MÚSICA: No retorno ao Brasil, Yuko Maki faz ‘três em um’ e brilha novamente

A primeira vez que a cantora japonesa veio ao Brasil foi em 2015, de maneira “acidental”. “Estava em Okinawa, num evento do shibu da NAK local, quando a conheci pessoalmente. Como me simpatizei muito com ela, perguntei-lhe inocentemente sobre ir ao Brasil, no que aceitou de imediato. Fiquei perplexa. Liguei ao Brasil para consultar minha comissão e eles toparam. Foi assim”, explicou Júlia Kitagawa, presidente do INB (Instituto NAK do Brasil), lembrando que, na ocasião, a artista veio para celebrar os 120 Anos do Tratado de Amizade, Comércio e Navegação Brasil-Japão.

 

Yuko Maki faz ‘três em um’ e brilha novamente no Brasil. Foto: Shigue Ozono

 

“Empolgada com as duas sessões lotadas do grande auditório do Bunkyo, ela mostrou-se desejosa de retornar em 2016, no que também concordamos. Tão logo recebemos sua confirmação decidimos por realizar também um taikai com sessões de músicas apenas dela e tendo-a como jurada. Deu nisso. Tremendo sucesso. Não achou?”, concluiu Júlia.

 

Yuko Maki cantando com classificadas e com o público. Foto: Shigue Ozono

 

Concerto. Foto: Shigue Ozono

 

Assim, no dia 17 de dezembro, aconteceu o Maki Yuko Xmas Concert, desta feita no Centro Social Hakka do Brasil, com o auditório totalmente lotado; e, no dia 18, na Associação Shizuoka, Yuko Maki cantou e foi jurada no taikai NAK Bonen Kayo Sai & Maki Yuko no Uta Contest.

 

Mistuko Shibatoh, Julia Kitagawa, Yuko Maki e Kouichi Fujino. Foto: Shigue Ozono

 

Concerto. Foto: Shigue Ozono

 

O que tornou sua vinda “Três em Um” foi, dias depois, como convidada especial à comemoração do aniversário de Fumio Horii, proprietário do Paradise Golf Hotel e principal patrocinador do retorno dela ao Brasil, realizar, portanto, sua terceira apresentação.

 

Yuko Maki com Fumio Horii, Atsuko Kitayama, Keiko Fujise e Akihisa Kitagawa. Foto: Shigue Ozono

 

Grupo japonês. Foto: Shigue Ozono

 

Concerto. Foto: Shigue Ozono

 

À primeira, no Hakka, diferentemente do ano passado quando se apresentou sozinha e teve de se valer de um truque para trocar de kimono diante do público, dessa vez, para evitar isso trouxe coadjuvantes, como Atsuko Kitayama, cantora de samba e bossa nova, em português, e um grupo japonês de jazz. Mostrou toda sua versatilidade, inspirada na confessa referência artística, Misora Hibari, encantando o público, principalmente no momento em que desceu do palco e caminhou entre ele, cantando várias músicas conhecidas. De volta ao palco, levou o público ao delírio ao manifestar seu desejo de retornar ao Brasil.

 

 

 

Maki com Atsuko. Foto: Shigue Ozono

 

 

Interação com o publico. Foto: Shigue Ozono

 

Final da apresentação. Foto: Shigue Ozono

 

Sessão de autógrafos. Foto: Shigue Ozono

 

A artista com a grande campeã Seiko Ishii. Foto: Shigue Ozono

 

À segunda, no Shizuoka, foi a vez dos cantores de karaokê vê-la de perto quando cantou quatro músicas, porque teve de atender a bis da plateia. Em seguida, com a irmã-empresária, Mitsuko Shibatoh, o produtor da King Records, Kouichi Fujino, que as acompanhou ao Brasil, e mais Júlia Kitagawa, compôs o júri ao Grand Prix de suas músicas. A grande campeã foi Seiko Ishii. Às eliminatórias foram 87 cantores inscritos julgados por Tereza Kato, Kazuo Shikay, Yukihiro Sakai e Massakatsu Sato.

 

Ganhadoras por categoria. Foto: Shigue Ozono

 

 

Comissão. Foto: Shigue Ozono

 

O taikai normal, que teve como jurados Grupo 1, Youko Honda, Satie Akamine, Yuko Tashiro, Kazuyoshi Yasuda e Kazuo Ojima e, Grupo 2, Elsa Fuchimi, Fusako Hara, Luiz Miura e Yasuyuki Fukazawa, interrompido devido à cantora, prosseguiu após o Grand Prix e se encerrou no horário previsto porque, de comum acordo, os cantores subsequentes se apresentaram com apenas uma estrofe.

 

Yuko Maki durante apresentação no Shizuoka. Foto: Shigue Ozono

 

Maki em Foz do Iguaçu. Foto: Shigue Ozono

 

 

Como até o aniversário do empresário havia uns dias de folga, com a irmã, o produtor e Júlia Kitagawa, foi até Foz de Iguaçu e na volta ao hotel ainda participou de um torneio de golfe no mesmo, razões que justificam plenamente seu desejo de retornar ao Brasil.

 

Yuko Maki no Paradise, em Mogi das Cruzes. Foto: Shigue Ozono

 

Julia Kitagawa, Fumio Horiii e Akishisa Kitagawa. Foto: Shigue Ozono

 

Aniversário do Horii no Paradise. Foto: Shigue Ozono

 

Maki cantando com convidados no Paradise. Foto: Shigue Ozono

 

 

(Silvio Sano, especial para o Jornal Nippak)

 

SILVIO SANO

SILVIO SANO

é arquiteto, jornalista e escritor.

E-mail: silvio.sano@yahoo.com
www.nikkeypedia.org.br/index.php/Silvio_Sano
SILVIO SANO

Últimos posts por SILVIO SANO (exibir todos)

    Related Post

    CURITIBA: A.YOSHII LANÇA SEGUNDO EMPREENDIMENTO NA... Depois de inovar no conceito de show room único, a A.Yoshii Engenharia acaba de lançar o segundo empreendimento em Curitiba, o Maison Legend Ecoville....
    MARÍLIA: Beto Tukasan é eleito presidente da Assoc... Beto disse que uma de suas prioridades será manter o Undokai. Foto: divulgação José Roberto Tukasan, 53 anos, ou simplesmente Beto Tukasan, volta ...
    BEISEBOL: Brasil é surpreendido pela Argentina na ...   O XII Campeonato Sulamericano Adulto de Beisebol realizado em Santiago no Chile entre 6 seleções: Argentina, Brasil, Bolivia, Chile, Equador...
    RADIO TAISSÔ: Associações de São Miguel Paulista e... A Associação Rádio Taissô de São Miguel Paulista e a Associação Rádio Traissô de Pirituba, presididas por Antonio Matuura e Setsuko Ishimi, respectiva...

    Faça seu comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *