MEMÓRIA/AVIAÇÃO: Livro conta a história de Saburo Sakai, ‘uma lenda no Japão’

O piloto de caça Saburo Sakai: 64 aviões inimigos abatidos (foto: reprodução)

O piloto de caça Saburo Sakai: 64 aviões inimigos abatidos (foto: reprodução)

 

Já está à venda nas principais livrarias do país o mais recente lançamento da C&R Editorial. Trata-se da obra “Samurai”, uma autobiografia fascinante de Saburo Sakai, o maior “ás” japonês a sobreviver à 2ª Guerra Mundial e considerado uma lenda no Japão do pós-guerra. O lançamento aconteceu no dia 27 de novembro, na Livraria Cultura do Shopping Villa Lobos, em São Paulo.

Segundo o sócio da C&R, o jornalista Claudio Lucchesi Cavalca, o livro foi traduzido do original lançado em 1957 nos Estados Unidos. “É a versão integral e traduzida diretamente do original”, conta Claudio Lucchesi, lembrando que Sakai contou com a colaboração do pesquisador Martin Caidin, autor de mais de 50 livros e considerado uma das mais destacadas autoridades em assuntos ligados à aeronáutica, e de Fred Saito, editor de notícias da Rádio Tóquio durante a 2ª Guerra Mundial.

Apaixanoado por tudo que se relaciona à aviação, Claudio Lucchesi conta que “Samurai” foi o primeiro a contar a história de um às inimigo dos norte-americanos na chamada Guerra do Pacífico.

Sakai, que não foi chamado para ser “kamikaze” (termo usado para designar um grupo de pilotos suicidas durante a 2ª Guerra) por ser “precioso” demais, era reverenciado e respeitado até mesmo por seus antigos adversários, que jamais deixaram de reconhecer sua coragem e retidão de caráter.

 

O jornalista Claudio Lucchesi e Pedro Autran Ribeiro (foto: Aldo Shiguti)

O jornalista Claudio Lucchesi e Pedro Autran Ribeiro (foto: Aldo Shiguti)

 

De acordo com sua contagem pessoal – já que era costume dos pilotos japoneses registrar coletivamente os aviões inimigos que abatiam – em mais de 200 combate s aéreos, Sakai derrubou nada menos que 64 aeronaves adversáias, tornando-se o piloto de caça da história da aviação japonesa com o maior número de vitórias.

Dos grandes pilotos, Sakai foi o único que sobreviveu – Hiroyoshi Nishizawa, considerado o maior de todos, com 86 vitórias, morreu nas Filipinas em um avião de transporte.

Sobre Saburo Sakai, o jornalista Pedro Autran Ribeiro explica que existem relatos incríveis, como a do combate em Guadalcanal, em 1942 em que, já cego do olho direito e com a visão do esquerdo parcialmente prejudicada, tentava manter o avião para chegar à base. “Não só sobreviveu como, mesmo sem um olho, voltaria a lutar e ainda derrubaria mais quatro aviões norte-americanos”, diz o jornalista. “Somente esse combate já renderia um filme”, diz Claudio Lucchesi, explicando que o título do livro refere-se à origem da família de Saburo Sakai, que era samurai. “Outro dado interessante é que, além de contar a história de uma das principais lendas da aviação japonesa, o livro também situa o leitor no contexto do Japão naquela época”, conta Ribeiro.

Ironicamente, Sakai, depois de virar empresário gráfico no Japão, morreu em setembro de 2000, aos 84 anos, vítima de ataque cardíaco, durante uma das muitas homenagens que recebeu nos Estados Unidos. “Ainda hoje ele é considerado um ícone para os pilotos americanos”, destaca Claudio Lucchesi, que fundou a C&R em 2001 para suprir uma carência no segmento.

 

Pilotos da Ala de Caça do Japão em Lae (Papua-Nova Guiné), em junho de 1942 (foto: reprodução)

Pilotos da Ala de Caça do Japão em Lae (Papua-Nova Guiné), em junho de 1942 (foto: reprodução)

 

 

Asas – O início da C&R foi com a revista Asas, publicação bimestral focada no universo aeroespacial e até hoje principal carro-chefe da editora, que comanda ao lado da esposa Regiane Mamczur Brediks Cavalca. Até então, não existia nenhuma publicação do gênero que contemplasse não só a história como também a parte técnica da aviação. Em 2007, já consolidada no mercado como líder neste segmento, a C&R alçou novos voos com a publicação de seu primeiro livro “Ada – Mulher. Pioneira. Aviadora”, de Lucita Briza.

Curiosamente, o  livro que antecedeu “Samurai” foi “A Serviço do Generalíssimo” – Os pilotos brasileiros na República Dominicana, do nikkei Hélio Higuchi.

“A maior parte do que publicamos é dedicada à aviação militar”, conta Lucchesi, explicando que nos anos 50 e 60 foram traduzidos e lançados vários livros sobre a 2ª Guerra Mundial, “mas quase todas as publicações desapareceram das prateleiras brasileiras”.

“A ideia é recuperarmos estes clássicos”, destaca o jornalista, acrescentando que, no caso de “Samurai” “fizemos questão de buscar os direitos do livro e publicá-lo na íntegra”. “O livro foi lançado em 1957, primeiro, em inglês. Por se tratar de uma data ainda muito próxima ao conflito, algumas questões acabaram ficando de fora”, diz Pedro Ribeiro, afirmando que “Samurai” fez tanto sucesso nos Estados Unidos que inaugurou um “subgênero de biografias de adversários dos norte-americanos que perdura até hoje.

(Aldo Shiguti)

 

FICHA TÉCNICA

Título: “Samurai”

Editora: C&R Editorial

Número de páginas: 320

Preço: R$ 73,00

ISBN: 978-85-99719-20-6

www.creditorial.com.br

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

PROGRAMA ARTE ATUAL – E Se Quebrarem As Lentes Emp... Eduardo Berliner – Marcone Moreira – Thiago Rocha Pitta Curadoria: Núcleo de Pequisa e Curadoria do Instituto Tomie Ohtake Onde: Instituto Tomie...
BUNKYO: Eleição para o Conselho Deliberativo terá ... A Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social – Bunkyo – realiza no dia 28 de março, Assembleia Geral Ordinária para eleger 50 me...
HAICAI BRASILEIRO O Jornal Nippak publica aqui os haicais enviados pelos leitores. Haicai é um tipo de poema que se originou no Japão. Seu maior expoente é Matsuo Bashô...
SOFTBOL: XXIII CAMPEONATO BRASILEIRO SOFTBOL FEMIN...   Realizado entre os dias 09 e 10 de novembro 2013, no Grêmio Assistencial e Cultural GECEBS  em  Arujá  - São Paulo, o XXIII Campeonato Brasi...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *