JORGE NAGAO: Picleiro do Pasquim

 

 

Para o casseta Marcelo Madureira, o Pasquim foi uma das bíblias do humor brasileiro juntamente com A Manha, do Barão de Itararé.  Foi o órgão oficial da democracia e da liberdade durante o regime militar onde se abrigaram os melhores nomes da nossa cultura. De Chico Buarque a Tom Jobim, de Henfil a Cony, de Paulo Francis a Niemeyer,  de Vinicius de Moraes a  Sergio Cabral, o pai, não esse governador que está sendo processado por formação de esquadrilha… rs rs ( esse riso que rola na internet também foi criação do Pasquim, quando escreveu risos, nas entrevistas). O velho Pasca revolucionou o jornalismo tupiniquim porque tirou o paletó e a gravata do texto e adotou a linguagem coloquial que está presente na maioria de nossa mídia. Fundado por Tarso de Castro, Ziraldo, Millôr, Jaguar & cia., o Pasquim merece ser estudado pela juventude antenada deste país. Entre os grandes d’O Pasquim, estava o rei das frases Ivan Lessa cuja coluna “Gip! Gip! Nheco! Nheco!” era uma das grandes atrações do jornal. A Editora Desiderata publicou um livro com o nome da coluna com frases publicadas no Pasca entre 1972 a 1977, que gerou a seção PICLES destinada aos discípulos do mestre Ivan.

Participei, como dezenas de picleiros, daquele cantinho da página 2, entre os anos de 1984 a 87. Selecionei alguns picles. Veja que o Brasil não mudou tanto assim. Sirva-se.

1)      Uma rebelião nos cárceres gera um reação em cadeia.

2)      O problema dos transportes públicos não é passageiro.

3)      Mau hálito? Vira essa boca pra lá!

4)      Diálogo, pra eles, é levar a gente na conversa.

5)      Decida: todo santo ajuda.

6)      Sou contra o jejum. E como.

7)      Quando entope o vaso sanitário nem tudo vai por água abaixo.

8)      Candidato sujo merece uma lavada.

9)      Camelô é um desempregado que bota banca.

10)   Quem não gosta de Sampa, bom sujeito não é.

11)   Para se inteirar dos fatos, é preciso ir às quebradas.

12)   Na batalha contra a Aids, a camisinha transformou-se em vara de “condom”.

13)   O que é dos “home”, o jogo do bicho não come.

14)   A trepadeira é uma planta muito sem begônia.

15)   General-presidente rebaixado para cabo eleitoral.

16)   Jânio Quadros, fazendo mé a culpa sobre sua renúncia: – Fí-la porque tequila!

17)   Maluf é um medalhão graças às medalhinhas.

18)   Pugilistas, em greve: – A luta não continua!

19)   Tecnocratas, não desanimais. Animais!

20)   É preciso muitos dólares para se fazer um cruzeiro ($ da época).

 

 

 

Jorge Nagao

além do Nippak e www.nippak.com.br,  também está na constelação do www.algoadizer.com.br.  E-mail: jlcnagao@uol.com.br

 

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

SILVIO SANO > NIPÔNICA: Chapa Dilma/Temer e Imigra... Com o mês de junho se iniciando, Mário reparou que Hiroaki estava muito preocupado com os acontecimentos da comunidade nipo-brasileira devido às comem...
AKIRA SAITO: Educação   “Um homem feliz é aquele que alcança seus reais objetivos, profissionais e pessoais, mantendo a integridade, a moral e a ética inabaláveis” &...
CANTO DO BACURI > Francisco Handa: As sensações ao... As sensações ao alto Por quê sofrer tanto quando Chove em minha vida? Como chovesse somente Em mim Em minha janela aberta Em minha porta que...
MEMAI: ENTREVISTA | LUGAR ALGUM DE ERICA KAMINISHI Por Marília Kubota   Erica Kaminishi é uma desenhista que trabalha com minúcia na repetição de palavras, as quais se transformam em tex...

One Comment

  1. Meu amigo, você sempre nos brindando com essas pérolas ou serão picles? De qualquer forma tem gosto de quero mais. Brigadu.

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *