HAICAI BRASILEIRO

Jornal Nippak publica aqui os haicais enviados pelos leitores. Haicai é um tipo de poema que se originou no Japão. Seu maior expoente é Matsuo Bashô (1644-1694). O haicai caracteriza-se por descrever, de forma breve e objetiva, aspectos da natureza (inclusive a humana) ligados à passagem das estações. Hoje, no mundo inteiro, pessoas de todas as idades e formações escrevem haicais em suas línguas, atestando a universalidade dessa forma de expressão.

Envie seus haicais (no máximo três de cada tema sugerido) digitados ou em letra legível, com nome (mesmo quando preferir o uso de pseudônimo), endereço e RG.

Cada pessoa pode participar com apenas uma identidade.

A seleção dos trabalhos é feita pelos haicaístas Edson Kenji Iura Francisco Handa.

Envie suas cartas para:

Haicai Brasileiro

A/C Jornal Nippak

Rua da Glória, 332

CEP 01510-000 São Paulo-SP

E-mail: jornaldonikkey@yahoo.com.br

Cc. ashiguti@uol.com.br

 

 


 

A Natureza como recriação (1)

 

Um haicaísta deve ser um interessado em assuntos relativos à Natureza. Por isso, ele se coloca como um observador persistente da impermanência que acontece nela. A respeito, trata-se dos fatos que ocorrem durante as quatro estações. Esta é a maneira ensinada por Shiki Masaoka e transmitida a Kyoshi Takahama e deste a Nenpuku Sato que, como imigrante, chegou às terras meridionais do Brasil. A forma que compomos, de acordo com esta tradição, é a de H. Masuda Goga (aluno de Sato), que ensinou aos membros do Grêmio Haicai Ipê. De alguma forma, todos somos filhos e netos do Grêmio Haicai Ipê.

Não se trata de imitar os japoneses, mas em descobrir a Natureza brasileira através dos sentidos. Assim fizeram também os clássicos japoneses em relação à Natureza japonesa. Para isso, os haicaístas brasileiros devem descobrir o que é esta Natureza. Aguçar os sentidos e penetrar fundo nos acontecimentos, sejam eles os fenômenos físicos como o “início de outono”, o “caqui”, o “dia das mães”, a “névoa”, a “chuva de primavera”, o uso do “cachecol”, o “natal”, e assim por diante. Estas palavras são denominadas de Kigô, quer dizer, palavra da estação.

 

 

FRANCISCO HANDA

FRANCISCO HANDA

chicohanda@yahoo.com.br
FRANCISCO HANDA

Últimos posts por FRANCISCO HANDA (exibir todos)

     

     


    TEMAS DE MAIO

     

     

     

    Prenúncio de Inverno – Inhambu – Milho

    piado no mato –

    voa assustado o inhambu

    ao latir do cusco

    Amauri Solon

    Rio de Janeiro, RJ

     

    Reunião de amigos…

    o cheiro de milho assado

    dá água na boca.

    Benedita Azevedo

    Magé, RJ

     

    o dia amanhece

    por todo campo plantado

    cantam inhambus

    Carlos Viegas

    Brasília, DF

    ao cair da tarde

    inhambu pia no terreiro

    natureza em prece

    Débora Novaes de Castro

    São Paulo, SP

     

    Surpresa na moita –

    A ninhada no chão firme.

    Pios de inhambu

    Irene M. Fuke

    São Paulo, SP

    A jovem apressada

    cobre e esfrega os ombros nus –

    prenúncio de inverno.

    João Krefer

    São Paulo, SP

     

    prenúncio de inverno

    as roupas no varal têm

    cheiro de guardadas

    José Marins

    Curitiba, PR

    Menino inquieto –

    Saindo do caldeirão no fogo

    Milho quentinho.

    Kazue Yamada

    São Paulo, SP

     

    No pequeno roçado

    o brinquedo das meninas –

    Bonecas de milho.

    Mahelen Madureira

    Santos, SP

     

    Na minha janela

    o sol mais arredio –

    Prenúncio de inverno.

    Mario Isao Otsuka

    São Paulo, SP

     

    Prenúncio de inverno –

    migraria para o norte

    se eu tivesse asas

    Neide Portugal

    Bandeirantes, PR

     

    Roupas do varal

    Cheirando a naftalina –

    Prenúncio de inverno.

    Reneu Berni

    Goiânia, GO

     

    com o pai doente

    a casa fecha mais cedo –

    prenuncio de inverno

    Rose Mendes

    Ilhabela, SP

     

    Panela no fogo,

    vovô faz milho cozido –

    Aroma de infância.

    Sandra Hiraga

    Umuarama, PR

     

    Um nó na garganta

    ao pio do inhambu –

    Saudade de casa

    Seishin

    São Paulo, SP

     

    Pés de milho

    Dançam ao som do vento

    Verdes e verdes…

    Yone

    São Paulo, SP

     

    Canta o inhambu –

    Lembro que a vida começa

    e um dia termina.  

    Yun Hai

    São Paulo, SP

     

    Corre o rio do tempo…

    Em tantos rostos tristonhos

    prenúncio de inverno.

    Zekan Fernandes

    São Paulo, SP

     

     

     

    Temas de junho (postar até 10 de maio)

    Dia de São João – Canjica – Acácia-mimosa

    Temas de julho (postar até 10 de junho)

    Serra de inverno – Brócolis – Vento uivante

     

    Related Post

    17º FESTIVAL DO JAPÃO/ESPECIAL: 17ª edição supera ...   Cercado de expectativas não só pelas dificuldades geradas com a mudança de administradores do espaço mas também por ser um ano atípico – coi...
    SÃO BERNARDO DO CAMPO: ‘Japão em São Bernardo’ esp... A União das Associações Nipo-Brasileiras de São Bernardo do Campo, entidade que reúne quatro associações – União Cultural Nipo-Brasileira de São Berna...
    SOCIAL: Mariko Nakahira de despede do Brasil   Em 01 de outubro amigos da cantora japonesa Mariko Nakahira promoveram jantar de despedida no Restaurante Taizan, no bairro da Liberdade em ...
    KOUHAKU: 19º Grand Kouhaku The Friends acontece ne... Os 58 cantores – sendo 29 homens e 29 mulheres – participam neste domingo (20), a partir das 10 horas, no Grande Auditório do Bunkyo (Sociedade Brasil...

    Faça seu comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *