MÚSICA: No Japão, Melissa Kuniyoshi supera desafios para seguir carreira profissional

 

O ano de 2014 mal começou, mas promete ser de novidades e desafios para a pequena Melissa Kuniyoshi, a estrela de karaokê que conquistou respeito e admiração entre o público nikkei com suas apresentações em karaokês e festivais. Em Kanagawa desde setembro do ano passado, quando se mudou com os pais Milton Kuniyoshi e Milene Kamiyama, e o irmão mais novo, Murilo Kuniyoshi, de cinco anos, ela está sendo lapidada pelo compositor de melodias Suzuki Jun – um dos mais respeitados do país – que aposta em um futuro promissor para a jovem nikkei, de apenas dez anos de idade.

 

Milton Kuniyoshi com Gisaburo Owa (foto: Aldo Shiguti)

 

 

O projeto inclui a gravação de um CD, ainda sem data para ser lançado. Paciência e determinação são dois dos ingredientes básicos para que Melissa vença mais um obstáculo em sua meteórica carreira.

“Por enquanto, a prioridade é para que ela aprenda a falar fluentemente o japonês”, explica o pai, que esteve no Brasil no final do ano passado para tratar de assuntos particulares.

Segundo ele, a filha está muito bem amparada. A equipe que está cuidando da carreira de Melissa no Japão inclui ainda a esposa de Suzuki Jun, Keiko Yuuki; e o compositor de leras, Yamakawa Keisuke, além do casal de nikkeis Gisaburo e Alice Owa, que estão acompanhando passo a passo a trajetória da família.

O pedido para morar no Japão partiu do próprio Suzuki, que ficou encantando ao ser apresentado a Melissa. Apesar de sua curta carreira, Melissa já coleciona títulos da UPK (União Paulista de Karaokê) e da Abrac (Associação Brasileira de Canção). Mas foi no Programa Raul Gil, em 2011, que Melissa ganhou projeção nacional ao se destacar em um concurso de jovens talentos.

 

Melissa Kuniyoshi com o compositor Suzuki Jun (foto: divulgação)

 

“A emissora de TV do Japão Nihon Terebi veio até o Brasil para fazer uma matéria com ela”, conta Milton. No ano seguinte, foi a vez da TV Fuji manifestar interesse e Melissa percorreu o caminho inverso para participar de um programa musical exibido pela emissora japonesa.

A repercussão no YouTube foi o “cartão de visitas” de Melissa para Suzuki Jun.“Ele disse que gostaria de tê-la como aluna”, lembra Milton, afirmando que o convite feito pelo compositor é raro até mesmo para os próprios japoneses. “Nessa faixa etária da Melissa é muito difícil encontrar alguém com seu talento”, garante o pai.

A decisão, no entanto, não foi das mais fáceis para a família. Afinal, se tratava de uma mudança radical, que poderia colocar em jogo não só o futuro de Melissa como também mexeria com toda a família.

“Conversamos muito com ela antes de tomarmos qualquer decisão. Dissemos que era uma grande oportunidade, mas também não queríamos interferir em sua escolha”, lembra Milton, acrescentando que desde o início a filha nunca escondeu que seu desejo é seguir a carreira profissional.

 

Futuro – “Ela se adaptou muito bem ao estilo de vida japonês”, revela o pai, destacando que em apenas dois meses a filha aprendeu a falar japonês a ponto de fazer muitos colegas na escola, onde cursa a quinta série.

“Ela mostra muita força de vontade e isso acaba contagiando a todos”, diz o pai, que também viu sua rotina mudar. “Hoje, faço serviços temporários no Japão”, conta ele, explicando que duas vezes por semana Melissa freqüenta aulas de canto.

“O que nos fortalece é o suporte que estamos recebendo da equipe”, destaca Milton, revelando que Suzuki Jun já compôs quatro canções especialmente para Melissa. “No momento, não temos pressa. Queremos o que for melhor para ela, independente de ela seguir ou não a carreira. O que tiver que ser será”, filosofa Milton Kuniyoshi, que não esquece de agredecer também a comunidade nikkei, “que sempre apoiou a carreira da Melissa”.

 

(Aldo Shiguti)

 

 

 

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

POLÍTICA: Para Kita, homenagem aos políticos serve... Na cerimônia em Homenagem aos Políticos Nikkeis do Estado de São Paulo, quem “roubou a cena” foi a Madrinha de Bateria da Escola de Samba Águia de Our...
RIO NIKKEI: Medalhista olímpica Yoshie Ueno aprimo... Yoshie Ueno, natural de Asahikawa, Japão, medalhista de bronze em Judô na Olimpíada de Londres 2012, visitou o Brasil entre 14 a 25 de junho de 2016. ...
KARAOKÊ: Com 130 inscritos, Blue Star realiza taik... É o que se pode afirmar desse 1º Nodojiman Taikai, um concurso sem karaokê, com música ao vivo realizado pela Banda Blue Star (maestro Robertinho Sugu...
SOCIAL: A União Paulista de Karaokê (UPK) realizou... PAULISTÃO – A União Paulista de Karaokê (UPK) realizou nos dias 6, 7 e 8 deste mês, em São Caetano do Sul, a 21ª edição do Concurso de Karaokê do Esta...

8 Comments

  1. linda e talentosa, desejo sucesso eterno para você

  2. Saudades de ti melissinha muito sucesso Melissa saude e tudo que tem direito você merece sempre foi muito esforçada educada e talentosa ainda quero um cd seu em 😉

  3. melissa vc me emociona a cada cancao que ouco sua cantando lindamente o nihongo arigato ne subarashi

  4. melissa,, aku sungguh merindukan mu, meskipun aku jauh berada di Indonesia

  5. Olá Melissa , Milena, Milton e Murilo !!
    Desejamos que tenha muito sucesso aí no Japão. Que Deus abençoe esta linda família sempre !!
    Um grande abraço,
    Michiko Miashiro & Familia.

  6. Olá Melissa, você canta bem em qualquer lugar do mundo e em qualquer idioma: quer seja português, japonês, inglês, italiano… etc. Boa sorte.

  7. Melissa, espero ansioso a sua apresentaçao na Escola Nikken Objetivo pois o seu canto emociona não so a mim e também a todos que gostam muito de você… obrigado.

  8. Sou fã da Melissa Kuniyoshi, mas acho que seu pai está errado, nem português e nem japonês, o que Melissa Kuniyoshi deveria cantar é em inglês e italiano. Pois o talento da voz dela e da capacidade de cantar em qualquer língua é do nível de cantores mundialmente famosos como Sarah Brightman e Pavarotti. Ficar no japonês e português ela nunca vai se destacar na musica conforme o nível dela, me desculpem ao lado japonês e brasileiro da família, mas é verdade.

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *