JORGE NAGAO: O livro da minha vida

O livro que mudou a minha vida Adolescente eu era quando descobri o livro ” O Homem Medíocre”,

do filósofo José Ingenieros, que descreve o tipo humano mais comum. Depois de ler, decidi que jamais seria um cara medíocre.

A originalidade passou a ser minha meta tanto em minhas filosofias mais baratas que tubaína quanto em meus versos de pés quebrados que jamais foram ao pronto-socorro da poesia.

Até hoje, para parecer menos medíocre, uso apenas pequenas chaves para fugirdos chavões. Percorro caminhos alternativos para evitar o lugar comum. E prefiro me calar a proferir frases feitas.

Quando eu não for criativo e ficar quase mudo, então mudo, pra não ficar mudo, tome meus blá-blá-blá. Imprevisível e distante da obviedade, já tive os meus quinze minutos e quinze segundos de fama e até hoje os meus escritos ainda me proporcionam um pouco de prestígio e chokito.

 

Recomendo a leitura de “O Homem Medíocre” que certamente fará muito bem a você e à sua carreira. Procure no site da iconeeditora.com.br ou no www.estantevirtual.com.br.

 

Eis um trecho da resenha do poeta e professor Francisco Valdo de Albuquerque,  publicado no sinopseliterária.blogspot.com.br.

 

O medíocre e o invejoso, segundo Ingenieros

Acabei de ler ” O homem medíocre” do escritor ítalo-argentino, José Ingenieros. Um livro fantástico, publicado pela primeira vez em Madri em 1913. Embora tenha mais de um século, esse livro continua atual, pois Ingenieros escreveu sobre homens e mulheres sem ideais, pragmáticos, perdidos numa rotina rasa e automática.

Para Ingenieros o homem medíocre é aquele cuja ausência de caracteres pessoais impede que se possa distinguir entre o mesmo e a sociedade, vivendo sem que se note sua existência individual, permitindo que a sociedade pense e deseje por ele.

O homem medíocre é sinônimo de homem domesticado, se alinhando com exatidão às filas do convencionalismo social. A opinião dos outros é o que importa, são os escravos das sombras, vivem para o fantasma que projetam na opinião de seus similares. Porque pensam sempre com a cabeça social e não com a própria, são a escora mais firme de todos os preconceitos políticos, religiosos, morais e sociais.

O homem medíocre associa-se aos milhares para oprimir os que não comungam com a sua rotina.

Para Ingenieros, sem unidade moral não há gênio. Certamente não é gênio aquele que prega a verdade e transige com a mentira; aquele que prega a justiça e não é justo; aquele que prega a piedade e é cruel; aquele que prega a lealdade e atraiçoa; aquele que prega o caráter e é servil; aquele que prega a dignidade e rasteja.

E leia agora um extrato do livro de Ingenieros

“Nesses homens, imunes da paixão da verdade, supremo ideal a que pensadores e filósofos sacrificaram a sua vida, não cabem impulsos de perfeição. Suas inteligências são como as águas mortas: povoam-se de germes nocivos e acabam apodrecendo. Aquele que não cultiva a sua mente, vai direto no sentido da desagregação da sua personalidade. Não desbastar a própria ignorância, é como perecer em vida. As terras férteis tornam-se más, quando não são cultivadas; os espíritos rotineiros povoam-se de opiniões que os escravizam.”

 

JORGE NAGAO

JORGE NAGAO

além do Nippak e www.nippak.com.br,também está na constelação do www.algoadizer.com.br.
E-mail: jlcnagao@uol.com.br
JORGE NAGAO

Últimos posts por JORGE NAGAO (exibir todos)

     

    Related Post

    HAICAI BRASILEIRO O Jornal Nippak publica aqui os haicais enviados pelos leitores. Haicai é um tipo de poema que se originou no Japão. Seu maior expoente é Matsuo Bashô...
    SILVIO SANO > NIPÔNICA: MAIORIDADE PENAL? A votação da madrugada do dia 02 de julho deu 323 votos favoráveis, 155 contrários e 2 abstenções. Como eram necessários ao menos 308 votos a favor pa...
    SILVIO SANO > NIPÔNICA: Símbolos para cada bairro!...     Com as candidaturas às próximas eleições prestes a se definirem, trago aqui uma boa dica a se acrescentar à plataforma de algu...
    JORGE NAGAO: Carta Aberta de um Inadimplente   São Paulo, 19 de julho de 2012 Banco Surreal, Ag. Virtual, Sr. Gerente Geral, Como estou devendo (mais uma dívida) uma resposta às s...

    One Comment

    1. Na vida prática os medíocres quando alcançam o poder vão ao ponto de levar à frente e destruírem tudo quanto tem valor para garantirem os lugares de poder. Pinto Monteiro foi apanhado pelo grupo de medíocres alapados nas Associações que usaram desse poder para aliciar outros medíocres e jogarem o jogo da tomada de poder por dentro. E aos medíocres, por simpatia de mediocrecidades, juntam-se outros medíocres instalados em altos poleiros como foi o caso notório de Cavaco que além de medíocre era mesquinho, medroso, sonso, vingativo e desconfiado o que o tornava facilmente manipulável. O Palma serviu-se disso para ser recebido em Belém quando queria ou entendia fazer acusações em segredo de colegas por manipulação directa do palerma Cavaco. E quem se opunha regendo-se pela Lei e por princípios democráticos era enterrado vivo na praça pública no tandém entre Associações de magistrados e “cm. Até aqui têm ganho o 1º round mas nada assegura que continuem ganhando ou ganhem mesmo o 2º. Parece, vamos ver, as artimanhas (ver caso Centeno) já por si vão ficando com rabos de fora e o modus operandi é cada vez menos convincente o que faz desconfiar o pagode. E à medida que perdem credibilidade todos os medíocres vão tornar-se mais assanhados. Vamos certamente notar tal nos próximos capítulos da “justiça do MP.

    Faça seu comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *