MEIO AMBIENTE: Vereador Aurélio Nomura participa do Movimento Contra o Lixão de Vila Jaguara

O vereador Aurélio Nomura (PSDB) participou, no último dia 30, no Teatro da Paróquia Nossa Senhora dos Remédios (zona Centro-Oeste de São Paulo), da Plenária do Instituto Ação Comunitária. Na pauta, a luta contra o lixão de Vila Jaguara e a demarcação de Zonas Especiais de Interesse Social (Zeis) na Revisão da Lei de Parcelamento, Uso e Ocupação do Solo, mais conhecida como Lei de Zoneamento. Além do vereador tucano, o evento contou também com a presença do secretário Municipal de Direitos Humanos e Cidadania, Eduardo Suplicy (PT). Participaram cerca de 500 pessoas.

Nomura apoia a luta do movimento contra o lixão desde 2013. Segundo ele, a Vila Jaguara será “gravemente afetada” caso a Prefeitura leve adiante a proposta de instalar na região uma Estação de Transbordo de Resíduos Sólidos. O local – situada no quadrilátero formado pelas vias Av. Alexandre Colares e Av. Manoel Domingos Pinto com Rua Irineu José Bordon e Av. Joaquim Costa de Miranda – foi escolhido em razão da proximidade com a Rodovia Anhanguera, o que reduziria os custos de viagens dos caminhões até o Aterro Sanitário de Caieiras.

 

Vereador Aurélio Nomura participou da Plenária contra o lixão (Foto: divulgação)

Vereador Aurélio Nomura participou da Plenária contra o lixão (Foto: divulgação)

 

Contaminação – O vereador lembra que a única empresa beneficiada com a instalação de um lixão no bairro será a Logística Ambiental de São Paulo (Loga), concessionária da Prefeitura, que vai receber o lixo recolhido em domicílios para encaminhá-lo ao aterro sanitário.  A área onde a Loga pretende instalar a estação de transbordo apresenta contaminação por orgânicos semivolateis, hidrocarbonetos totais e metais nas águas subterrâneas, segundo investigação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Áreas Contaminadas realizada pela Câmara Municipal de São Paulo entre  abril de 2014 e fevereiro de 2015. Nomura foi o relator da CPI.

 

Corredor de lixo – Segundo o coordenador do Movimento Contra o Lixão da Vila Jaguara, Amorim Pereira, “a luta não é apenas para derrubar o projeto”. “Queremos dar uma destinação ao terreno”, disse Amorim, explicando que, “historicamente, a região é um corredor de lixo da cidade”. “A Vila Leopoldina abrigou, por quatro décadas, uma Usina de Compostagem que foi desativada em 2004. Também tínhamos o Aterro Bandeirantes, que funcionou de 1979 a 2007”, lembra Amorim, acrescentando que “pelo modelo proposto pela Loga o lixão produzirá mau cheiro e contaminará o solo”.

“A CPI constatou esse problema”, disse Amorim, acrescentando que “outro problema é a mobilidade”.

“Caso o projeto seja aprovado, teremos um aumento de cerca de 400 caminhões circulando pela região, ou seja, um caminhão a cada quatro minutos, além de outras 120 carretas que terão que passar pelo Complexo Anhanguera, que já tem um trânsito sobrecarregado”, critica o coordenador, informando que “por conta desse trânsito carregado, os moradores precisam acordar uma hora mais cedo para não chegar atrasado ao local de trabalho”.

“Imagina com 400 caminhões a mais”, destaca ele, que defende a necessidade de se fazer um projeto de mobilidade envolvendo a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), “Coisa que nunca foi feito”, garantiu Amorim, lembrando que o projeto da construção de uma Estação de Transbordo de Resíduos Sólidos já foi derrubado uma vez quando apresentado no Plano Direitor. “Agora, a Prefeitura pretende colocá-lo novamente em votação mas sem identificar o local, que na verdade, continua o mesmo, na divisa de Osasco com Guarulhos. Não existe outro local vago na região”, garante Amorim.

Segundo Aurélio Nomura, o projeto de revisão da Lei de Zoneamento, que pretende equilibrar moradias com as diversas atividades comerciais, está previsto para ser votado no plenário da Câmara Municipal até o final deste ano.

Aurélio Nomura defende a transformação da área destinada à Estação de Transbordo da Vila Jaguara em Zeis, além de novas demarcações de áreas para Habitação de Interesse Social na Vila Jaguara e Vila dos Remédios.”Isso possibilitaria a construção de conjuntos habitacionais no local, e no entorno, a proposta é tirar a área da zona industrial e enquadrá-la como zona mista, pois lá já não tem mais indústrias”, justifica o vereador.

 

Setembro Limpo – O vereador ainda se comprometeu em reforçar o calendário de luta do Movimento Contra o Lixão da Vila Jaguara. Batizado de “Setembro Limpo”, o conjunto de ações prevê aulas públicas e debates que vão explorar temas como a contaminação da garagem da Companhia Municipal de Transportes Coletivos (CMTC) e os riscos de implantação de moradia no local, a reabilitação do solo da área remanescente da Usina de Compostagem de Vila Leopoldina e a transformação da área da Loga em Zeis.

Segundo informou a presidente do Instituto Ação Comunitária, Cleria Aparecida Cordeiro Jardim, no dia 3 de outubro está marcada uma passeata até o terreno. A concentração está marcada para às 9h30, na Praça Jaguara. De lá, a passeata seguirá para a área.

 

 

ALDO SHIGUTI

ALDO SHIGUTI

Redator-chefe
ashiguti@uol.com.br
ALDO SHIGUTI

Últimos posts por ALDO SHIGUTI (exibir todos)

     

    Related Post

    Exposição: Bordados Maxi Ponto Cruz no Kohii Café... O Maxi Ponto Cruz, ou Ponto Cruz Gigante, é uma subversão ao tradicionalíssimo  bordado em ponto cruz.  Para produzir um maxi bordado conta-se com o e...
    NIPON COUNTRY CLUB: MOVIMENTO JOVEM BRASIL ORGANIZ... No mês de julho, o Movimento Jovem Brasil (Movi) comemora seu vigésimo aniversário com um calendário repleto de atividades. Além de organizar o princi...
    ROTARY CLUB: Claudio Takata é eleito o mais jovem ... O empresário paulistano, Claudio Hiroshi Takata será o mais novo nikkei “Governador do Distrito 4.420”, para o ano rotário 2017-18. A eleição ocorreu ...
    COMUNIDADE: Mãe de estudante preso afirma que filh...   O Tribunal de Justiça de São Paulo rejeitou pela segunda vez o pedido de liberdade do aluno e funcionário da Universidade de São Paulo (USP)...

    Faça seu comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *