FESTIVAL DO JAPÃO: Michel Temer, Geraldo Alckmin e José Serra visitam o último dia do Festival

Domingo, encerramento da 15ª edição do Festival do Japão, evento organizado pelo Kenren (Federação das Associações de Províncias do Japão no Brasil) e que teve início na sexta-feira no Centro de Exposições Imigrantes (zona Sul de São Paulo), o dia foi bastante agitado. Pela manhã, por volta das 11 horas, o Festival recebeu uma visita ilustre: o vice-presidente da República, Michel Temer, que esteve no local a convite do deputado estadual Jooji Hato (PMDB), e seu filho, George Hato, candidato a vereador pelo mesmo partido.

 

Michel Temer discursa no palco principal do Festival do Japão ao lado de representantes da Comissão (foto: Aldo Shiguti)

 

Sempre simpatico,Temer cumprimentou a todos (foto: Aldo Shiguti)

 

Principal líder do PMDB, Temer andou tranquilamente pelo evento, tomou café no estande da Associação de Beneficente e Cultural Miyazaki e, sempre paciente, cumprimentou os visitantes. No Pavilhão Cultural e de Esportes, mostrou interesse pelos carros elétricos. Parou no estande da Mitsubishi e ouviu explicações sobre o i-Miev, o primeiro modelo elétrico produzido por uma grande montadora em larga escala. Passou depois no estande da Toyota e conferiu o motor do Prius, veículo híbrido compacto da Toyota movido a gasolina e electricidade e que deve ser lançado no Brasil no segundo semestre de 2012.

 

O vice-presidente da Repúblico parou para tomar café (foto: Aldo Shiguti)

 

Temer ao lado de voluntários do Festival do Japão (foto: Aldo Shiguti)

 

Em entrevista exclusiva ao Jornal Nippak, disse que o Brasil deve muito aos imigrantes japoneses. Lembrou que também é filho de estrangeiros – de origem libanesa – e afirmou que “o Brasil chegou onde chegou graças a contribuição dos imigrantes japoneses”. O vice-presidente da República citou como qualidades dos japoneses a “disciplina extraordinária” e a “tecnologia avançadísssima”. “O Japão é um exemplo para todos os povos”, disse Temer, acrescentando que, “porisso nos irmanamos no meio deste Festival que mostra a grande integração entre o Brasil e o Japão”, disse, garantido que no próximo ano fará questão de convidar a presidente da República Dilma Rousseff (PT) para estar presente. Em seguida, saiu do local levando consigo pastéis e um prato de ichigo.

 

Temer verificou o motor do Prius no estande da Toyota (foto: Aldo Shiguti)

 

O vice-presidente da República no estande da Associação Akita (foto: Aldo Shiguti)

 

Alckmin e Serra – Pouco tempo depois, formou-se um alvoroço no portão principal. Era o governador Geraldo Alckmin (PSDB) e o candidato a prefeito José Serra (PSDB) que acabavam de chegar. Desta feita, a visita foi concorridíssima, com muito empurra empurra por onde os dois passavam. Na caminhada até o palco principal, onde Alckmin falou para o plateia, paradas para as tradicionais fotos e afagos em crianças. No estande do Kenren (Federação das Associações de Províncias do Japão no Brasil) – entidade organizadora do evento –, Serra tomou saquê.

 

Alckmin também discursou para a plateia do Festival do Japão (foto: Aldo Shiguti)

 

Em sua “escolta”, o ex-deputado federal William Woo, o vereador Aurélio Nomura (PSDB) e o candidato a uma vaga na Câmara Municipal de São Paulo, Victor Kobayashi (PSD). No palco principal do Festival do Japão, Alckmin disse que o Festival do Japão “é uma festa que todos esperam”. “Aqui estão 47 províncias trazendo suas histórias e a gastronomia regional, aproximando ainda mais os dois países”. “É um dos grandes eventos do Estado de São Paulo e muito importante no aspecto econômico, social e cultural. E nós ficamos muito felizes e orgulhosos de termos a maior comunidade japonesa do Brasil”.

Respondendo a uma pergunta da repórter do Festival do Japão sobre “o que o cidadão Alckmin mais valoriza na cultura japonesa”, o governador disse que valoriza “o amor ao trabalho, a disciplina e a família”. “São valores permanentes que nós aprendemos permanentemente”, destacou. À mesma pergunta, Serra explicou que “valorizo muitas coisas, como o trabalho, a capacidade de estudar, a importância que os japoneses dão ao ensino, a inovação, a persistência e a delicadeza da cultura, além do apreço pelos jardins e a sensibilidade”.

 

Serra tenta tirar foto de jornalistas que cobriam a visita (foto: Aldo Shiguti)

 

Indagado pela reportagem do Jornal Nippak sobre de que forma eventos como o Festival do Japão podem contribuir para aproximar ainda mais os dois países, Alckmin disse que “a aproximação se faz entre os países e entre os estados subnacionais”. “Então, a presença das províncias e das famílias neste Festival é o caminho para fortalecer ainda mais as relações entre o Brasil e o Japão”.

 

 

Parceiros nikkeis – Na “mini” coletiva, José Serra falou sobre seu programa de governo, em especial as ciclovias, e respondendo ao Jornal Nippak disse que já tinha visitado o Festival do Japão quando o evento ainda era realizado no estacionamento da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo. “Acho que tem muita festa japonesa bonita, mas o Festival do Japão é o ponto máximo. É extremamente bem organizado e tem uma importância cultural, uma importância de lazer e também uma importância econômica uma vez que aqui são mostrados produtos de origem japonesa”.

Ele próprio se estendeu: “E tem mais. O que a gente vê aqui hoje é que, na verdade, é uma festa nipo-brasileira porque muitas das pessoas que trabalham no Festival não são japoneses mas estão integrados à cultura japonesa”, completou o candidato tucano, afirmando que “as relações entre os dois países podem ser melhoradas incentivando e multiplicando eventos como esses”.

 

Alckmin posa para fotos com visitante (foto: Aldo Shiguti)

 

Questionado pelo Jornal Nippak como era ter em equipe políticos como o deputado federal Walter Ihoshi (PSD-SP), o vereador Aurélio Nomura (PSDB) e o fundador do Instituto Paulo Kobayashi, Victor Kobayashi, Serra afirmou que “é muito bom”.

“Do Victor, somos companheiros de muitos anos, por tabela, porque éramos amigos muito próximos eu, o Alckmin e tantos outros, do Paulo Kobayashi. E o Aurélio Nomura é parceiro de longas jornadas. Enfim, trabalhamos todos muito integradamente”.

 

No estande do Kenren, o canadidato tucano brindou com saquê ao lado de Kobayashi (foto: Aldo Shiguti)

 

Para o presidente do 15º Festival do Japão, Nelson Maeda, as visitas do vice-presidente da República, Michel Temer, do governador Geraldo Alckmin e do ex-ministro José Serra, “foram o ponto alto do Festival do Japão”.

 

Valorização – “A vinda deles valorizou demais a nossa festa. Sempre convidamos, mas ficamos na dependência da agenda deles por isso ficamos surpresos. Isso dignifica o evento e mostra a todos a importância do Festival do Japão, que está inserido no Calendário Oficial Turístico do Estado e do Município de São Paulo, e das festas que comemoram os 104 anos de imigração japonesa no Brasil”, comemorou Nelson Maeda.

 

(Aldo Shiguti)

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

Início do plantio no Bosque do Kizuná em memória à... Com uma cerimônia xintoista, teve início o plantio do Bosque do Kizuná no dia 17 de março uma iniciativa da Associação Brasiliera dos Imigrantes Japon...
EMPRESAS: “Papo em Família” é o novo empreendiment...   Ambev lança em parceria com a Mauricio de Sousa Produções “Papo em Família”  (foto: Luci Judice Yizima)     De olho nos ...
CAMPINAS: 13º FESTIVAL DO JAPÃO DE CAMPINAS ESPERA... O Instituto Cultural Nipo-Brasleiro de Campinas realiza neste fim de semana (10 e 11), em sua sede, no Jardim Guanabara, em Campinas (SP) a 13ª edição...
110 ANOS DA IMIGRAÇÃO JAPONESA: Com logomarca, Com... Em cerimônia que contou com a presença do professor Kokei Uehara, que presidiu a Associação para Comemoração do Centenário da Imigração Japonesa no Br...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *