LEGISLAÇÃO COM FELÍCIA HARADA: Mensagem de Natal

 

O fim de ano é uma época de muitas avaliações dos ganhos e das perdas, não só financeiras mas, emocionais, de perda de  pessoas queridas, de nascimentos de outras, de conflitos que existiram, de mal entendidos, de violências, etc.

Mas, o que não podemos esquecer é o marasmo que parece ter atingido a todos. A sociedade, em geral, passou um ano sem esperanças, o desemprego não diminuiu, a violência tornou-se incontrolável. O desânimo como que tomou conta dos cidadãos, que caminham indiferentes ou por ser mais cômodo ou porque é um meio de se poupar .

Em épocas de dificuldades, os conflitos afloram com maior intensidade e maior facilidade. E, conseqüentemente, a sociedade, as empresas e as famílias não ficam imunes a todas essas contingências e dentro delas os conflitos surgem, também, com maior intensidade.

Porém, a vida continua e devemos superar todos os problemas da melhor forma possível. Nunca perder a autoestima, ela é a força que nos faz enfrentar e superar os problemas.

E aproveitemos, a época de Natal, quando festejamos o nascimento de Cristo para fazer renascer as esperanças, voltando nossos sentimentos para o significado real desta data.

As pessoas devem, embuídas no amor e esperança de Deus, avaliar os conflitos por que passaram, indagar, se em tempos de Natal, não é época para esquecerem o que não foi bom e abrirem seus corações para novas esperanças, procurarem remediar o que pode ser remediado e esquecer o que não tem mais conserto. Se assim não o fizerem, o verdadeiro significado da vida se perde no tempo e começarão o ano com sentimentos negativos que, com certeza, trarão outros negativos.

Vamos aproveitar esse momento de confraternização, para perdoar as pessoas que conscientes ou inconscientes nos ofenderam, vamos dar-lhes oportunidade de se redimirem, e, só assim, nós mesmos seremos redimidos por atos, muitas vezes, involuntários que feriram outras pessoas. Vamos agradecer a Deus pela mágica da vida e pela saúde que nos proporciona e a todos que nos rodeiam pela compreensão, solidariedade, amizade, enfim, pelo amor que nos dispensaram. Dessa forma, com o espírito desarmado, podemos  encher o nosso coração de esperanças, sonhos e amor, pois,  assim fortificados, tenho certeza, que estaremos preparados para enfrentar qualquer  adversidade que surgir.

De nada vale a lei ou o direito se o ser humano não se enquadrar na verdadeira acepção da palavra. Se o ser humano perde o que lhe é mais precioso, a dignidade, a honradez, a integridade, a bondade, enfim, o amor a Deus, em si próprio e ao próximo, não há lei que possa socorrê-lo.

 

A TODOS QUE ME ACOMPANHARAM DURANTE ESTE ANO RECEBAM DO MEU CORAÇÃO,  AGRADECIMENTOS PROFUNDOS PELAS OPORTUNIDADES CONCEDIDAS QUE ME ENRIQUECERAM DEVERAS E ESPERO CONTAR COM A PARTICIPAÇÃO DE TODOS NO ANO VINDOURO, COM VOTOS MIL DE UM FELIZ NATAL E PRÓSPERO ANO NOVO.

 

São Paulo, 8 de dezembro de 2014.

Felicia Ayako Harada

 

 

Dra. Felicia Ayako Harada (credito-Douglas-Matsunaga)

 

FELICIA AYAKO HARADA

FELICIA AYAKO HARADA

Advogada em São Paulo especializada em Direito de Família. Sócia fundadora da Harada Advogados Associados. Juíza arbitral pela Câmara do Mercosul. Autora da obra Coletânea de artigos de direito civil, Rideel, 2011.Ex Inspetora Fiscal da Prefeitura de São Paulo.

E-mail: felicia@haradaadvogados.com.br
FELICIA AYAKO HARADA

Últimos posts por FELICIA AYAKO HARADA (exibir todos)

    Related Post

    Alimentos Saudáveis por ERIKA MIZUTANI: Leite de a...   Leite de avelã com banana hmmmmmm..... 1 punhado de avelã 1-2 copos de água Deixe as avelãs de molho em 1 copo de água de um dia para o...
    JORGE NAGAO: Como Dilma chegou lá contracapa do livro de Ricardo B. Amaral Em 2009, quando Lula lançou a ministra Dilma como candidata do PT, o espanto foi geral. Ele quer eleger u...
    JORGE NAGAO: Brasil do Norte e Brasil do Sul Nesta segunda quinzena de março, o assunto dominante na mídia é o golpe de 64 (Revolução, para alguns). Diversos programas de TV, livros(destaque ...
    JORGE NAGAO: Orientais do Samba, a volta?   Numa coluna recente, contei a história do Satoshi-san cujo filho caçula, Minoru, estava, numa reunião familiar, com seus colegas do conjunto...

    Faça seu comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *