IMIGRAÇÃO: Embaixador do Japão prestigia lançamento do livro ‘Do Conflito à Integração’

O lançamento do livro “Do Conflito à Integração –  Uma História da Imigração Japonesa no Brasil – volume II (1941/2008)”, de autoria do professor Shozo Motoyama e do jornalista Jorge Okubaro, no último dia 31, no Museu Histórico da Imigração Japonesa no Brasil, acabou se tornando um evento bastante concorrido, surpreendendo até mesmo os membros da Comissão Editorial formado, além dos autores, por Kazuo Watanabe, Sedi Hirano, Isidoro Yamanaka, Reimei Yoshioka, Tuyoci Ohara, Roberto Nishio e Nagato Hara.

 

Embaixador, membros da Comissão Editorial e presidente do Bunkyo brindam durante lançamento. Foto: Jiro Mochizuki

Embaixador, membros da Comissão Editorial e presidente do Bunkyo brindam durante lançamento. Foto: Jiro Mochizuki

 

Entre os que prestigiaram o lançamento estavam o embaixador do Japão no Brasil, Kunio Umeda; a cônsul geral adjunto do Japão em São Paulo, Hitomi Sekiguchi; o ex-ministro do Superior Tribunal de Justiça, Massami Uyeda, e o jurista Kiyoshi Harada, além da presidente do Bunkyo (Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social), Harumi Goya, e o presidente da Associação para Comemoração do Centenário da Imigração Japonesa no Brasil, professor Kokei Uehara.

 

Ignacio Moriguchi, Uyeda e Kiyoshi Harada. Foto: Jiro Mochizuki

Ignacio Moriguchi, Uyeda e Kiyoshi Harada. Foto: Jiro Mochizuki

 

A lamentar apenas a ausência de Shozo Motoyama, que não pôde comparecer mas enviou uma mensagem lida por Roberto Nishio.

Kazuo Watanabe atribuiu o prestígio ao interesse da comunidade pelo tema e pelo respeito aos autores. Ele explicou que a obra sofreu um ligeiro atraso em razão da dificuldade de se escrever uma história contemporânea. “Nós somos partícipes e testemunhas ao mesmo tempo. Não temos uma distância ideal para fazermos uma avaliação, por isso, a estratégia que encontramos foi a de entrevistar muitas pessoas, 86 para ser mais exato”, disse Watanabe, explicando que “Do Conflito à Integração” é o segundo volume de “Uma História da Imigração Japonesa no Brasil”. O primeiro, “Sob o Signo do Sol Levante”, de Shozo Motoyama, foi publicado em 2011.

 

Renato Ishikawa, Umeda, Hitomi e Mario Ikeda. Foto: Jiro Mochizuki

Renato Ishikawa, Umeda, Hitomi e Mario Ikeda. Foto: Jiro Mochizuki

 

Segundo ele, a série terá ainda duas outras obras, uma sobre “Cultura Japonesa”, sob a coordenação de Tuyoci Ohara, e outra sobre “Temas Controvertidos da História da Imigração Japonesa no Brasil”, sob a coordenação de Sedi Hirano e Jorge J. Okubaro, que serão conduzidas pelo Instituto Brasil-Japão de Integração Cultural e Social.

Em seu discurso, Jorge Okubaro destacou o “privilégio” de integrar a Comissão Editorial. “Não fora esse ambiente de liberdade estímulo à reflexão que caracteriza o trabalho da comissão editorial, eu não teria buscado, na pesquisa e redação das partes que me couberam nesse livro, aspectos novos de fenômenos conhecidos – ou conhecidos a partir de sua descrição de acordo com determinado ponto de vista, eventualmente enodoado por algum viés político”, afirmou o jornalista, que citou como exemplo o caso da Shindo Renmei. Na obra, conta Okubaro, são apontandos elementos que colocam em dúvida a conclusão das autoridades policiais e sugerem que boa parte dos crimes de morte atribuídos à organização foi praticada por inciativa pessoal de seus autores.

 

O professor Kokei Uehara: “lágrimas de felicidade”. Foto: Jiro Mochizuki

O professor Kokei Uehara: “lágrimas de felicidade”. Foto: Jiro Mochizuki

 

Reflexão – Okubaro frisou também que procurou situar o leitor no contexto dos acontecimentos, “trazendo o ambiente urbano, o ambiente paulistano em que se desenrolou essa etapa da história da imigração japonesa”. “São temas do livro, por exemplo, a vida dos imigrantes no bairro da Liberdade, a forte presença japonesa em áreas rurais de São Paulo e a chegada do cinema japonês ao bairro da Liberdade”, explicou, acrescentando que o fenômeno dekassegui, as relações entre o Brasil e o Japão e o futuro do idioma japonês no Brasil são temas igualmente apresentados para reflexão dos leitores.

 

O embaixador Kunio Umeda. Foto: Jiro Mochizuki

O embaixador Kunio Umeda. Foto: Jiro Mochizuki

 

Emoção – Para o embaixador Kunio Umeda, o livro cumpre seu papel não só de registrar os fatos que marcaram a trajetória da presença japonesa no país como também de transmitir a história às novas gerações. Umeda também agradeceu a comunidade pela recepção por ocasião da visita de Suas Altezas, o príncipe Akishino e a princesa Kiko ao Brasil, no ano passado, por ocasião das celebrações dos 120 Anos do Tratado de Amizade, Comércio e Navegação Brasil-Japão, e lembrou de algumas datas “marcantes” a serem comemoradas, como o Centenário da Imigração Japonesa na cidade de Lins, no Noroeste paulista, os 110 Anos da Imigração Japonesa no Brasil, que serão comemorados em 2018, e os 90 anos da imigração japonesa na Amazônia, em 2019. “São datas muito importantes para o fortalecimento das relações bilaterais e esperamos contar com a colaboração das associações destes locais para tornar as datas ainda mais significativas”, disse o embaixador.

Emocionado, Kokei Uehara explicou que o lançamento do livro “encerra-se com brilho todos os projetos programados para a comemoração do Centenário da Imigração Japonesa no Brasil, celebrado em 18 de junho de 2008.

 

Lançamento reuniu mais de 350 pessoas no Museu Histórico. Foto: Jiro Mochizuki

Lançamento reuniu mais de 350 pessoas no Museu Histórico. Foto: Jiro Mochizuki

 

Legado – “Foram mais de 400 eventos realizados em todo Brasil e tive a honra de presidir, desde a sua fundação, em 2003 até os dias de hoje, a Associação para a Comemoração do Centenário da Imigração Japonesa no Brasil”, explicou o professor, afirmando que, com a edição de livros em português e japonês, a associação deixa “à posteridade um importante legado histórico sobre os primeiros cem anos da imigração japonesa no Brasil, perpetuando uma história cheia de vicissitudes, tristezas e lágrimas, mas também, e principalmente, repleta de muitas vitórias, sorrisos e lágrimas, agora, de felicidades”.

 

ALDO SHIGUTI

ALDO SHIGUTI

Redator-chefe
ashiguti@uol.com.br
ALDO SHIGUTI

Últimos posts por ALDO SHIGUTI (exibir todos)

     

     

     

    Related Post

    BRASIL-JAPÃO: Visita de premiê japonês ao Brasil ...     O primeiro-ministro japonês Shinzo Abe desembarcou na quinta-feira (31) em território brasileiro para uma visita oficial de três d...
    SILVIA IN TOKYO: POR QUE O KOUHAKU É TÃO IMPORTANT... O PROGRAMA DA NHK TEM 66 ANOS DE TRADIÇÃO     66º Kouhaku Utagassen. Foto: cinemacafe.net   Numa época em que os programa...
    NEGÓCIOS: Governador do AP se reúne com empresário... O governador do Amapá (AP), Waldez Góes (PDT), esteve em São Paulo no último dia 18 com a missão de apresentar a empresários e industriais novos negóc...
    SOCIAL: Sakura Matsuri (Festival das Cerejeiras) d...   Festival – Sábado (6) de sol levou muita gente a São Roque, no interior de São Paulo para prestigiar o Sakura Matsuri (Festival das Cerejeir...

    Faça seu comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *