JORGE NAGAO: “Até Quando Você Quer Viver?”

 

Você assistiu a este “reality show” exibido no fim de 2012 pelo canal GNT?. O programa causou polêmica. Muitos gostaram mas a blogueira Iara Sindrominha reclamou: – O GNT está brincando de ser Deus!

A vida em São Paulo não é fácil. Trânsito complicado, stress, excesso de compromissos,  refeições caras, tudo isso leva boa parte da população a se alimentar mal, fumar para combater a ansiedade e beber à noite para desestressar.  O corpo, na juventude,  tolera esses pecados mas com o tempo dá sinais de que está sendo maltratado. Hipertensão, diabetes, gastrite, sobrepeso y otras cositas más começam a nos preocupar  e, então, é preciso adotar hábitos saudáveis para combater esses males antes que a nossa saúde pife. E paf!

Os participantes do programa eram jovens entre 30 e 40 anos correndo riscos de vida por conta de uma vida desregrada. Após uma entrevista com a Dra. Marcia Franckevicius, vícios eram constatados, obrigando-os a se submeter a exames de laboratórios que confirmavam os efeitos em seus organismos. Muito sincera, a doutora alertava sobre as doenças que poderiam advir caso não mudassem o estilo de vida. E fazia a pergunta, título do programa:

– Até quando você quer viver?

A resposta oscilava entre 80 e 100 anos. Mas a resposta sobre a expectativa de vida, naquele momento, ficava entre 60 e 70. Muito pouco – comentavam incomodados.

– Como você é jovem, ainda dá tempo para mudar esse quadro. Você se compromete a mudar os seus hábitos?

– Sim, doutora, é claro.

Depois se encontravam com o/a acompanhante e revelavam o susto que tomaram ao saber que, se continuassem naquela toada, teriam uma vida com problemas de saúde além de  causar sofrimento à família.

Assim, por seis semanas, os participantes seguiam a dieta da nutricionista Roseli Rossi e faziam os exercícios físicos sugeridos pelo personal  trainer Beto Rangel. É incrível como eles deixavam de fumar e de beber, cumpriam os exercícios na boa, alimentavam-se saudavelmente, enfim, faziam qualquer sacrifício para viver mais e melhor. Um deles teve uma recaída e bebeu cerveja depois de um mês. A doutora, calmamente, pediu para que ele pegasse um galão de 20 litros de água e o levasse próximo a ela, depois outro, mais outro e mais outro. 80 litros de cerveja, foi essa quantidade de bebida que você deixou de beber, e agora você quer por tudo a perder?- advertia a médica. O paciente, cabisbaixo, desculpava-se e jurava que não mais beberia. Uma outra, fumou depois de quase um mês, ela mostrou um pequeno pote com um material viscoso e explicou que material parecido com aquilo não foi parar no pulmão dela durante aquele período.  E entregou um par de luvas de boxe para ela praticar em vez de fumar. Ela sorriu e agradeceu.

Assim, cumprido o período estabelecido, o paciente retornava à sala da Dra. Márcia, depois de uma nova bateria de exames. E a doutora, sorridente, anunciava: – a sua expectativa de vida que era de 65 anos passou para 77; de 68 para 81; de 63 para 75; e assim por diante. Final feliz, parabéns a todos, pacientes e profissionais envolvidos. Abraços, beijos, sorrisos de vitória.

Evidentemente, apenas foram exibidos os casos dos mais dedicados que, com muita determinação,  venceram os desafios. Imagino que dezenas de candidatos sucumbiram e continuam por aí com os mesmos maus hábitos porque muitos tentam deixar um vício, poucos conseguem, como costuma repetir o Dr. Drauzio Varella.

Talvez a equipe da série “Até quando…” devesse ouvir a blogueira Iara, acima citada. “A Medicina valoriza apenas o corpo e ignora a dor da alma. A dor do corpo perto da dor da alma é desprezível – argumenta ela- corpo e alma estão interligados,  onde um vai o outro vai atrás. Falta às pessoas  o atendimento psicológico”- conclui a blogueira.

É possível que se tivessem um psicólogo na equipe do programa,  o reality teria mais histórias bem sucedidas para contar. Não acredito em Ibope baixo. Foram dezenas de candidatos que tentaram mas apenas esses dez foram os felizardos que conseguiram se superar. Nota dez pra eles.

A série “Até quando você quer viver” prestou um bom serviço. Ficou o recado para os telespectadores: beber com moderação, tentar parar de fumar, comer mais frutas, não abusar de doces e chocolates, se não puder correr ao menos caminhe, controlar o peso, diminuir o consumo de sal, especialmente depois dos quarenta quando a vida começa… a piorar.

Quem tiver o canal Now pode ver todos os episódios, now.

É isso aí, saúde é o que interessa. Então uma nova vida começa: não coma mal à beça,  esforços não meça, porque a vida prega peça, faça promessa de ler  Orígenes e Ivan Lessa. Se precisar, pra Vanessa ajuda peça.

Vai nessa, ora essa, saúde é o que interessa, o resto não tem pressa.

 

 

 

*Jorge Nagao,  além do Nippak e www.nippak.com.br,  também está na constelação do www.algoadizer.com.br.  E-mail: jlcnagao@uol.com.br

 

 

 

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

JOJOSCOPE: Um passeio pela história do Sushi Ilustração de Edomae-zushi Dia 1 de Novembro ficou instituído como o Dia Internacional do Sushi. Mas por que? Isso vem de 1961, quando a Federação...
JORGE NAGAO: Habemus haicaístas Originado do tanca, 31 sílabas, Matsuó Bashô para 17, no século 17. Assim nasceu o haicai. No início do século XX, o haicai chegou de navio em ...
NIPPAK PESCA: Papa-terra (Menticirrhus americanos)   Por *Marcelo Szpilman - Ilustração de Antônio Woyames     Coloração: Dorso e flancos cinzaprateados (variando de acor...
SILVIO SANO > NIPÔNICA: Por que não participar das...   Conforme afirmei na Nipônica anterior à da manifestação do dia 15 de Março, mesmo em meu círculo de amigos tinha um, do tipo “espírito d...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *