LITERATURA: Cristiane Nakagawa lança ‘Ayumi’, obra que reúne ficção e testemunhos de sobreviventes de bombardeio atômico

A psicóloga e pesquisadora Cristiane Izumi Nakagawa lança neste sábado (18), das 18h às 21h, na Livraria da Vila – Lorena, no Jardim Paulista, em São Paulo, o livro “Ayumi”, obra que reúne ficção e testemunhos de bombardeio atômico.

O lançamento acontece no mesmo dia em que se comemora o dia da chegada dos primeiros 781 imigrantes japoneses ao Brasil, em 1908, trazidos pelo navio Kasato Maru. “Muitos imigrantes, como o Takashi Morita, Kunito Bonkohara e Junko Watanabe, entre tantos outros, vieram para o Brasil à procura de um país melhor depois de terem sobrevivido a um dos maiores genocídios da histórira”, conta Cristiane, que também é autora de “Órfãos de Hiroshima” e participou da coletânea “Hiroshima e Nagasaki: testemunho, inscrição e memória das catástrofes”, ambos de 2015.

 

A autora, Cristiane Izumi Nakagawa. Foto: Reprodução.

A autora, Cristiane Izumi Nakagawa. Foto: Reprodução.

 

“Órfãos de Hiroshima” é um relato ficcional de uma sobrevivente (Shizu) sobre o dia da explosão nuclear de Hiroshima. O livro é ilustrado com imagens do acervo do Memorial da Paz de Hiroshima. Já “Hiroshima e Nagasaki: testemunho, inscrição e memória das catástrofes”, é uma coletânea de artigos acadêmicos (incluindo um capítulo da própria Cristiane), que discute os bombardeios de Hiroshima e Nagasaki. A obra contou com apoio da Fundação Japão.

O terceiro livro sobre o bombardeio atômico de Hiroshima, segundo Cristiane, é semelhante ao primeiro. “Ayumi” é um relato ficcional sobre as experiências de uma jovem japonesa chamada Ayumi sobre suas experiências relacionadas ao lançamento da bomba atômica sobre a cidade de Hiroshima, no dia 6 de agosto de 1945.

Baseada em testemunhos de sobreviventes desse bombardeio, a narrativa contempla a rotina dos moradores daquela cidade em meio à guerra, as consequências do lançamento da bomba atômica e as experiências da personagem após o dia da explosão.

A publicação contou com o apoio da Fundação Kunito Miyasaka e é ilustrada com desenhos do artista plástico Vitor Flynn Paciornik.

“Tanto ‘Ayumi’ como ‘Órfãos de Hiroshima’ são baseados em mais de 200 testemunhos que estudei ao longo do mestrado, coletados em arquivos de memória, livros e pessoalmente em Hiroshima”, diz Cristiane, explicando que “Ayumi” aborda aspectos do dia do ataque atômico à Hiroshima que não foram contemplados em “Órfãos de Hiroshima”.

Segundo ela, as obras são frutos de sua pesquisa de mestrado e visam discutir e, acima de tudo, “relembrar a catástrofe atômica para que ela jamais seja esquecida e, consequentemente, repetida”.

 

Lançamento acontece neste sábado

Lançamento acontece neste sábado

 

Sobre o autoresCristiane Izumi Nakagawa é psicóloga e pesquisadora. Atua na área de psicologia clínica e desenvolve pesquisas relacionadas aos traumas decorrentes de situações de guerra. No mês de julho de 2009 e entre os meses de julho e agosto de 2010, esteve no Parque Memorial da Paz de Hiroshima para coletar memórias de sobreviventes do bombardeio atômico. Em 2015, publicou o livro “Órfãos de Hiroshima” e participou da organização da obra “Hiroshima e Nagasaki: testemunho, inscrição e memória das catástrofes”.

Vitor Flynn Paciornik é formado em artes plásticas e ciências sociais. Atua como ilustrador e diagramador e também realiza pesquisas em história da arte e antropologia.

 

ALDO SHIGUTI

ALDO SHIGUTI

Redator-chefe
ashiguti@uol.com.br
ALDO SHIGUTI

Últimos posts por ALDO SHIGUTI (exibir todos)

     

     

    Lançamento de “Ayumi”, de Cristiane Izumi Nakagawa e desenhos de  Vitor Flynn Paciornik

    Quando: Dia 18 de junho, sábado, das 18 às 21h

    Onde: Livraria da Vila – Lorena (Alameda Lorena, 1731 – Jardim, Paulista. Tel.: 11/3062-1063)

     

     

    Related Post

    BRASIL – JAPÃO: Japan House e Rio 2016 devem... Passadas as comemorações dos 120 Anos do Tratado de Amizade, Comércio e Navegação Brasil-Japão, 2016 reserva para a comunidade nipo-brasileira, dois g...
    GENTE: Conheça a história de Sanji Chiba, ‘o queri... Quem diz que tamanho é documento está engando. Basta ver Sanji Chiba – ou Chiba como prefere ser chamado. Portador de necessidades especiais – para an...
    JOJOSCOPE: Juni Hitoe: o mais nobre dos quimonos   Somente mulheres da nobreza podiam usá-lo. Isso significava na prática, imperatriz e princesa da corte, para começar. Mas também esposas de ...
    AKIMATSURI: 30ª edição do Akimatsuri começa neste ... Com o tema “Mirai – Há 30 anos preservando a cultura japonesa para o futuro”, a Associação Cultural de Mogi das Cruzes (Bunkyo) realiza neste final de...

    Faça seu comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *