JORGE NAGAO: Uber, Didi vem aí! e Entrevista com um taxista

Uber, Didi vem aí!
Em dezembro de 2014, a 99 detinha 59% do mercado, a Easy 29% e Uber apenas 2%.
Dois anos depois, a Uber tem 65%, a 99 caiu para 15% e a Easy tem 8%, informa a
revista Exame deste mês.
Esses números devem mudar muito, com a chegado do grupo chinês Didi Chixing e a
americana Riverwood  novos sócios da 99, que prometem investir 100 milhões de
dólares no grupo brasileiro.
Na China, a Uber saiu do mercado, engolida pelo Didi. O que acontecerá aqui? Como
o transporte público é deficitário nas grandes cidades, a guerra por esse mercado
promissor será mais intensa entre os principais aplicativos. Bom para os passageiros
que se beneficiarão com a queda do preço da corrida e a disponibilidade de carros
atrairão novos clientes.

Entrevista com um taxista
Nos anos 80, “entrevistei” um taxista. (P, passageiro; T, taxista)
P- Como é o seu nome?
T- Passos Dias Aguiar.
P- Como está a situação dos taxistas?
T- Devagar quase baiano. Quem procura ser “livre”, nunca foi motorista de táxi.
Francamente, antes mal acompanhado do que só.
P- Qual  é a causa principal disso tudo?
T- O preço da gasolina, diga-se de passagem. Enquanto o barril de petróleo baixa
o preço no Oriente, aqui sobe. Este não é um país sírio!
P- Sério, o senhor quer dizer?
T- Não, sírio mesmo. Se fosse no Oriente, a coisa seria bem diferente.
P- O senhor gosta do Oriente?
T- Do Oriente? Médio.
P- O problema do táxi, é passageiro?
T- Como passageiro? Há anos, estamos no sufoco.
P- AumentaNdo o preço da corrida, resolve seu problema?
T- Piora. O passageiro já corre da gente, imagina se aumentar o preço.
P- Então, qual é a solução?
T- A solução líquida e certa é o gás.
P- Mas com o gás não há o risco de explosão?
T- Conversa fiada. Na Bolívia, os carros são movidos a gás. Por que aqui não
pode? O que está explodindo é a minha paciência.
P- Que está achando desse desgoverno?
T- Esses condutores da economia são um desastre: vivem atropelando a gente
com o aumento da gasolina.
P- Mais pontos de táxi, resolvem?
T- Nem sempre. Existem pontos pouco concorridos que o taxista acaba dormindo
no ponto.
P- O dono da frota explora vocês?
T- É quase escravidão. Nós somos explorados, ele é frota!
P- O senhor, por favor, quando deu a corrida?
T- 22.
P- Chiii, só tenho 20. Poderia dar dois reais de marcha à ré?
T- ????

JORGE NAGAO

JORGE NAGAO

além do Nippak e www.nippak.com.br,também está na constelação do www.algoadizer.com.br.
E-mail: jlcnagao@uol.com.br
JORGE NAGAO

Últimos posts por JORGE NAGAO (exibir todos)

    Related Post

    CANTO DO BACURI > Francisco Handa: Os que não espe... Os que não esperam As tardes morrem devagar Em que esperar gera tormenta Em quem detesta esperar. Viver é uma grande espera Em que a vida um dia ...
    SILVIO SANO: Ainda uma longa estrada… Qualquer saída do lugar em que se nasce, seja como for, sempre é valiosíssima porque, no mínimo, contribui para o engrandecimento pessoal, mesmo que n...
    AKIRA SAITO: TORNE POSSÍVEL “Impossível é algo que só existe na cabeça daquele que não tornou possível”   No mundo moderno em que vivemos hoje, muitas das coisas corriqu...
    ERIKA TAMURA: A inércia viciosa Uma vez li um artigo do Eduardo Lopes, na página: administradores.com.br, que dizia sobre o círculo vicioso da inércia e a síndrome do sapo na panela....

    Faça seu comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *