JORGE NAGAO: Loucos por Futebol

 

 

Pai santista e filho palmeirense estavam europeando naquela semana da partida entre Barcelona e Real Madrid, o clássico mais charmoso do futebol mundial. Pelo menos 400 milhões de loucos por futebol assistiriam ao jogo pela TV, ou seja, gostariam de estar lá no Camp Lou, digo, Camp Nou. É quase impossível ver um jogo desse: dos mais de 90 mil ingressos, os sócios-torcedores ficam com 90%. O restante é adquirido em uma hora por loucos quem passam a noite na fila da bilheteria.  Mesmo com a lotação esgotada, a agressiva propaganda do jogo das galáxias mexia com a cabeça e coração de cada torcedor.

– Vamos?- o filho perguntou ao pai.

– Esquece – respondeu o consciente pai. Não têm mais ingressos.

– A gente dá um jeito. – acreditava o filho.

A excursão chegou a Barcelona. Enquanto a mãe/mujer não-louca por futebol fazia o citytour, o filho e o marido correram até o estádio do Barcelona na vã esperança de encontrar  ingressos para o jogo histórico. Sim, histórico, porque estreavam no clássico Neymar e Bale, e também os técnicos Tata Martino e Ancelotti fariam o primeiro duelo.

– Quero ingresso pro jogo Real x Barça- pediu o pretensioso palmeirente.

– Barça x Real? – corrigiu a caixa. No tiene más.

Como não havia sequer cambistas no local, visitar o museu do clube catalão serviu de consolo aos brasileuros, brasileiros na Europa.

A fila anda, o mundo gira, e a família desembarca em Madri. Passeando pelo centro da cidade, os boleiros passam por um quiosque que anunciava a venda de entradas para o jogo das galáxias FCB X RM. Incrédulos, a dupla de torcedores que contrariam o ditado popular (o filho de peixe, peixinho não é, é um porquinho…) tinham uma nova chance de ver aquele jogo dos sonhos. Os ingressos custavam mais que o dobro do preço original. O pai desistiu porém o filho estava determinado:

– Quando teremos uma nova oportunidade de ver Neymar x Cristiano? – argumentou. Eu pago o meu ingresso. E desembolsou quase todo o seu dinheuro.

A mãe apoiou o filho e o pai, duro como um pão-duro, rs rs,  acabou convencido de que o sacrifício financeiro valeria a pena. Além dos ingressos, mais euros seriam gastos no retorno a Barcelona, além do hotel etc e tal, laiará laiará, como cantou o Chico em Apesar de você. Um erro não justifica um outro, mas, naquele caso, um euro justificava o outro. E assim, ingressos comprados, a loucura foi consumada. Coisa de louco.

Tudo que estava dando errado, acabou dando tudo certo. Viajaram de trem-bala, curtiram muito o pré-jogo, o jogão FCB 2 x 1 RM, com um belo gol de Neymar, enfim, voltaram muy felizes para reencontrar a mãe/esposa “abandonada”, agora em Lisboa. O Natal chegou em outubro para os boleuros, boleiros na Europa.

Este louco por futebol deseja a todos um Feliz Natal e um Próximo Ano Novo! No próximo ano, pensar sempre no próximo pra gente continuar próximo porque próspero é difícil, porém, que pelo menos seja um ano pró, espero.

 

 

 

Jorge Nagao

além do Nippak e www.nippak.com.br,  também está na constelação do www.algoadizer.com.br.  E-mail: jlcnagao@uol.com.br

 

 

 

 

 

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

AKIRA SAITO: HISSHOU – Vitória Certa   “Aquele que quer vencer, acredita primeiro que já é um Vencedor”     Na Cultura Japonesa, heranças de vários ensinamentos Sam...
ERIKA TAMURA: Bullying ou Iijime   O assunto dessa semana é delicado, e preza pela gravidade e o tabu que envolve o tema: bullying ou como se diz aqui no Japão, iijime. Qua...
AKIRA SAITO: INSENSIBILIDADE HUMANA   “Por que muitas vezes as pessoas acreditam que o interesse próprio é mais importante do que o sentimento dos outros?”   Ultimamente a...
ARTIGO: Queda de braço: Haddad coloca servidores p... Aurélio Nomura*   De um lado estão os engenheiros, arquitetos, agrônomos e geólogos em início de carreira, do outro, os mesmos profissionai...

One Comment

  1. A loucura por futebol, saibam que é genética.
    Eu tenho um louco por futebol em casa, o que prova a tese.
    Beijos, amo voces

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *