HOMENAGEM: Praça Dona Michie Akama ganha monumento e novo paisagismo

 

Neste domingo (25), às 11 horas, quando for descerrada a placa inaugurando o busto de Dona Michie Akama (1903-2005) na praça que leva seu nome (no cruzamento da Av. Domingos de Morais com a rua Luis Gois , no bairro de Vila Mariana), zona Sul de São Paulo, estará sendo realizado um sonho acalentado há mais de 20 anos pela diretoria, professores, ex-alunos, alunos e funcionários do Centro Educacional Pioneiro. Um projeto que teve início com o saudoso deputado federal Diogo Nomura (1920-2005), que fazia parte do Conselho da Fundação Instituto Educacional Michie Akama, mantenedora do Centro Educacional, e concretizado por seu filho, o vereador Aurélio Nomura (PSDB), autor da proposta que deu o nome da fundadora do Pioneiro à praça, em 2007, e também do projeto de revitalização, cujas obras tiveram início em 2013, ano do 110º aniversário de Michie Akama.

 

Inaugurada em 2007, Praca Michie Akama foi revitalizada (foto: divulgação)

 

Com as melhorias, concluídas este mês, além do monumento, a praça ganhou também um paisagismo e piso novos e também acesso para portadores de necessidades especiais. Na ocasião, estará presente o filho de Dona Michie Akama, Antonio Akama. Haverá execução do hino nacional pela banda da Polícia Militar e apresentação dos alunos do Pioneiro.

“Também estaremos distribuindo fôlderes explicando não só sobre a existência da praça, já que a maioria dos moradores da região sequer sabe que a praça existe como também com informações sobre a Dona Michie Akama”, conta o presidente da Diretoria Executiva da Fundação Instituto Educacional Dona Michie Akama, Katuoki Ishizuka.

 

Dona Michie Akama recebeu varias homenegans por sua contribuição a educação (foto: divulgação)

Visionária – Trata-se de uma justa homenagem a quem tanto lutou em prol da educação no Brasil. Nascida no Japão, Michie Akama imigrou para o Brasil em 1930, instalando-se inicialmente em Cafelândia e depois em Registro, a exemplo de outros imigrantes arregimentados para trabalhar na lavoura. Formada em pedagogia pela “Kooto Shihan Gakko”, da prestigiosa “Watanabe Gakuen”, atual “Tokyo Kasei University”, fundou na capital paulista uma primeira escola para moças com o objetivo de capacitá-las para outras opções de trabalho e prepará-las para desempenhar dignamente seu papel como futuras cidadãs e mães de família.

Na época, o único curso profissionalizante que podia ser registrado era o de corte e costura, e assim sendo esta primeira escola chamou-se Escola de Corte e Costura São Paulo, ocupando diferentes endereços no bairro da Liberdade, na Rua Taguá, e depois na Rua Tamamdaré, até instalar-se devidamente no casarão da Rua Vergueiro, onde recebeu o nome de Escola de Corte e Costura Vergueiro, que incluía em seu currículo outras disciplinas como culinária, música, teatro, oratória, idiomas, trabalhos manuais e economia doméstica.

O crescimento da escola exigiu mais espaço e Dona Michie adquiriu um terreno na Vila Clementino onde foi construído um edifício de quatro andares com dormitórios e salas de aula para acolher alunas em regime de internato, vindas das regiões mais distantes de São Paulo, Paraná, Mato Grosso e outros estados.

Publicou vários livros de sua autoria, como “Boas Maneiras no Brasil” (1964), Cronicas “Katarigussa” (Historias inesquecíveis) (1978), crônicas “Katarigussa o Otte” (mais histórias inesquecíveis) (1995), Coletânea de Textos das palestras “Kooen no Tabi” (Conversas itinerantes) (1999).

Em 1971, Dona Michie Akama decidiu transformar sua escola num curso regular aberto a todos, meninos e meninas de todas as origens, criando o Centro Educacional Pioneiro, com Jardim da Infância (Educação Infantil) e curso primário (Ensino Fundamental) confiando sua direção à professora Vera Lucia de Felice.

Para atender à demanda das famílias, no ano 2000 o Centro Educacional Pioneiro recebeu novas instalações como a quadra esportiva e um novo edifício, o que lhe permitiu aumentar o número de classes e introduzir mais um segmento, o Ensino Médio, cuja Direção coube ao professor Fernando Kawahara, ficando a direção geral da instituição a cargo da professora Elza Babá Akama.

Em 2007, com a aposentadoria da professora Elza Babá Akama, o Centro Educacional Pioneiro passou à Direção Geral da professora Irma Akamine Hiray.

 

Guerreira da educação – A trajetória de vida de Da. Michie Akama a situa ao lado dos maiores “guerreiros da educação” e suas realizações foram reconhecidas por inúmeras homenagens como a Medalha José Bonifácio (1967), Medalha e Diploma de Gratidão da Cidade de São Paulo (1973), Ordem do Tesouro Sagrado, do Governo Japonês (1974), Medalha Ana Neri, da Sociedade Brasileira de Educação e Integração (1977), Comenda “Ordem do Ipiranga”, do Governo do Estado de São Paulo (1983), e Homenagem da Universidade de São Paulo (2001).

(com Aldo Shiguti)

 

 

 

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

KARAOKÊ: 20ª edição do Paulistão deve reunir cerc...   Pela primeira vez em toda a sua história, a cidade de Jacareí – localizada na Região Metropolitana do Vale do Paraíba – sediará uma edição d...
EMPREENDEDORISMO: Hatiro Shimomoto visita alunos d...   O empresário fundador da Organização King de Contabilidade, Hatiro Shimomoto, visitou no último dia 3 a turma do último ano de Administração...
COMUNIDADE: Uces organiza 5ª edição do ‘Encontro d...   Em sua quinta edição, o Jantar de Confraternização e Encontro de Políticos Nikkeis e Simpatizantes organizado pela Uces – União Cultural e Esp...
MARÍLIA: 14º Japan Fest começa hoje com inauguraç... Começa hoje, 8, a 14ª edição do Japan Fest, tradicional evento da comunidade nipo-brasileira, promovido pelo Nikkey Marília em parceria com a Prefeitu...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *