EXPOSIÇÃO: MOSTRA SOBRE RYO MIZUNO NO MHIJB TEM VISITAÇÃO GRATUITA AOS DOMINGOS ATÉ 18 DE JUNHO

Em 1908, o navio Kasato Maru aportou em Santos, trazendo a primeira leva de imigrantes japoneses ao Brasil. A história dessa viagem e os motivos que levaram 781 japoneses a se mudarem para o país estão na mostra “Ryo Mizuno, o homem que iniciou a imigração japonesa no Brasil e o seu diário de bordo do Kasato Maru”.

Em cartaz, na capital paulista, a exposição pode ser visitada gratuitamente, aos domingos, de 28 de abril a 18 de junho, período entre a partida e a chegada do navio Kasato Maru, no Museu Histórico da Imigração Japonesa no Brasil (MHIJB). Nos outros dias, os ingressos custam R$ 10,00 e R$ 5,00 (meia entrada para crianças, estudantes mediante carteirinha e idosos acima de 60 anos).

 

família Mizuno: mostra reúne fotos e até o diário de viagem. Foto: MHIJ

 

A peça chave da exposição é o diário de viagem de Ryo Mizuno (1859-1951), japonês que trouxe a primeira leva de imigrantes japoneses ao Brasil. Mizuno viveu no Japão na tumultuada época da Restauração Meiji que, entre outras mudanças, abriu os portos do país após mais de 200 anos de isolamento.

Mizuno nasceu samurai na transição da era feudal para a industrial. Ativista radical do Movimento pela Libertade e Direitos do Povo, tornou-se presidente da empresa de emigração porque tinha uma visão voltada para o exterior. Depositou o seu futuro, da sua família e dos japoneses que migraram com ele nas terras além-mar.

Já no Brasil, Mizuno recebeu do governo do Paraná uma porção de terra onde iniciou a implantação da Colônia Alvorada, outro de seus empreendimentos, voltada à produção agrícola. De volta ao Japão em busca de recursos, foi surpreendido pela eclosão da Segunda Guerra Mundial. Durante o conflito, Mizuno perdeu praticamente todo seu patrimônio e só reencontrou a família em 1950. Ryo Mizuno morreu um ano depois, em São Paulo, aos 91 anos de idade.

A exposição mostra que é possível entender a imigração japonesa no Brasil como um processo histórico do século XX. Na época, o Japão sofria com a pressão demográfica e com a crise econômica, agravada pela guerra contra a China. Por outro lado, no Brasil, a escravidão tinha acabado de ser abolida e o país necessitava de mão de obra para trabalhar nas lavouras de café.

“Ao focar em um personagem e em suas ações, a exposição permite, ao visitante, obter compreensão maior de todo o processo histórico e social que motivou a imigração”, afirma Lídia Reiko Yamashita, vice-presidente da Comissão de Administração do MHIJB.

 

Visionário – Esta é a primeira vez que o diário de bordo registrado por Mizuno se torna público na capital paulista. O documento foi transcrito e digitalizado para facilitar a leitura da caligrafia de Mizuno e dos kanjis mais antigos usados no texto e para ser manipulado eletronicamente.

Os visitantes ainda poderão acompanhar a trajetória do pioneiro e visionário Ryo Mizuno em dez painéis, fotos e entrevistas, além de descobrir curiosidades como a primeira cafeteria no Japão, o Café Paulista, montada, em Osaka, por Mizuno com o objetivo divulgar o café brasileiro no oriente.

A exposição traz algumas pinturas, como retratos de Mizuno feitos pelos artistas Jorge Mori e Carlos Kubo, além de objetos pessoais como os quimonos usados por Mizuno e peças fornecidas pela família. Para a mostra também foi montada sua árvore genealógica.

 

 

Exposição: “Ryo Mizuno, o homem que iniciou a imigração japonesa no Brasil e o seu diário de bordo do Kasato Maru”

Quando: Até 18 de junho de 2017

Visitação: Terça a domingo, das 13h30 às 17h

Entrada: R$ 10,00 (crianças, estudantes, mais de 60 anos: R$ 5,00); de 28 de abril a 18 de julho, aos domingos, a entrada é gratuita

Onde: Museu Histórico da Imigração Japonesa no Brasil (Rua São Joaquim, 381, Liberdade, São Paulo

Informações: (11) 3209-5465 / museu@bunkyo.org.br

www.museubunkyo.org.br

Patrocínio: Fundação Katsuzo Yamamoto

Related Post

LITERATURA: Chega ao Brasil best-seller japonês Com 1 milhão de exemplares vendidos no Japão e nos EUA, “Um caminho de flores”, de Kentetsu Takamori, já mudou a vida de mais de 1 milhão de pessoas. ...
SOCIAL: IKEBANA IKEBANA – A Associação Ikebana do Brasil realizou no dia 21, no Salão Nobre do Bunkyo – Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Soci...
MÚSICA: O cantor Joe Hirata fechou o ano de 2015 ... JOE HIRATA – O cantor Joe Hirata fechou o ano de 2015 como começou: com muito trabalho. No dia 12, o cantor esteve em São José do Rio Preto, no clube ...
120 ANOS DE AMIZADE: Apresentação inédita reúne k... Em homenagem aos 120 Anos do Tratado de Amizade, Comércio e Navegação Brasil-Japão, o Mosteiro de São Bento de São Paulo e a Associação Cultural de Ko...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *