JAPAN HOUSE SÃO PAULO: Kengo Kuma apresenta ‘Eterno Efêmero’ e presenteia Bunkyo com artigo sobre o Pavilhão

Inaugurada nesta terça-feira, 18, a exposição Kengo Kuma – Eterno Efêmero, segunda mostra exibida pela Japan House São Paulo, traz a essência do trabalho de um dos arquitetos mais inventivos do Japão. Responsável pela reforma do prédio que abriga o centro cultural na Avenida Paulista, Kuma assina outros inúmeros e grandiosos projetos pelo mundo afora, já concluídos ou em andamento, como o Estádio Olímpico de Tóquio para 2020. Este e outros trabalhos podem ser conferidos até 10 de setembro.

 

Kengoi Kuma entrega documento contendo 4 páginas sobre o Pavilhão Japonês para Harumi Goya. Foto: Jiro Mochizuki

 

A exposição ocupa o andar térreo da Japan House São Paulo. Entre os trabalhos apresentados, estarão três construções do arquiteto – Fuan, Tsumiki e Cobogó Pavilion. Na segunda-feira, 17, o próprio artista explicou cada uma delas aos jornalistas e se disse “feliz” por ter tantas obras expostas em um só local. Segundo o artista, a exposição foi criada especialmente para a Japan House São Paulo com a ajuda do curador Marcelo Dantas e da presidente da JHSP, Ângela Hirata.

De acordo com Kuma,  Fuan é uma casa de chá feita a partir de um enorme balão flutuante, coberto por um tecido extremamente leve que pesa apenas 11g por metros quadrado e que, de acordo com a lenda japonesa, está presente na túnica celestial de um anjo. Este projeto, conta, permite o deslocamento pelo vento e ser levado para onde quiser.

O Tsumiki é um conjunto de peças de madeira que se encaixam como um brinquedo de montar e pôde ser visto no palco do concerto de Jun Miyake e Ryuichi Sakamoto no Auditório do Ibirapuera, evento que celebrou a inauguração da JHSP.

Projetados principalmente para crianças, são feitos em cedro de 7mm de espessura e com design capaz de criar diferentes arquiteturas, possibilitando a construção de formas flexíveis.

Durante todo o período da mostra, haverá tsumikis menores para brincar no Jardim Japonês, no térreo da casa. Já o Cobogó Pavilion é uma escultura permanente inspirada no cobogó brasileiro, elemento construtivo vazado criado no Recife nos anos 30 e batizado com a junção da primeira sílaba dos sobrenomes de seus criadores, os engenheiros Amadeu Oliveira Coimbra, Ernesto August Boeckmann e Antônio de Góis. A obra ficará exposta no Sotodoma e, ao final da exposição, será transferida para uma praça no Jardim Europa, na cidade de São Paulo. Um leilão está sendo organizado pela JHSP para o transporte da instalação.

 

Kuma apresenta exposição na JHSP e presenteia Bunkyo com texto sobre Pavilhão. Foto: Jiro Mochizuki

 

Pavilhão – Antes da abertura para convidados, Kengo Kuma entregou um documento de quatro páginas sobre o Pavilhão Japonês escrito por ele para a presidente do Bunkyo (Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social), Harumi Goya, como forma de “agradecimento”. No documento, Kuma fala sobre sua admiração àquele que é considerado “o mestre dos seus mestres” e responsável pelo projeto do Pavilhão Japonês, Sutremi Horiguchi (1895-1984). “Pode-se dizer que foi uma das delicadas construções já arquitetadas pelo autor”, diz um trecho do texto. Kuma lembrou também de uma coincidência acerca de sua admiração por Horiguchi: a obra foi entrege à cidade de São Paulo em 1954, ano que Kuma nasceu.

 

ALDO SHIGUTI

ALDO SHIGUTI

Redator-chefe
ashiguti@uol.com.br
ALDO SHIGUTI

Últimos posts por ALDO SHIGUTI (exibir todos)

     

     

     

    Kengo Kuma – Eterno Efêmero

    Quando: Até 10 de setembro

    Onde: Japan House São Paulo (Av. Paulista, 52 – térreo)

    Horário de funcionamentoTerça-feira à Sábado: das 10h às 22h. Domingos e feriados: das 10h às 18h

    Entrada gratuita

    Confira a programação no www.facebook.com/JapanHouseSP/

     

     

    Faça seu comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *