FESTIVAL DO JAPÃO: Convidados exaltam a força da cultura japonesa

O presidente do 15º Festival do Japão, Nelson Maeda, pediu e São Pedro atendeu. “O tempo abrilhantou ainda mais nosso evento”, disse ele durante a cerimônia de abertura realizado na tarde deste sábado no Palco Principal do evento.

 

Convidados participam do ritual da quebra do barril do saquê (foto: Aldo Shiguti)

 

Em seu discurso, Maeda lembrou o quanto é difícil realizar um evento deste porte. “O reflexo do mundo externo acaba comprometendo o desempenho também no Brasil. Não fugiríamos à regra”, disse, acrescentando que, “em compensação, tivemos outras empresas que colaboraram”. Além de São Pedro, Nelson Maeda agradeceu também a presença do público e a todos os colaboradores, patrocinadores, voluntários e kenjinkais, enfim, “todos que tornaram possível a realização deste festival”.

 

Público participa do bon odori no 15º Festival do Japão (foto: Aldo Shiguti)

 

Segundo ele, a expectativa é receber um público estimado em cerca de 180 mil visitantes nos três dias. A lamentar, apenas a falta de energia na quinta-feira – um dia antes da abertura dos portões – que acabou comprometendo a execução dos trabalhos no Centro de Exposições Imigrantes, como a instalação dos botijões de gás, e que prejudicou alguns kenjinkais.

 

Para variar, Praça de Alimentação recebeu um movimento intenso durante todo o sábado (foto: Aldo Shiguti)

 

Fora isso, Maeda ressalta que foram adotadas algumas medidas com o objetivo de oferecer conforto e segurança para os visitantes. “A segurança, por exemplo, foi reforçada”, destacou.

A cerimônia de abertura contou com a presença de convidados como o secretário-executivo do Ministério da Pesca e Aquicultura, brigadeiro Átila Maia da Rocha; do deputado federal Arnaldo Faria de Sá e do presidente nacional do PPS, deputado federal Roberto Freire, além de lideranças da comunidade nikkei.

 

Apresentação de taikô no palco da Praça Cultural e de Esportes (foto: Aldo Shiguti)

 

Todos exaltaram a força da cultura japonesa. O presidente do Bunkyo (Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social), Kihatiro Kita disse que, “ao longo dos anos, o Festival do Japão firma-se como importante elo de ligação entre as entidades, tornando-se uma referência e um autêntico cartão de visitas da comunidade nipo-brasileira não só para São Paulo como também para outras cidades e até Estados”. O diretor geral do Departamento Consular de São Paulo, Tsuyoshi Narita, destacou que o Festival do Japão “simboliza e sintetiza o espírito de solidariedade e compreensão entre as diversas associações de províncias com representação no território brasileiro”, enquanto Roberto Freire lembrou de uma viagem “inesquecível” que fez ao Japão, onde participou de um congresso do partido comunista japonês representando o partido comunista brasileiro.

 

Cerimônia do chá (foto: Aldo Shiguti)

 

Em virtude da lei eleitoral, os candidatos a uma vaga na Câmara Muncipal de São Paulo não puderam subir no palco. O Jornal Nippak ouviu alguns deles.

Candidato à reeleição, o vereador Aurélio Nomura (PSDB), explicou que o Festival do Japão “é de suma importância para todos nós”. “Na verdade, é o coroamento da cultura japonesa. Nós, nikkeis, estamos impressionados com o que estamos vendo aqui, com a diversidade da culinária japonesa. Isto porque cada província trouxe sua comida típica, inclusive com alimentos e até cozinheiros vindos especialmente do Japão. Aliado aos shows, mostra o lado cultural da comunidade nipo-brasileira”, comentou Nomura, acrescentando que “trata-se de um evento que efetivamente merece que nós, vereadores, com a ajuda dos deputados estaduais e deputados federais, consigamos recursos para que este festival se torne uma vitrine que representa a cultura japonesa e também em memória aos pioneiros da imigração japonesa”.

 

Estade da Akita (foto: Aldo Shiguti)

 

O vereador Ushitaro Kamia (PSD), que também busca a reeleição, afirmou que a soma de esforços é necessária porque “precisamos trazer sempre à tona essa cultura maravilhosa que herdamos de nossos ancestrais”.

Fundador do Instituto Paulo Kobayashi (IPK) e candidato a uma vaga na Câmara Municipal de São Paulo pelo PSD, Victor Kobayashi afirmou que o Festival do Japão é importante “não só para a cidade de São Paulo, mas também, para o resto do país”. “O Festival do Japão oferece um panorama da cultura japonesa e é a principal referência para a sociedade brasileira”. “Observamos caravanas de outras cidades e presidentes de associações de outros Estados que visitam o Festival do Japão para conhecer, participar e interagir”, constatou Kobayashi. “Por isso é muito importante apoiar eventos que preservam e divulgam a cultura de nossos antepassados”.

 

Estande de Saitama (foto: Aldo Shiguti)

 

Globalização – Para o deputado estadual Hélio Nishimoto (PSDB), o Festival do Japão é “um evento que traz felicidade por se tratar do maior evento da cultura japonesa no Estado de São Paulo e até da América Latina”.”A gente consegue atrair pessoas de outras cidades e de Estados vizinhos”. Segundo ele, o que torna o Festival do Japão tão especial é o fato de contar com a participação de associações de províncias, de entidades sociais e de empresas ligadas ao Japão. “Então, a gente fica muito feliz de ver congregado todos esses interesses saudáveis em torno de um evento como esse e a gente participa com satisfação justamente porque existe um compromisso da Prefeitura da Cidade de São Paulo, do Governo do Estado de São Paulo e do Governo Federal, de continuar realizando eventos como esse. E nós nos sentimos privilegiados por contar com o maior evento da cultura japonesa do país em nosso Estado”.

Já a deputada federal Keiko Ota (PSB-SP) ressaltou a importância do tema do Festival deste ano “Sustentabilidade e o Futuro da Humanidade” e reafirmou seu compromisso “de lutar por justiça e pelo fim da impunidade”.

Para o deputado federal Junji Abe (PSD-SP), o evento “fortalece as relações entre o Brasil e o Japão não só no campo da amizade mas também no intercâmbio educacional, social e, principalmente, no campo econômico-financeiro em função do mundo globalizado”.

“Quero crer que, com com comparecimento maciço da nossa população paulistana, paulista e da brasileira, nós passamos, efetivamente, a dar um exemplo para o mundo inteiro porque poucos países têm uma relação saudável como o Brasil e o Japão. E que este exemplo atinja o coração, principalmente, daquelas pessoas responsáveis pelas grandes nações como a China, Estados Unidos e a Comunidade Européia, que atravessa uma crise internacional. O Brasil e o Japão podem dar um exemplo para superarmos essa crise”, garantiu.

 

Estande de Okinawa (foto: Aldo Shiguti)

 

Carinho – Representando o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (PSD), o deputado federal Walter Ihoshi (PSD-SP) conta que os kenjinkais organizam o Festival do Japão “de forma muito bem coordenada e com um grande número de voluntários”. “E isso acontece justamente na cidade de São Paulo, onde o prefeito Gilberto Kassab tem demonstrado um carinho especial pela comunidade nipo-brasileira, sem dúvida nenhuma a maior cidade japonesa fora do Japão”.

Para Ihoshi, o “carinho” do prefeito pode ser constatado em sua equipe, “que reúne vários componentes e lideranças nikkeis que, ao longo destes sete anos e meio de mandanto do prefeito Gilberto Kassab,sempre colaboraram não somente na realização de eventos mas também em projetos esportivos e culturais”. “Portanto, o Festivaldo Japão é o grande marco da nossa comunidade”, destacou Ihoshi.

Realizado pelo Kenren (Federação das Associações de Províncias do Japão no Brasil),o 15º Festival do Japão prossegue até este domingo (15) no Centro de Exposições Imigrantes (zona Sul de São Paulo).

(Aldo Shiguti)

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

COMUNIDADE: 3º Tosa Matsuri conquista espaço entre...   Realizado nos dias 23 e 24 de agosto no Parque da Água Branca (zona Oeste de São Paulo) pela Associação Cultural dos Provincianos de Kochi e...
ESPECIAL: Festival do Japão atinge maioridade e ce... O Festival do Japão atinge sua maioridade cercado de expectativas. Realizado pelo Kenren (Federação das Associações de Províncias do Japão no Brasil) ...
EXPOSIÇÃO ‘Depois do fim, o cotidiano”, de Marcos ... Exposição de fotografias narra histórias de superação em Hiroshima e Nagasaki, após as bombas atômicas   A Fundação Japão em São Paulo apoia ...
O ESPÍRITO DO BUDÔ: Fundação Japão promove mostra ... A Fundação Japão promove, até o dia 21 de junho, a exposição O Espírito do Budô – A história das artes marciais no Japão, na Cinemateca Brasileira. In...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *