LITERATURA: Obra aborda a influência francesa na construção da imagem dos imigrantes japoneses no Brasil

A obra “A Influência Francesa no Discurso Brasileiro sobre o Japão. Imigração, identidade e preconceito racial (1860-1945)”, de autoria da professora Monica Okamoto, da Universidade Federal do Paraná, será lançada neste sábado, 27, das 17 às 20h, na Livraria da Vila, em São Paulo. A autora defende que a origem da imagem que os brasileiros têm dos imigrantes japoneses e seus descendentes, como a de inteligentes, trabalhadores, disciplinados e reservados e também de introvertidos e desconfiados, veio da França.

Na construção dessa imagem temas polêmicos envolvendo questões imigrantistas e de preconceito racial eram frequentes. Na primeira metade do século XX, por exemplo, Okamoto afirma que era comum ouvir políticos brasileiros se pronunciarem contra a abertura dos portos brasileiros aos imigrantes africanos e asiáticos no Congresso Legislativo. Segundo a autora, eles sustentavam essa opinião apontando os problemas e transtornos que os asiáticos causariam à nação brasileira com “sua língua incompreensível, seus costumes muito diferentes dos nossos e seu aspecto físico pouco atraente”. Estadistas brasileiros mais acirrados à campanha antinipônica chegaram a declarar que “o Brasil já havia sido africanizado e, agora, seria mongolizado.” Muitos ainda advertiam sobre o perigo de os trabalhadores japoneses prejudicarem os nacionais com sua concorrência barata, já outros acreditavam que os japoneses eram “súditos fanáticos” que representavam uma ameaça à segurança nacional.

 

Xenofobia – Segundo Okamoto, todo esse discurso “racista” e “xenófobo” do governo brasileiro dos primeiros tempos da República (1889-1930) havia sido, contudo, trazido da França. A imagem estereotipada e racista dos imigrantes asiáticos no Brasil, sobretudo dos japoneses, havia sido construída com base no discurso colonialista de franceses (oficiais navais, políticos e pesquisadores) que viajaram para o Japão e produziram inúmeros artigos e livros sobre o Extremo Oriente entre 1858 a 1930.

Boa parte desses trabalhos foi publicada na Revue des Deux Mondes, uma revista cultural elitizada que era, no Brasil, leitura obrigatória dos intelectuais da época. A Revue des Deux Mondes, portanto, foi um dos importantes meios de difusão das ideias francesas no Brasil e, consequentemente, fonte de informação sobre o Japão e os japoneses.

 

 

SERVIÇO – A obra, publicada pela Editora Porto de Ideias, será lançada neste sábado, 27, das 17 às 20 horas, na Livraria da Vila, localizada na Rua Fradique Coutinho, 915, em São Paulo.

Related Post

PROJETO COMUNITÁRIO: Apae de Araçatuba recebe micr... Acontece na próxima quarta-feira (30), às 8h30, a cerimônia de entrega do micro-ônibus para a Apae (Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais) de ...
NISHIKIGOI: 35th ABN Koi Show Tanto quanto eu sei que a ABN (Associação Brasileira de Nishikigoi) é o único Koi Clube no continente da América do Sul e tive o privilégio de ser con...
COMUNIDADE: Câmara Municipal de Tupã debate casos ... Documentário teve cenas filmadas na ilha de Anchieta e levou mais de uma década para ser finalizado (foto: divulgação)   Idealizado pelo p...
TÊNIS DE MESA: Grupo Kenzen inova mais uma vez O Grupo Kenzen sempre inovando, realizou o torneio de tênis de mesa por equipes no último final de semana, dia 26 de julho, em sua sede, na Vila Ré (z...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *