MEMAI: ARTES – YAYOI KUSAMA É UMA DAS 100 MAIS INFLUENTES DO MUNDO

rtista Yayoi Kusama, 87, foi indicada como uma das mais 100 pessoas mais influentes no mundo pela Revista Times. “Esta é uma mulher que tem estado aí por um longo tempo, que tem feito coisa realmente radicais no mundo”, escreveu na última quinta-feira o designer de moda americano  Marc Jacobs, na revista de atualidades, que todos os anos premia as personalidades globais de maior destaque.

 

Yayoy Kusama iem seu esúudio, en Shinjuku. Tóquio, 6/4/2016.

Yayoy Kusama iem seu esúudio, en Shinjuku. Tóquio, 6/4/2016.

 

Nascida em  Matsumoto, na Prefeitura de Nagano, Kusama é conhecida pelas pinturas em que usa pontos e redes como temas. Ela diz que as obras são inspiradas em alucinações que ela experimentou quando criança. Entre 1957 e 1973,  a pintora de vanguarda envolveu-se numa ampla variedade  de atividades artísticas nos Estados Unidos, incluindoa produção de escultura, cinema,  novelas e poemas.

Jacobs descreveu o encontro com Kusama em seu estúdio, em Tóquio, em 2006. Ele a encontrou  usando perucas coloridase um vestido que parecia um  kaftan, decorado com sua marca registrada , e na conversa ficou repetindo algumas frases.

“Passamso umas poucas horas juntas, e cada vez que eu tentava ir embora, ela puxava-me de volta. Isto fazia sentido com a arte que ela criava — a intesnidade, a repetição. Ela apenas sente com a incorporação do que faz”, escreveu Jacobs.

O Japão premiou Kusama com o Mérito de Personalidade Cultural em 2009. A Revista Time diz  que ela é mais velha pessoa da lista. Outras pessoas foram distinguidas com a indicação este ano, como o Papa Francisco, o juiz brasileiro Sérgio Moro. Os asiáticos mais famosos da lista são  Yayoi e o  líder norte coreano Kim Jong Un .

“De um modo ou outro eles quebram paradigmas: quebram as regra,  quebram recordes, quebram o silêncio, quebra a escravidão para revelar do que somos capazes”,  afirma a revista. Por incluir personalidades polêmicas, defende:   “As pessoas na lista, cada um de seu modo, dão lições para ensinar. Podemos discutir estas lições; criticando ou concordando com eles.” (traduzido do inglês do site Japan Times).

 

Fonte: 

MARILIA KUBOTA

MARILIA KUBOTA

é editora do JORNAL MEMAI, mestranda em estudos literários (UFPR) e organizadora do livro “Retratos Japoneses no Brasil” (2010), e integrante de 7 antologias de poesia e prosa.
MARILIA KUBOTA

Últimos posts por MARILIA KUBOTA (exibir todos)

    Related Post

    ARTIGO: Não podemos jogar a toalha *Walter Ihoshi   Diante do atual cenário qual vive o país, onde nos são apresentados números negativos que descrevem a nossa economia, é na...
    HAICAI BRASILEIRO   A partir desta semana – e semana sim, semana não – o Jornal Nippak passa a publicar a coluna Haicai Brasileiro, um espaço dedicado a haicaísta...
    ERIKA TAMURA: O poder das mulheres   Nesses últimos tempos, tenho observado muito as mulheres brasileiras que vivem aqui no Japão. E confesso que estou muito feliz com o que eu ...
    AKIRA SAITO: ISTO É NORMAL   “Um ato errado não pode ser considerado normal apenas por ter se tornado um ato corriqueiro”.     No nosso cotidiano, atu...

    Faça seu comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *