KENDÔ: Confederação Brasileira de Kendô comemora ótimo desempenho no 16º Campeonato Mundial

Nesse dia 26 de junho, sábado, a delegação brasileira de kendô, finalmente, conseguiu se reunir novamente, mas, dessa vez, para comemorar a ótima performance no 16º Campeonato Mundial de Kendô, realizado no Japão, nos dias 29 30 e 31 de maio, pela honrosa terceira colocação obtida pela equipe feminina, dois Honras ao Mérito (à Elzami Miwa Onaka que derrotou uma coreana na disputa por equipes e a Alberto Takayama, por ter tirado um ponto do japonês, também na disputa por equipes), além da marcante apresentação da masculina, que só não foi melhor devido à chave que pegou fazendo com que se defrontasse prematuramente com a, imbatível, japonesa, ao final, campeã do torneio.

 

Equipe feminina assegurou o terceiro lugar por equipes (Foto: divulgação)

Equipe feminina assegurou o terceiro lugar por equipes (Foto: divulgação)

 

“Uma pena porque nossa equipe estava tão forte que superou os três adversários anteriores de forma fácil, mas vendeu caro a derrota frente aos japoneses. Tanto que um de nossos atletas tirou um ponto de seu oponente e outro (Kenji Toida), por muito pouco não empata com outro, que seria uma enorme conquista”, contou, com muito entusiasmo, o presidente da Confederação Brasileira de Kendo, Tadao Ebihara.

“Para essa competição, a equipe fez um treinamento intenso e muito bem elaborado desde a seleção dos atletas, dois anos atrás, e treinando semanalmente nos kaikans de Mie, Kagawa e, principalmente, um ano inteiro, no Centro Olímpico do Ibirapuera, graças ao vereador Aurélio Nomura. Tudo isso, somado à dedicação dos atletas e aos apoios da Fundação Kunito Miyasaka, Grupo Mitsui, Yakult, etc. Foi o que nos possibilitou colher esses bons resultados”, concluiu o presidente.

Para o vice-presidente da CBK, Toshihiko Tsutumi, um imigrante que está no Brasil desde há 12 anos e atualmente reside no Rio de Janeiro, “essas conquistas mostraram ao mundo que já somos uma potência mundial na modalidade, muito acima da média e bem próximo dos maiores, japoneses, coreanos e americanos”.

 

A delegação brasileira que esteve no Campeonato Mundial (Foto: divulgação)

A delegação brasileira que esteve no Campeonato Mundial (Foto: divulgação)

 

O campeonato, que é realizado a cada três anos (o próximo, em 2018, será na Coréia), neste ano, contou com a participação de 56 países e ocorreu no famoso ginásio Nippon Budokan, também chamado de Lar do Kendô e das Artes Marciais Japonesas, construído em 1964, às Olimpíadas de Tóquio. Por isso, nessa confraternização, que ocorreu na Associação Kagawa do Brasil, os atletas brasileiros mostraram satisfação apenas pelo fato de ter podido competir nesse ginásio, conforme bem expressou Tábita Takayama, segunda vez em mundiais, mas que… “no Budokan, a impressão é a do sonho realizado, independentemente de ter caído nas oitavas de finais, ainda mais para a coreana que ficou em terceiro lugar, porque apenas agregou a mais para mim, ao próximo, na Coréia”.

Da mesma forma, seu marido Alberto Takayama, ganhador do Honra ao Mérito, que mesmo sendo sua 4ª participação em mundiais estava satisfeitíssimo e recompensado. “Com minha esposa e outra atleta, Irina, realizamos treinamentos especiais para esse fim nos Estados Unidos e no Japão e ainda desentalei da garganta a derrota no mundial da Itália, frente aos japoneses, que nos tiraram a chance do terceiro lugar. Perdemos, novamente, mas deixamos ótima impressão neles, para não se esqueceremo tão cedo do quanto sofreram em nossas mãos”, concluiu.

 

Competição foi realizada no lendário Ginásio Budokan (Foto: divulgação)

Competição foi realizada no lendário Ginásio Budokan (Foto: divulgação)

 

Já André Fukamizu ficou admirado com a organização japonesa, principalmente no tratamento que receberam. “Ficamos no excelente Centro Olímpico e quando fizemos um treino no Kokushikan, da polícia, além de nos levarem e trazerem de ônibus, carregaram nossa bagagem e na hora de irmos embora, perfilados, nos aplaudiram até o último subir ao ônibus. Emocionante”.

Os debutantes Adrian Yu Yoneda e Yu Tachibana também estavam felizes por essa experiência que mais os estimularam a treinar ainda mais. “Foi uma experiência fantástica, sem dúviuda nenhuma. Esse Budokan é demais. Tanto que mal o campeonato acabou e já estávamos pensando no próximo”.

Assim, em clima de verdadeira festa, a confraternização se realizou, inclusive, com projeção em telão das performances deles na competição, e que contou também com a presença do delegado da polícia federal, Mário Ikeda, que em seu discurso, depois de louvar a conquista deles, contou-lhes sobre a pesquisa que faz da cultura japonesa e que inclui os samurais, tanto na postura como nas vestimentas. Dentre os convidados estavam também o presidente da Associação Mie Ken, Takashi Shimokawa, vice-presidente da CBK e Sérgio Sato, assessor do vereador Aurélio Nomura.

(Silvio Sano, especial para o Jornal Nippak)

 

 

Chefe da delegação: Tadao Ebihara

Coordenadores: Takeshi OMASA , Nelson Kuniji Toida

Técnicos: Alexandre Tadahito EBIHARA (feminine), Willian Shuhei FUJIKURA (masculino)

 

Equipe masculina:

Julio Kenji TOIDA

Ernesto Eisaku ONAKA

Edson Jundi TOIDA

Alberto Massumi TAKAYAMA

Ronaldo Hideyo OMASA

Mauro Tadashi TAKEI

André Setsuo FUKAMIZU

Coichi URANO

Adrian Yu YONEDA

Fernando Eiji TOIDA

 

Equipe feminina:

Elzami Miwa ONAKA

Cristiane Lie TOIDA

Aline Lie KIMURA

Eliete H. Y. TAKASHINA

Marina KODATO

Marcia Miyuki HAYASHI

Vivian Mari OMASA

Lara Yu M. TACHIBANA

Grace Kaori ITO

Tabita M. F. W. TAKAYAMA

 

 

 

 

 

Related Post

KARATÊ: Okinawa Kobudo Jinbukai comemora 10 anos d... A Associação Okinawa Kobudo Jinbukai do Brasil comemorou no último sábado, 2/12, na sede social da AOKB - Associação Okinawa Kenjin do Brasil, no bair...
LINS: Boonenkai no Templo Honpa Hongwanji de Lins   Representantes das entidades e dirigentes do Templo (foto: Shigueyuki Yoshikuni)     Como faz todos os anos, aproveitand...
TÊNIS DE MESA: AMIZADE/INCLUSÃO SOCIAL Desde 1975 ensinando a modalidade, realizando clínicas, palestras e demonstrações em todo o Brasil e mais de 12 países, o tênis de mesa me abriu porta...
NIPPAK PESCA: Julho é sinônimo de férias e, folga ...   Viver na cidade grande tem os seus empecilhos mas também tem muita diversão para todos da família. E não vai ser um friozinho que vai atrapalh...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *