JORGE NAGAO: “Aécio Néscio” by Sussa + Ruas da Liberdade 2

( Estava pensando em escrever sobre o fim da carreira de Aécio Neves, quando recebi por e-mail este texto do amigo Susumu Yamaguchi, o Sussa. Pedi autorização para publicar nesta coluna e ele concordou. Arigathanks, my friend!)

 

” Aécio Néscio” by Sussa

 

Aécio, quantos milhões você pediu pro Joesley? Tuitado por @yurilopes.

 

Presidindo o julgamento do impedimento da presidenta Dilma Rousseff em agosto de 2016, o ministro do STF Ricardo Lewandowski concedeu “a palavra ao senador Aécio Néscio”, mas se corrigiu imediatamente.

 

No dicionário Houaiss, a palavra néscio tem as seguintes acepções:

1      que ou aquele que é desprovido de conhecimento(s), de discernimento; estúpido, ignorante

2      que ou aquele que não tem aptidão ou competência; incapaz, inepto

3      que ou o que é desprovido de sentido, de coerência; absurdo

 

Diante das recentes divulgações das práticas e linguajar escusos de Aécio Neves, somos convidados a contemplar a limpidez daquele ato falho de Lewandowski e alguns versos do Poema de sete faces, de Carlos Drummond de Andrade:

Quando nasci, um anjo torto
desses que vivem na sombra
disse: Vai, Carlos! ser 
gauche na vida.

(…)

Mundo mundo vasto mundo,
se eu me chamasse Raimundo
seria uma rima, não seria uma solução.

 

No presente caso também seria uma rima, e também não seria uma solução. Mas o espírito da palavra revelaria, em Aécio Néscio, uma perfeita identificação entre ação e nominação.

E poderia também indicar, através de anjos tortos, um caminho para expor as demais coisas obscuras ao rigor da plena luz.

 


 

 

Ruas da Liberdade 2

 

Guilherme de Almeida: nome do viaduto que homenageia o grande poeta que difundiu o haicai no Brasil. Foi fundador e primeiro presidente da Aliança Cultural Brasil- Japão, em 1956.

José Getúlio: o Dr José Getúlio Monteiro nasceu em Taubaté-SP, em 1860, e faleceu no Rio de Janeiro em 1953. Foi secretário de Justiça do governo Campos Sales (1898-1902).

Lavapés: lembra o hábito antigo daqueles que entravam na cidade, pela baixada da Glória, de lavar os pés no córrego que lá havia.

Lourenço da Cruz: encontrei o Lourenço Menandro da Cruz, um paraibano que viveu em Governador Dix-sept Rosado, segundo o professor José Romero Cardoso.

Liberdade: avenida que recebeu este nome por ser o caminho  dos escravos fujões. Li em algum lugar por isso tomo a Liberdade de copiar aqui.

Liberdade: a praça era conhecida como largo da Forca por causa dos enforcamentos que ocorriam ali no séc. XIX.

Miguel Teles Junior: homenagem a Miguel Telles Junior, economista e comerciante. Pioneiro industrial, trouxe muitas benfeitorias ao bairro.

Mituto Mizumoto: fundador e editor do São Paulo Shimbum, fundado em 1946.

Nilo: provavelmente se refere a Nilo Peçanha, presidente do Rio de Janeiro, em 1906. Foi vice-presidente de Afonso Pena e chegou à Presidência com a morte de Afonso Pena (1906-1909). É considerado o primeiro presidente mulato do Brasil.

Paes de Andrade: Manuel de Carvalho nasceu em Pernambuco em 1774 ou 1780 e morreu no Rio de Janeiro, em 1855. Foi presidente da província de Pernambuco. Não confunda com Antonio Paes de Andrade aquele deputado que era presidente da Câmara e, na ausência do presidente e do vice, transferiu a sede do governo para a sua cidade natal, Mombaça-CE, em 25 de fevereiro de 1989.

Paulo Orozimbo: Paulo Orozimbo de Azevedo, autor do livro Repertório Sintético da legislação postal brasileira, editora Typografia Guarany, de Maciel e Filhos, 1898.

Pirapitingui: colônia-asilo no caminho entre Itu e Sorocaba. Atualmente é o Hospital Dr. Francisco Ribeiro Arantes. Foi um grande leprosário chegando a abrigar 5 mil pacientes.

Pólvora: largo que era conhecido como Bairro da Pólvora, graças à Casa de Pólvora, construída em 1754 no atual Largo de mesmo nome.

Scuvero: nihil. Só encontrei o Dr. Marcos Scuvero, psiquiatra, num romance do books.google.com.br. Alguém sabe?

Sebastião Carneiro: encontrado um médico Dr. Sebastião Carneiro, de Guaratinguetá-SP, famoso orador fúnebre da cidade. Citado pelo Dr. Carlos Lacaz, pai do artista/inventor Guto Lacaz?

Taguá: nome tupi para barro. Nome de localidades na Bahia, em Minas Gerais, Paraná e Rio Grande do Sul. Rua de muitos botecos, tem água no nome.

Tamandaré: Joaquim Marques de Lisboa, o Marquês de Tamandaré, patrono da Marinha do Brasil. Marques é Marquês. Ficou muito conhecido por ter sua foto estampada na nota de um cruzeiro, nos anos 60. Chico Buarque compôs a canção Tamandaré, que foi censurada. Os  dias eram assim.

Tenente Azevedo: Homenagem ao Tenente Urbano de Azevedo, vereador por São Paulo, falecido em 1922.

Vergueiro: Seu nome é uma homenagem a José Vergueiro, responsável pela construção da variante da  Rodovia Caminho do Mar, a  Estrada do Vergueiro,  que em seu trecho paulistano coincide com a referida rua.

 

 

Related Post

LEGISLAÇÃO com FELÍCIA HARADA: Do Simples Doméstic... (Resolução 780, de 24 de setembro de 2015)   A Lei Complementar nº 150/2015, regulamentou os direitos dos empregados domésticos e ao institui...
MEMAI: NOVA EXPOSIÇÃO DE HARUO OHARA NO IMS       Até 08 de setembro, o Instituto Moreira Salles do Rio de Janeiro abriga a exposição Haruo Ohara – Fotografias, com 1...
AKIRA SAITO: DOAÇÃO   “Quando doamos algo de nós a alguém, de forma sincera e sem interesses, o crescimento da alma se faz constante e sem limites” Todos nós t...
CANTO DO BACURI > Francisco Handa: Pastel da Madal...   Nada havia de melhor naquela feira-livre, sempre às quintas, do que ao final da compra dirigir-se à banca do Pastel da Madalena. Sempre ...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *