JORGE NAGAO: Seleções do RD, 75 anos

Seleções do RD, 75 anos

 

Você certamente conhece a revista Seleções do Reader’s Digest. No Brasil, em tiragem, perde apenas para a Veja. É a revista mais lida no mundo. Em 2002, Seleções  tinha 48 edições diferentes em 19 idiomas.

Graças ao conteúdo leve e atraente e um departamento de marketing eficiente, este magazine resiste há 75 anos.

Na infância e juventude, eu lia Seleções. Divertia-me com os Flagrantes da Vida Real, Entre Aspas, Rir é melhor remédio, Piadas da Caserna, Ossos do Ofício, além das histórias emocionantes de superação e o livro do mês. Tenho certeza que o meu gosto pelo humor foi cultivado e consolidado  lendo essa revista. Lembro-me que nos anos 60, comprei numa barraca da feira diversos exemplares dela da década de 40.

Milhares de pessoas, até celebridades, agradecem a esta revista da família por ter adquirido o gosto pela leitura e por ter enriquecido o seu vocabulário,  seção que estava a cargo de Aurélio Buarque de Holanda, o autor do pai dos burros que reinou por muitas décadas.

O escritor Ignácio de Loyola Brandão, numa crônica no Estadão, em 1997, se diz grato à Selê. Ainda lê aquelas edições dos anos 40  e aprecia o estilo enxuto e claro da escrita. Sua seção favorita, Meu tipo inesquecível, certamente o ajudou a escrever várias biografias. Informa que os escritores J.J.Veiga e Ruy Castro passaram muitos anos na redação do magazine.

A revista, que estreou no Brasil em 1942,  pediu depoimentos de assinantes- celebridades. Moacyr Franco, cantor e compositor,  diz que lê a revista toda e seu assunto favorito é a Saúde.

Roberto Dualibi, publicitário fundador da DPZ, morava em Campo Grande-MS. Seu pai, um comerciante, viajava sempre pra Sampa e levava a Seleções para o Roberto. Ele era obrigado a ler e decorar textos literários e até frases e anedotas da revista. Foi seduzido pelos anúncios da revista, encontrando o seu caminho profissional.

Paulo Betti, o ator, quando criança, acompanhava a mãe que trabalhava como empregada doméstica. Na casa, havia uma coleção de Seleções e ele se deliciava com a leitura e guarda um carinho enorme pela publicação.

Pesquisando no Google sobre a Seleções, encontrei uma bela monografia, A Revista Seleções no Brasil, de Munique Alvim Duarte, da UFJF, Universidade Federal de Juiz de Fora- MG, escrita em 2002.

Além dos escritores citados por Loyola Brandão, Munique informa que outros jornalistas, escritores e intelectuais colaboraram com a publicação: Tito Leite, Antonio Callado, Luis Fernando Veríssimo, Fernando Sabino, Pedro Bloch, Jorge Amado e muitos outros.

Nos anos 70, Seleções saiu do Brasil e foi para Portugal com o nome de Selecções mas continuou sendo vendido nas bancas daqui. Retornou ao Brasil em 1995 e retomou o sucesso chegando a vender 500.000 exemplares nos anos seguintes.

Sou do tempo em que, alunos levavam um tinteiro que era colocado num buraco da carteira. Com uma caneta de pau, molhava a pena e escrevia no caderno, em seguida aplicava o mata-borrão para não borrar a folha. O sonho de consumo era a caneta Parker 51 mas era para poucos. A revolução se fez com a chegada da esferográfica que aposentou a caneta de pau e até esquecemos da Parker.

Na semana passada, mais de 50 anos depois, realizei o sonho da caneta tinteiro própria. Adquiri o kit de Seleções 75 anos: a revista especial de aniversário, o livro 75 anos de Humor com Seleções e uma bela caneta tinteiro com a inscrição Seleções 75 anos.

 

Que venham outros 75, Selê!

 

 

JORGE NAGAO

JORGE NAGAO

além do Nippak e www.nippak.com.br,também está na constelação do www.algoadizer.com.br.
E-mail: jlcnagao@uol.com.br
JORGE NAGAO

Últimos posts por JORGE NAGAO (exibir todos)

    Related Post

    ERIKA TAMURA: Ingressos para os jogos do Corinthi...   Eu como corintiana e fã de futebol, morando no Japão, não posso deixar de descrever a correria dos torcedores para comprar ingresso para os ...
    SILVIO SANO > NIPÔNICA: QUEM É CONTRA CICLOVIAS? Eu não!! E olha que há muitos anos não monto em uma bike e, até por isso, nem a tenho. E não sou só eu! Ou melhor, sou apenas unzinho dentre os qu...
    AKIRA SAITO: Respirar   “Uma solução de um problema pode se parecer com uma névoa densa, mas se agir com paciência, ela se dissipara.” Quando nos deparamos com um gr...
    SHIGUEYUKI YOSHIKUNI: Helena Koizumi: uma lenda do... Em primeiro de novembro, ela completa 82 anos. Há uns cinco, foi acometida de Alzheimer. Fisicamente está ótima, mas não reconhece mais ninguém. Às ve...

    Faça seu comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *