HAICAI BRASILEIRO

Jornal Nippak publica aqui os haicais enviados pelos leitores. Haicai é um tipo de poema que se originou no Japão. Seu maior expoente é Matsuo Bashô (1644-1694). O haicai caracteriza-se por descrever, de forma breve e objetiva, aspectos da natureza (inclusive a humana) ligados à passagem das estações. Hoje, no mundo inteiro, pessoas de todas as idades e formações escrevem haicais em suas línguas, atestando a universalidade dessa forma de expressão.

Envie seus haicais (no máximo três de cada tema sugerido) digitados ou em letra legível, com nome (mesmo quando preferir o uso de pseudônimo), endereço e RG.

Cada pessoa pode participar com apenas uma identidade.

A seleção dos trabalhos é feita pelos haicaístas Edson Kenji Iura Francisco Handa.

Envie suas cartas para:

Haicai Brasileiro

A/C Jornal Nippak

Rua da Glória, 332

CEP 01510-000 São Paulo-SP

E-mail: jornaldonikkey@yahoo.com.br

Cc. ashiguti@uol.com.br

 

 


 

A Natureza como recriação (8)

 

Não tem de haver uma forma única que sirva de modelo para a composição de haicai. No meu caso, desenvolvi nos anos de prática uma maneira peculiar que serve para mim. Acho que isso acontece também com os outros haicaístas. De qualquer forma, para que isso aconteça, é preciso anos de prática, talvez décadas. O primeiro passo para a formação de um haicaísta é a perseverança, que chamo de disciplina. Não somente no haicai, como também em outras manifestações artísticas e literárias. Se levarmos isso em consideração, não se compõe haicai apenas quando surge a vontade ou se acha inspirado para compor. Não deve ser deste jeito.

Talvez seja dificultoso sair à rua para compor um haicai naquilo que se observa de maneira aleatória. É necessário conhecer os kigôs que se manifestam nas quatro estações do ano: suas plantas, florações, clima, fenômenos atmosféricos, etc.

 

 

FRANCISCO HANDA

FRANCISCO HANDA

chicohanda@yahoo.com.br
FRANCISCO HANDA

Últimos posts por FRANCISCO HANDA (exibir todos)

     

     

     


     

     

    TEMAS DE NOVEMBRO

     

     

     

    Novembro – Azulão – Palma

     

     

    ouço o canto triste

    do azulão na gaiola

    lembrança do pai

    Amauri Solon

    Rio de Janeiro, RJ

     

    Final de novembro –

    Os muros da minha rua

    quase sem flores!

    Benedita Azevedo

    Magé, RJ

     

    por todo o jardim

    as flores esmaecidas

    começa novembro

    Carlos Viegas

    Brasília, DF

     

    Manhã de novembro –

    Sob as árvores frondosas

    as cores mais claras.

    Cristiane Cardoso

    São Paulo, SP

     

    Dia amanhecendo

    piado de azulão

    desperta a vovó

    Cyro Mascarenhas

    Brasília, DF

     

    Ao pé da mata

    Azulão e a companheira

    Três ovos no ninho

    Débora Novaes de Castro

    São Paulo, SP

     

    novembro –

    folhas farfalham apáticas

    nas asas da manhã

    Elisa Campos

    São Paulo, SP

     

    Novembro chegou.

    A estação se despede!

    Pétalas ao chão.

    Iraí Verdan

    Magé, RJ

     

    nem brilho nem cor

    como a da primeira flor

    esvai-se novembro.

    Irene M. Fuke

    São Paulo, SP

     

    outra vez novembro –

    os sons do próximo mês

    invadem seu dia

    José Marins

    Curitiba, PR

     

    Em busca de frutos,

    Na figueira com brotos novos,

    Visita de azulões.

    Kazue Yamada

    São Paulo, SP

     

    Novembro chegou –

    Espírito aventureiro

    e malas ao sol

    Madô Martins

    Santos, SP

     

    na terra do vaso

    pedaço de mamão…

    lá vem o azulão!

    Regina Alonso

    Santos, SP

     

    Belas, mas nem tanto,

    Essas flores de novembro,

    Já em despedida.

    Reneu Berni

    Goiânia, GO

     

    mais uma vez

    pintar a campa do pai:

    dias de novembro

    Rose Mendes

    Ilhabela, SP

     

    gaiola de ripa –

    brilho e canto do azulão

    toda a manhã

    Seishin

    São Paulo, SP

     

    Ondulada

    toda a roça plantada

    chuvas de novembro

    Severino José

    Goiânia, GO

     

    Na vida corrida

    levo um susto ao perceber

    que já é novembro.

    Zekan Fernandes

    São Paulo, SP

     

     

    Temas de dezembro (postar até 10 de novembro)

    Margarida – Besouro – Fim de ano

     

    Temas de janeiro de 2018 (postar até 10 de dezembro)

    Bica – Cascudo – Samambaia

     

    Related Post

    MEMÓRIA: Muro da Oficina de Trem da CPTM retrata c... Para os visitantes do Museu da Imigração e moradores do bairro da Mooca, a memória da chegada de imigrantes na capital já começa do lado de fora. O mu...
    COMUNIDADE: Instituição de referência, Aliança cel... Fundada em 17 de novembro de 1956, a Aliança Cultura Brasil-Japão está comemorando 60 anos de trabalho em prol do intercâmbio cultural Brasil-Japão. P...
    POLICIAL: Adolescentes são detidos por morte de en...   A polícia prendeu no último sábado (19) dois adolescentes, um de 16 e outro de 17 anos, suspeitos de participar do assassinato do engenheiro...
    JAPÃO/COMUNIDADE BRASILEIRA: Pintura ajuda jovem a...   André Ryuji Abe Lajes, um adolescente de apenas 13 anos, vem se destacando na arte da pintura. O jovem nikkei tem mostrando talento e chamou...

    Faça seu comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *