MANGÁ: ‘Monge dos Mangás’, Nobuhiro Watsuki atrai admiradores

O célebre mangaká japonês, Nobuhiro Watsuki responsável por títulos como Rurouni Kenshin, conhecido no Brasil como Samurai X; Busou Renkin (Alquimista Armado) e Embalming – Another Tale of Frankenstein se apresentou para plateia com mais de 600 pessoas na Sala Adoniram Barbosa – no Centro Cultural São Paulo, no Paraíso em São Paulo. Pela primeira vez no Brasil, aos 45 anos de idade, o mangaká se confunde entre o real e seus personagens, vestido como se fosse um ninja, com kimono happi preto, calça preta, hachimaki preto e zoori preto. Com fala mansinha como se fosse um monge, acompanhado da sua esposa, escritora e roteirista de mangá e anime, Kaworu Kurosaki que também estava vestida num tradicional Yukata (Kimono de verão) e o geta (tamanco de madeira).

 

O mangaká Nobuhiro Watsuki, que evita mostrar o rosto para fotógrafos (Nikko Fotografia)

O mangaká Nobuhiro Watsuki, que evita mostrar o rosto para fotógrafos (Nikko Fotografia)

 

Durante a entrevista coletiva o mangaká não se deixou fotografar,  sempre com olhar para baixo, uma timidez escancarada no rosto, respondeu as perguntas dos jornalistas com ajuda da esposa Kaworu que se mostrou muito simpática. Ao ser perguntado de onde vinha tanta inspiração, a resposta foi imediata. “Basicamente, a minha inspiração provém de um mundo ideal, mas me alimento bastante do cotidiano. Filmes aos quais assisto, lugares que visito. O importante é que eu consiga expressar, mesmo na ficção, uma experiência que seja real em alguma medida”, revela Watsuki.

“O único personagem que eu desenhei inspirado em mim é um porquinho. Nenhum outro é inspirado 100% em mim, só o porquinho mesmo. Mas de qualquer forma, todos os personagens que eu crio são baseados naquilo de que eu gosto e de que eu não gosto. Acaba que sempre é um pouco de mim, ou o meu avesso”, confessa o mestre dos mangás.

O mangaká diante de uma plateia lotada não poupou elogios ao público brasileiro, sempre fiel às suas criações. “Gostaria de retribuir a todos os fãs brasileiros, que sempre têm me apoiado”, conclui ele.

Diante de uma plateia diversificada e unânime em querer conhecer de perto o trabalho do mangaká, a reportagem entrevistou alguns fãs que vieram assistir a palestra ministrada pelo mangaká Nobuhiro, que teve como mediadora a pesquisadora de mangá Sonia Luyten e Francisco Sato, presidente da Associação Brasileira de Desenhistas de Mangá e Ilustrações (ABRADEMI).

A professora Sonia Luyten, especialista em mangás, com doutorado no Japão destaca a sensibilidade do mangaká em sua obra. “Eu gosto da obra dele. Ele tem uma visão de transformar seus personagens da história tradicional do Japão numa coisa factual”, enfatiza a mediadora.

 

Trabalho que o professor Fábio Shin entregou a Nobuhiro

Trabalho que o professor Fábio Shin entregou a Nobuhiro

 

Repercussão – Para o ilustrador Leonardo Obara, a obra de Nobuhiro Watsuki tem pontos muito fortes, o que o diferencia dos demais mangakás, é a questão dos personagens serem personalidades bem fortes e presentes. São sempre pessoas completas, que não dependem de outra pessoa para preencher lacunas nelas mesmas.

“Eu achei interessante a palestra, deu para ver que o Nobuhiro Watsuki é uma pessoa bem imersa no trabalho que faz. Não fica fechada a apenas produzir o que é o gosto pessoal, mas sabe pesquisar, gerar ideias e trabalhar com temas diversificados” elogia Obara.

O professor de mangá Fabio Shin estava presente na coletiva de imprensa e presenteou o mangaká Nobuhiro com um cartaz com 84 desenhos produzidos por seus alunos que variam de idade entre 09 a 74 anos. “Foi uma honra poder presenteá-lo com desenhos dos alunos da minha escola” diz. “Foram produzidos com muito carinho, e estou levando para o mural da escola uma cópia autografada pelo managaká. A palestra foi muito interessante, muito construtiva e até emocionante”, confessa o professor Shin.

 

Perfil – Nobuhiro Watsuki, nascido na província de Niigata, o artista começou a se aventurar no mundo do desenho ainda criança. Seu primeiro mangá, ‘Podmark’, ganhou o prêmio Pop Step Award, oferecido pela editora Shueisha a novos talentos. Trabalhou como assistente do famoso mangaká Takeshi Obata e sua criação mais famosa é Samurai X (Rurouni Kenshin).

(Luci Judice Yizima)

 

 

LUCI JUDICE YIZIMA

LUCI JUDICE YIZIMA

Jornalista e Fotógrafa
lucijornalismo@hotmail.com
LUCI JUDICE YIZIMA

Últimos posts por LUCI JUDICE YIZIMA (exibir todos)

     

    Related Post

    PARANÁ/INVESTIMENTOS: Governador Beto Richa recebe... O governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), recebeu, no último dia 12, com uma comitiva de empresários japoneses que planejam investir no Paraná, e com...
    AUTOMOBILISMO: Toyota é a grande campeã do FIA Wor... A Toyota foi a grande vencedora do Campeonato Mundial de Endurance da (WEC) da FIA em 2014. Após carimbar o segundo lugar ao fim da etapa das 6 horas ...
    EXPOSIÇÃO: Yutaka Toyota expõe “Sim, pode tocar!” ... Yutaka Toyota (foto: Luci Judice Yizima)   O artista plástico japonês Yutaka Toyota mais uma vez surpreende o público com a exposição “Sim...
    2017: Ano do Galo 2016 foi o ano do Macaco de Fogo. E, assim como o animal do horóscopo chinês, foi bastante agitado. Crises pipocaram para todos os lados. Na política,...

    Faça seu comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *