MUNDO VIRTUAL: Inteligência cibernética – sua importância nos dias atuais

Meu intuito hoje é estabelecer uma relação entre a forma de funcionamento da mente humana e a obtenção de benefícios no mundo virtual, a partir da idéia de que existem vários tipos de inteligência e da classificação conhecida como “teoria das inteligências múltiplas”, do psicólogo americano Howard Gardner.

Para ele, o conceito de “inteligência”, como era conhecido, não tinha o poder para englobar a grande variedade de habilidades cognitivas do ser humano, pois desde a infância, aquela criança que em suas atividades escolares aprende com facilidade a multiplicação não é necessariamente a mais inteligente, já que a vida se transcorre em áreas que vão muito além dos números.

É certo que uns são bons com cálculos matemáticos mas não dominam a expressão artística, têm dificuldade em se relacionar com outras pessoas, ou não têm destreza para as atividades físicas; envolvendo fatores genéticos, existem habilidades que nascem com a pessoa, mas também existem habilidades que se desenvolvem com as experiências vividas ou com o treinamento.

Tal teoria fala da inteligência lingüística (habilidade para expressar idéias através da linguagem), inteligência matemática (habilidade para raciocínios matemáticos e lógicos), inteligência musical (habilidade para detectar e reproduzir padrões musicais e sons), inteligência corporal (habilidade para as atividades físicas), inteligência espacial (habilidade para compreender o mundo visual e aproveitar as noções de espaço), inteligência naturalista (habilidade para interpretar os fenômenos da natureza e desenvolver atividades coordenadas a partir deles), inteligências interpessoal e intrapessoal (habilidade para entender as ações e motivações do próximo ou de si mesmo), e inteligência existencial (habilidade para lidar com valores e conceitos da própria existência humana).

Já que esta não é uma lista definitiva e nem exaustiva, pois a própria natureza humana evolui constantemente, estão sendo catalogadas novas formas de inteligência: assim como eu vi recentemente a “inteligência espiritual” – ligada a questões da espiritualidade, gosto de pensar que existe também uma habilidade própria para o mundo tecnológico, que envolve o conhecimento e o uso das ferramentas e aplicativos de computador e internet.

Penso que hajam pessoas que tenham aptidão natural para  conhecer e dominar tudo o que se refere ao mundo virtual, mas também acho que é algo que pode ser desenvolvido e aprimorado.

Volta e meia escuto justificativas como “mal sei ligar um computador”, “não sei mexer na internet”, “isto é coisa para jovens” ou “tenho medo de errar e apagar tudo”: a meu ver, tais pessoas esquecem que todo o conhecimento, em qualquer que seja a área, pode ser ensinado, aprendido, exercitado e aprimorado.

Estas pessoas também se esquecem que há computadores no trabalho, que a internet está sendo usada no pagamento da conta de um boleto, fatura ou tarifa, e mesmo que muitos órgãos públicos e empresas usam a internet para atender o cidadão e o consumidor na solicitação de um serviço ou na aquisição de um produto.

Há tempo que se fala em “inclusão digital”, que a meu ver tem o papel de proporcionar o pleno acesso à cidadania mediante oportunidades iguais a todos na obtenção da informação, na qualificação profissional, no conhecimento dos direitos e no melhor desenvolvimento de relações econômicas, humanas e sociais.

Já vi quem denomine a interação do ser humano com o conhecimento e as ferramentas tecnológicas como “inteligência computacional” ou “inteligência digital”, mas eu ainda prefiro usar “inteligência cibernética”, pois creio que melhor represente a oportunidade para conhecer e dominar o uso das tecnologias da informação e comunicação em benefício do desenvolvimento humano, social, econômico, cultural e político.

Penso que no mundo globalizado em que vivemos não há mais a chance de fugir do computador ou de deixar de usar a internet: usar um computador, acessar a internet, fazer uma compra eletrônica ou mesmo obter uma certidão ou serviço perante órgãos públicos é algo que diz respeito a qualquer cidadão e faz parte da necessidade humana de evolução, pregada por Darwin e mais atual do que nunca.

No ensino da computação há aulas em cursos voltados para todas as idades, que se iniciam logo no ensino fundamental, pois todos precisam saber o que é direito e o que é dever, tanto no mundo real como no mundo virtual, e penso que esta realidade precisa ser encarada de forma alegre e convicta, sob pena de o usuário da internet se prejudicar e fazer mau uso dos recursos tecnológicos, ou mesmo de sofrer prejuízos financeiros ou ser vítima de crimes.

Por fim, desde que os computadores, os smartphones, os dispositivos vestíveis, a internet e os robôs estão sendo continuamente desenvolvidos para facilitar a vida humana, considero a “inteligência cibernética” como uma necessidade, que precisa ser encarada positivamente, que pode ser desenvolvida e dominada naquilo que o usuário necessitar, e que facilita o exercício de direitos já assegurados por muitas leis, nas áreas cível, criminal, trabalhista, comercial e outras mais.

 

EUCLIDES PEREIRA PARDIGNO

EUCLIDES PEREIRA PARDIGNO

Euclides Pereira Padigno é advogado.

E-mail:euclides@pardigno.com
EUCLIDES PEREIRA PARDIGNO

Últimos posts por EUCLIDES PEREIRA PARDIGNO (exibir todos)

     

     

    Related Post

    ERIKA TAMURA: O retorno ao Brasil  Faz um tempo que decidi retornar definitivamente ao Brasil, os motivos não são únicos e vão desde o lado emocional ao profissional. No início, tom...
    AKIRA SAITO: QUERO E TENHO “Saber diferenciar a carga de pressão pode definir entre a Vitória e a Derrota”   Aquele que almeja chegar ao topo de qualquer empreitada, pr...
    MUNDO VIRTUAL: Pokémon Go – algumas repercus...   Há poucos dias houve o lançamento oficial no país do jogo Pokémon Go, cuja empresa proprietária - a Niantic, divulgou em seu site que houve ...
    JORGE NAGAO: Escolhas   “O destino é uma questão de escolha”. (Augusto Cury)   Brazuca foi o nome escolhido para a nossa Jabulani para a Copa-2014, numa elei...

    Faça seu comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *