LITERATURA: Hilda Tagusagawa lança livro de Ikebana

Montagens artísticas e belas fotografias compõem a edição de “Ikebana”, o livro dedicado à arte de arranjo floral japonês da ikebanista e autora Hilda Tagusagawa, com imagens fotográficas de Celso Yamachita. Lançado em setembro em três cidades, São Paulo – no Instituto Tomie Ohtake, Brasília – na Galeria de Arte do Templo da Boa Vontade e em Cotia – no Coopercotia Atlético Clube.

 

A autora com o presidente da Associação de Ikebena do Brasil (Foto: Luci Judice Yizima)

A autora com o presidente da Associação de Ikebena do Brasil (Foto: Luci Judice Yizima)

 

Em entrevista ao Jornal Nippak, Hilda Tagusagawa disse que ideia de escrever o livro surgiu há muito tempo. “A Ikebana  utiliza elementos  da natureza  que exalam frescor, perfume,  brilho e energia . Os arranjos  têm vida. Galhos e flores  são pereciveis e resultam em trabalhos efêmeros”, afirma, acrescentando que “por ser de fotografias, o livro permite preservar os trabalhos de ikebana”.

“Fotografar  preserva as ikebanas, ainda que de forma específica, pois a fotografia interage com o arranjo, com luzes, sombras e fundos coloridos”, conta, explicando que seu parceiro neste trabalho foi o fotógrafo Celso Yamachita, que “é competentíssimo e possibilitou imagens muito nítidas e artísticas que valorizaram muito minha ikebana”.

Por ser sua primeira obra, a autora revela que teve algumas dificuldades para fazer o livro, mas nada intransponível. Segundo ela, sua fonte inspiradora foi a Escola Sogetsu de Ikebana, com sede no Japão, a qual pertenceu. “As publicações da Sogetsu do Japão são muito inspiradoras, e eu como professora aprendi muito vendo e revendo as fotos dos livros. E também tive a ajuda de muitos amigos”, declara Tagusagawa.

 

Capa do livro lançado por Hilda Tagusagawa (Foto: diuvlgação)

Capa do livro lançado por Hilda Tagusagawa (Foto: divulgação)

 

Declaração de amor – A autora pretende com a obra divulgar mais a Ikebana no Brasil, e que as pessoas possam apreciar esta interação natureza e arte de forma plena através da Ikebana. “O livro é uma espécie de declaração de amor à cultura japonesa, fiz este livro com muito prazer e vê-lo pronto é muito gratificante. Tenho recebido “feed-back” efusivos e os três lançamentos que fiz tiveram muito a presença do público e a repercussão foi muito positiva. A minha afinidade com a cultura japonesa vai além de ser descendente, morei 9 anos no Japão, onde aprendi ikebana. Mas este livro é muito pessoal e não tem vinculação a nenhum outro fator a não ser mostrar minha ikebana aos brasileiros”, conclui Hilda.

O presidente da Associação de Ikebana do Brasil, Erisson Thompson de Lima Júnior destaca a importância do livro no Brasil. “É um trabalho de grande estudo e pesquisa que só vem a enaltecer a cultura da Ikebana no Brasil.”, classifica. “Hoje nós temos 13 escolas de diferentes estilos de Ikebana, são mais de 10 mil alunos pelo país. O livro agrega arte, técnica e valor para a Ikebana”, define Thompson.

 

Tradição – A Ikebana é o trabalho artesanal de transformação de flores e galhos em obras de arte incorporando materiais diversos como cerâmica, metal, bambu, ferro, pedra e outros em sua composição, privilegiando a criatividade e a visão muito particular do mundo contemporâneo através de criações instigantes e inusitadas do artista. É um dos pilares da cultura tradicional japonesa.

A autora pertence à Escola Sogetsu, fundada em 1927, por Sofu Teshigahara, responsável por importantes mudanças na forma de expressão artística clássica, marcando o início da Ikebana moderna, em que a flor deixa de ser meramente flor, assumindo então a personalidade do artista.

Este livro é no Brasil o pioneiro na apresentação de arranjos de Ikebana que retratam tal concepção muito apreciada nos dias de hoje. Hilda, desde 1990 dedica-se a Ikebana através do ensino em cursos, workshops e demonstrações ocasionais e da participação em associações de Ikebana, responsáveis por exposições e atividades de ensino.

 

LUCI JUDICE YIZIMA

LUCI JUDICE YIZIMA

Jornalista e Fotógrafa
lucijornalismo@hotmail.com
LUCI JUDICE YIZIMA

Últimos posts por LUCI JUDICE YIZIMA (exibir todos)

     


     

     

    Locais de vendas do livro

    •  Livraria Gaudi – Instituto Tomie Ohtake – Rua Coropés 88
    •  Livraria Fonomag – Rua da Gloria
    •  Bunkyo – Rua São Joaquim
    •  Cooper Clube – Rua Valentim Nicolai s/n Raposo Tavares km 19,5
    •  Galeria Deco – Rua dos Franceses 153
    •  Lojas Uemura – Rua Baumann 963

     

    Related Post

    SANTOS: Cidade de Santos recebe bonde doado por Na... Uma cerimônia realizada no último dia 2, na Estação do Valongo, no centro de Santos, na Baixada Santis, marcou oficialmente a entrega bonde elétrico d...
    HAICAI BRASILEIRO O Jornal Nippak publica aqui os haicais enviados pelos leitores. Haicai é um tipo de poema que se originou no Japão. Seu maior expoente é Matsuo Bashô...
    JAPÃO: Indústrias do Japão produzem menos do que o... Dados oficiais, revelados no último dia 30, mostram que a produção industrial do Japão, em fevereiro, contraiu pela primeira vez em três meses, indica...
    BRASIL-JAPÃO: ‘Passo o bastão confiante’, diz Sato... Já era de “conhecimento” que o cônsul geral do Japão em São Paulo, Takahiro Nakamae, retornaria ao Japão no domingo, 9. A “novidade”, que pegou muita ...

    One Comment

    1. Mara Monica Ferreira says:

      A ikebana é uma arte maravilhosa que mudou minha vida no sentido de me encontrar totalmente com o belo. Hoje não sei mais viver sem ela

    Faça seu comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *