MASATAKA OTA: O terror nosso de cada dia

Vereador Ota: “O medo faz aflorar o desejo de, apenas, sobreviver” (Foto: divulgação)

Vereador Ota: “O medo faz aflorar o desejo de, apenas, sobreviver” (Foto: divulgação)

Em menos de um ano, mais precisamente em 5 de agosto de 2016, o Brasil vai sediar os Jogos Olímpicos. A grande festa esportiva mundial será no Rio de Janeiro, primeira vez que este evento será realizado na América do Sul. Na ocasião, a capital carioca receberá cerca de 10 mil atletas do mundo todo, representando um total de 206 países. Milhares de turistas. Vou direto ao ponto: O Brasil está preparado para um ataque terrorista?

Não. No momento, sequer dispomos de uma lei que tipifique o terrorismo. A proposta que existe está em tramitação, perdida em meio a uma crise político-econômica que gera outros tipos de terrorismo: o esvaziamento do bolso dos brasileiros, o sumiço do emprego e a falta de perspectiva de um futuro melhor no curto prazo.

Recentemente, a presidente da República reconheceu que o Brasil não está completamente protegido. Convenhamos, nem a França demonstrou estar. Ocorre que, hoje, tamanha é a divisão em células do Estado islâmico que fica difícil prever quando e onde será o próximo ataque. Certo, apenas, é que ele virá. Assim garantiram seus integrantes. Sabe-se, também, que grandes eventos e multidões são um enorme atrativo.

Mas o que todos estes terroristas têm em comum? Muitos são jovens, oriundos, sobretudo de países desenvolvidos com algum nível de escolaridade e uma profunda sensação de não pertencer a lugar algum. Estão em busca de encontrar no Estado Islâmico aquilo não têm dentro de casa: um referencial.

Por conta disso, temos 3 milhões de vítimas da violência perambulando pela Europa hoje. Gente como eu e você, só que fugindo destes terroristas porque sabem que se topar com eles vão morrer. São empurrados de fronteira em fronteira porque nenhum país – seja por razões econômicas ou étnico-culturais – quer, de verdade, acolhê-los. O medo do terror espanta a solidariedade e faz aflorar no ser humano o desejo de, apenas, sobreviver. No fundo, estamos todos em risco, só não sabemos quando e onde.

 

*Masataka Ota é vereador pelo Pros.

 

Related Post

INTERNACIONAL: Príncipe ‘torce’ para a Rio 2016, m... Em missão oficial ao Japão a convite do governo nipônico através do Programa Juntos – América Latina e Caribe, os parlamentares brasileiros se reunira...
TÊNIS DE MESA: Empresa quer profissionalizar a mod... A empresa Thethona, comandada por Henrique Narita e Adilson Toledo, quer profissionalizar o tênis de mesa nacional. Remando contra a maré, ambos reali...
COMUNIDADE: Kodomo-No-Sono realiza 13º Boi no Role...   A Associação Pró-Excepcionais Kodomo-No-Sono realizará neste domingo (16), das 12 às 15 horas, em sua sede, em Itaquera (zona Leste de São P...
MUSICA: CANÇÕES QUE TOCAM NA ALMA JAPONESA   Realizado pelo Grupo The Friends, 14º Melodias Imortais têm ingressos à venda     Um espetáculo diferente. Assim é o Melodias...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *