JORGE NAGAO: CerveJapas

!cid_ii_155c05d713c38d6e

 

As lindas mestiças se encontravam nos eventos de cerveja,  dominados pelos homens, e chamavam a atenção porque não eram recepcionistas, mas, sim, sommelières do primeiro time. Chamadas de Japas Cervejeiras, a aproximação se deu naturalmente. Quem são elas? Com vocês, as cervejapas:

Maíra Kimura, ki mora e trabalha no Rio,  mestra cervejeira e sócia da 2cabeças com Bernardo Couto;

Fernanda Ueno, mestre cervejeira da Colorado, em Ribeirão Preto-SP;

Carolina Okubo, mestra cervejeira da Invictus, também de Ribeirão;

Carolina Oda, colunista do Paladar, do Estadão, somelière, contratada pela CiaTc;

Yumi Shimada, diretora de arte da agência ID, também é sommelière.

De brincadeira, fizeram reuniões e experiências focando na cultura japonesa, e assim nasceu a Wasabiru, uma parceria coma Cervejaria Nacional, point dos cervejófilos em Pinheiros, Sampa.

Wasabiru é uma American Pale Ale, com adição de wasabi, 5, 5% de teor alcóolico e 45 IBU, unidade de amargor. O lúpulo é o japonês Sorachi Ace.

Na comemoração dos 108 anos da imigração, as meninas da Japas Cervejeiras lançaram a cerveja Matsurika, uma Bohemian Pilsener com 5% de álcool e adição de jasmin, a flor dos chás tradicionais do Japão.

Lançaram também, em 26 de junho, a cerveja Gohan, outra parceria com a Cervejaria Nacional, uma Imperial Rice, com 8, de terr)or alcóólico, que leva arroz/gohan na receita.

Essas japinhas danadas não param: quem fica parado é poste, como diz o Zé Simão. Sempre vão ao Japão buscando novidades.

Apesar do grande sucesso que fazer no mercado das “loiras” geladas, elas permanecem em seus empregos originais, não aquela cerveja, rsrs. Trabalhar com cerveja é prazeroso mas não dá tanto $ como se imagina, confidenciam as japas sommelières, só mulheres, de bem com a vida.

Japão, país das cerejeiras.

Brasil, país das cervejeiras.

 

 


 

 

MESOCLISEMOS

 
Mesóclise acontece quando o pronome dá um golpe no verbo e toma posse dele.

Exemplos:

– Sê-lo- ei. Consertá-lo-ei – mesoclisou o interino do golperno.

Já que gosta de mesóclise, neo-Jânio Quadros, então, vamos lá!…

Votar-lhe-íamos? Jamais! Por isso a democracia, golpeá-la-ia cedo ou tarde. A Globo ajudá-lo-ia e a Justiça seletiva apoiá-lo-ia. O golpe consumá-lo-ia e você conseguiu. E agora?

Criticá-lo-emos diariamente. Acusá-lo-emos de golpista.

Chingá-lo-emos sempre de usurpador.

Não temê-lo-emos, Temer, e derrubá-lo-emos, golpista!

Presidente, de fato, não sê-lo-á. O povo descartá-lo-á.

Fora Temer!

 


 

– E o Messi, Macri?

– Fora, Temer!

 


 

– E o Reino Unido, Marcela?
– FORA, TEMER!

E assim caminha a desumanidade.

 

 

JORGE NAGAO

JORGE NAGAO

além do Nippak e www.nippak.com.br,também está na constelação do www.algoadizer.com.br.
E-mail: jlcnagao@uol.com.br
JORGE NAGAO

Últimos posts por JORGE NAGAO (exibir todos)

    Related Post

    CANTO DO BACURI > Francisco Handa   Retorno à cidade de um passado Algum ponto de minha alma nunca deixou a terra em que nasci ainda sopra o vento de outrora pelas ruas que n...
    SHIGUEYUKI YOSHIKUNI: O Vendendor   Estava lá no calçadão fotografando a turma da Zeladoria do Planeta em ação.  Nisso aproxima-se um patrício, já idoso, falando baixinho, como...
    CANTO DO BACURI – Mari Satake: O casaco de t...   Apressada ela sai da estação de metrô. Ouve uma voz que a chama por trás. Ela se volta. O reconhecimento é imediato. Elas se abraçam. No...
    JORGE NAGAO: Aí o Brasil Dançou, Filha! - E aí, mãe, porque todo mundo só fala em 1964? – perguntou Paulinha. - Já, já, te explico, querida.- disse a mãe, AídaTadura. Aí, cinco min...

    Faça seu comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *