KARAOKÊ: Nikkei vence segundo KWC Brasil e vai ao Canadá

Realizado pela TK Produções, no dia 4 de setembro, o segundo concurso KWC Brasil, definiu os representantes brasileiros (um cantor e uma cantora, impreterivelmente) à finalíssima do Karaokê World Championships (KWC) que, neste ano, será realizado em Vancouver, no Canadá. Ao Brasil trata-se da segunda edição, mas o mundial, que já está na sétima, promovido pela KSF Entertainment Group, realizou as anteriores na Finlândia, Tailândia, Estônia, Rússia, Irlanda, Suécia e Singapura.

 

O cantor Joe Hirata presidiu o corpo de jurados. Foto: divulgação

O cantor Joe Hirata presidiu o corpo de jurados. Foto: divulgação

 

As eliminatórias nacionais são realizadas em estabelecimentos de karaokês ou restaurantes-karaokês, podendo participar delas maiores de 18 anos que se considerem cantores amadores, que não sejam patrocinados ou tenham contratos com gravadoras ou produtoras de espetáculos.

Os vencedores são contemplados com passagens e estadas pagas para representar o Brasil nas finais mundiais, com sedes itinerantes, além de prêmios em dinheiro e troféus, dependendo de suas colocações na finalíssima mundial.

 

Bruna Higashi e Michael Douglas e as organizadoras do KWC Brasil, Izabel e Teka. Foto: Osmar Lucas

Bruna Higashi e Michael Douglas e as organizadoras do KWC Brasil, Izabel e Teka. Foto: Osmar Lucas

 

A final brasileira deste ano foi realizada na Casa dos Artistas (Biroska), contando com 20 cantores e 20 cantoras, e tendo como campeões, Michael Douglas e Bruna Higashi. Michael representou São Bernardo do Campo (SP) e Bruna, o bairro de Santana (SP), mas vieram cantores também do Rio de Janeiro, Porto Alegre, Campinas, Americana, Florianópolis e Curitiba. Dois dias após, os campeões foram contemplados com uma aparição no programa Encontro, de Fátima Bernardes, da TV Globo.

 

Sergio Tanigawa. Foto: divulgação

Sergio Tanigawa. Foto: divulgação

 

Dentre os quarenta finalistas, além de Bruna, outros dois nikkeis, Sérgio Tanigawa e Tatiane Takahashi também participaram, mas não foram felizes em suas apresentações, apesar de muito aplaudidos.

 

Tatiane Takahashi. Foto: divulgação

Tatiane Takahashi. Foto: divulgação

 

Os jurados foram Joe Hirata (presidente), João Marcondes (Conservatório Souza Lima), Priscila Freitas (colunista do Diário SP) e Felipe Catão (diretor artístico Restaurante Brooklin).

 

 

 

(Silvio Sano, especial para o Jornal Nippak)

 

 

 

Confira alguns depoimentos

 

Dei liberdade aos jurados, solicitando respeito mútuos e combinei dialogarmos nas dúvidas. Foi o que aconteceu conforme percebi ao longo das apresentações. Por isso me parece que as conquistas foram justas. Ao menos, não houve nem menção de contestação. Parabenizo Bruna e Michael pelas conquistas.. e agora é treinar bastante para bem representarem o Brasil, em Vancouver! E agradeço à Teka e Izabel pela confiança a essa responsabilidade.”

(Joe Hirata, presidente do júri)

 

“Foi uma experiência maravilhosa, com muita emoção e ansiedade. Confesso que não tinha expectativa em relação a ganhar, a não ser chegar à final Brasil. Foi uma surpresa incrível por me trazer mais segurança com a música e ser reconhecido por algo que amo fazer. Agora estou ansioso para representar o País no Canadá onde, com certeza, darei meu melhor.”

(Michael Douglas, campeão masculino).

 

Como tinha participado no do ano passado sem chegar a essa fase, ao desse não tinha nenhuma expectativa de vitória e, por isso, fiquei surpresa e contente com o resultado! Agora é focar no preparo vocal, artístico e também emocional para poder representar bem nosso país, em Vancouver.”

(Bruna Higashi, campeã feminina)

 

 “Apesar das dificuldades econômicas, da crise política e da pouca valorização da cultura pelos nossos governantes, conseguimos superar os desafios e realizar um campeonato de alto nível e democrático, atingindo o objetivo de selecionar os melhores de cada região e termos, nessa final, grandes talentos”

(Teka Barnabé, da TK Produções Artísticas e KWC Brasil).

 

“O Brasil é muito rico em diversidade e culturas e como projeto nacional não podíamos deixar de agregar estilos e linguagens. Por isso abrimos com a Monica Mithie Uezono cantando em japonês e de kimono. Não podíamos falar de karaokê sem voltar às origens, além de reunir pessoas do Brasil todo para cantar e se divertir.”

(Izabel Nori, também da TK).

 

Related Post

SOFTBOL: Seleção Brasileira de Softbol sub-19 emba...   Nesta quarta feira próxima (26)  a delegação da Seleção Brasileira sub 19 de Softbol feminina embarcará rumo à cidade de Brampton,  Toronto ...
SOCIAL: O pianista japonês Makoto Ozone MAKOTO OZONE – A convite da Tucca (Associação para Criança e Adolescente com Câncer), o pianista japonês Makoto Ozone realizou uma única apresentação ...
PIRACICABA-SP: 7ª Festa da Primavera – Mostr...  O Clube Cultural e Recreativo Nipo Brasileiro de Piracicaba, realiza nos dias 14 e 15 de setembro, a tradicional festa mantida pela colônia japonesa,...
FÉ: Brasileira doutrina japoneses à distância A pastora Rita Andrade é autora de dezenas de livros religiosos – um deles foi até traduzido para o japonês como “Inoti Wa Tsuzuku” (A Vida Continua)....

One Comment

  1. Sejam vencedores novamente em Vancouver, Campeões Michael Douglas e Bruna Higashi!!!!

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *