecipados custam R$ 8,00 ou R$ 10,00 no dia. Entrada gratuita até 8 anos ou acima de 65 anos. Mais informações em www.festivaldojapao.com)

Classificação: livre

Duração: 30 minutos (cada espetáculo)

Informações: www.festivaldojapao.com.br

 

 

Realização: Fundação Japão em São Paulo

 

Apoio:  Consulado Geral do Japão em São Paulo

Centro Cultural São Paulo

Fábrica de Cultura de Sapopemba

Federação das Associações de Províncias do Japão no Brasil

 

 

Informações

Fundação Japão

Tel.: (11) 3141-0110
E-mail: info@fjsp.org.br

Site: www.fjsp.org.br

 

 

 

 

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

KARAOKÊ: Susana Sano é bicampeã do Concurso Intern... A cantora lírica Susana Sano, com a música “nessun dorma” foi a vencedora do Grand Prix do 3º Concurso Brasileiro da Canção Internacional, promovido p...
MOGI DAS CRUZES: ‘Miss Akimatsuri’ está com inscri... Estão abertas as inscrições para a 8ª edição do concurso “Miss Akimatsuri”, que será realizado dia 1º de abril durante a 32ª Festa de Akimatsuri, em M...
SÃO ROQUE: 20º Sakura Matsuri acontece neste fim d... Neste fim de semana (2 e 3), quem for ao Centro Esportivo Kokushikan Daigaku, em São Roque (SP), para a 20ª edição do Sakura Matsuri – Festival das Ce...
MIMIPARTY: 4ª edição do Festival da Cultura ‘Fofa’... Considerado o principal evento da cultura kawaii no Brasil, o MimiParty chega a sua quarta edição neste fim de semana (2 e 3), em novo endereço. Este ...

One Comment

  1. terapia online marbella says:

    ESPETÁCULO: WARIKI, um universo de música, dança e magia do Japão, pela primeira vez no Brasil Os adrezco el compartir con todos nosotros toda esta amena información. Con estos granitos de arena hacemos màs grande la montaña Internet. Enhorabuena por este post.

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *