JORGE NAGAO: Carta da Cachaça

 

 

 

Maria da Cruz,

Cê Tabúa, Boazinha?

Por décadas, nós, cachaças, fomos estigmatizadas porque os incautos se empapuçavam de vodka ou whisky e não eram chamados de vodkeiros ou whiskeiros, mas, sim, de cachaceiros.

Felizmente, tudo mudou. O degustador da Gota Serena hoje é uma gente Seleta e conhecida como cachacier. Agora não se pede um engasga-gato, mas toma-se uma Providência, uma Atitude, uma Decisão ou um Alívio das Dores. Em dose homeopática, claro; horseopática, jamais!

E não é por nacionalismo barato, mas sim por uma cara Brasilidade. Uma dose de cachaça artesanal chega a ser mais cara que um scotch por sua superioridade no Paladar. Uma dose da colega GRM sai por R$ 32 na Toca do Coelho, na Teodoro, em Sampa, e a Anísio Santiago por R$ 39. É dose, mas o goleiro, que nos engole, paga com gosto.

A cachaça Cabana, de Jaguariúna-SP, famosa por seu rodeio, conquistou, nos EUA, a Double Gold Medal em San Francisco World Spirits Competion 2009, onde 847 destilados de 63 países foram degustados às cegas. Nossos parabéns à bacana colega Cabana. Para agradar os gringos, podemos ser Germana, Canna Schnaps, Saint Hilaire, Wruck e até Weber Haus. Hic!

Somos muito diferentes dessas cachaças industriais, vulgares e baratas, que denigrem nossa imagem no Exterior porque in the day after give dor de cabeça e ressaca. Por isso a mexicana fí-la porque Tequila, como diria o ex-alcaide Jânio Quadros, ganha de 100 a 1 da cachaça. México, aproveite porque vamos virar esse jogo.

Nós, artesanais, somos envelhecidas porém muito gostosas. Românticos, os fãs chamam a gente de Preciosa, Insinuante, Fabulosa, Domna Suave ou Minha Deusa. Não é uma boa ideia sermos ardentes e chiques como nos rotulou a Heloisa Marra, n’O Globo? Nossos rótulos são fashion e os nomes sedutores: Vamos Nessa, Pinga Meu Bem, Chora Rita, Peladinha, Amorycana, Se Sobrá, Damió, Pimba. Rs rs rs.

Modéstia às favas, nós, mineiras, somos imbatíveis. Minas é sinônimo de cachaça, Kátia Sá. Somos bom de serviço, uai! A cachaça é um Trem de Minas, o Espírito de Minas, o Sabor de Minas. Lá em Minas tem Salinas, a capital nacional da branquinha. No ranking da Playboy de 2007, de 20, 07 eram de Salinas. Experimente a Salinas, Saliboa, Salicana, Salivare, Salineira, Saliníssima e, finalmente, a Saideira.

O presidente Lula que nos adora, assinou o decreto 2581, art.92, em 02.l0.2003: “Cachaça é a denominação típica e exclusiva da aguardente de cana produzida no Brasil”. Etanóis!

O Toucano FHC não gostava da gente porque a gente, o passarinho não bebe. Mas nossos amigos bebem pássaros como a Arara, Beija-Flor, Canarinha e Carcará.

Vamos brindar esta Maré Alta, esta Magnífica fase em que estamos. A cachaça, finalmente, é Benvinda em restaurantes finos e hotéis estrelados. Estamos na Academia Brasileira de Cachaça, no Leblon, Rio. Na Universidade da Cachaça, em Moema, São Paulo. E vem aí o imperdível Museu da Cachaça, em Salinas, óbvio, sô!. E a cachaça pinga até nesta Coluninha.

Maria, você viu o que aconteceu em Jaboticabal, interior de SP? Um caminhão abarrotado de 51 tombou na rodovia e o povo saqueou aquilo tudim. Com isso, a nossa música de carnaval, Cachaça, voltou com tudo. Na feliz cidade de Jaboticabal, o povo eufórico canta: – “Cachaça não é água, não/ Cachaça vem do alambique/ E água vem do ribeirão”. Lá em Anápolis-GO, onde o caminhão não chegou, o povo sem-cachaça, sem graça, ouve nas rádios e concorda: “Pode me faltar amor/ Isso eu até acho graça/ Só não quero que me falte a danada da cachaça”.

Chega de blá-blá-blá. Agora, vou cuidar do meu Véio de Minas. A gente se vê no bar onde encontramos os amigos que nos bebem e vivem menos. Menos estressado, menos magoado, menos deprimido, não é “mes”? “Prôcupa” não, que nada está “agarrando”. Tá tudo certim. Tchauprocê!

Rosa Mineira

 

 

 

 

Jorge Nagao

além do Nippak e www.nippak.com.br,  também está na constelação do www.algoadizer.com.br.  E-mail: jlcnagao@uol.com.br

 

 

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

CANTO DO BACURI > Francisco Handa: O medo e o ódio... Dentre as obras literárias cuja característica é a distopia, o inverso daquilo que se denominava utopia, teve importância nos anos cinquenta, quando o...
LINS: Reunião do Wako Fujin Kai de Lins   Recentemente reunida a Diretoria para tratar de diversos assuntos do Departamento. E aproveitou para celebrar o aniversário da Diretora Fum...
CANTO DO BACURI > Mari Satake: Vai passar       O pai acreditava que um bom jeito de incentivar a leitura dos filhos era tendo jornais em casa. Ele próprio era daqu...
MUNDO VIRTUAL: Sites de relacionamento – alg... Esta semana tive minha atenção chamada para uma notícia que envolvia a aplicação de golpes pela internet utilizando sites de relacionamento; de maneir...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *