NIPPAK PESCA: Jigs, jumpings jigs, metal jigs, tube jigs!!!

 

Iscas direcionadas aos peixes de fundo, isto é, para aqueles que tem sua atividade no fundo de rios, lagos e mares também caíram no gosto do pescador esportivo.

Mauro Novalo

 

 

 

Aproveitando que na edição anterior falamos dos camarões artificiais, continuamos na mesma profundidade mas agora tratando de outras iscas.

Com a introdução das primeiras iscas artificiais, logo surgiu a necessidade de outras para justamente capturar os peixes que tem como seu habitat ficar mais próximo ao fundo das águas.

 

 

Não necessariamente estas iscas trabalham penteando o fundo, pois em vários casos o ataque pode acontecer ainda na caída da isca, ou quando ainda estamos soltando linha do carretel.

 

 

Claro que a grande parte dos ataques acontecem depois da isca tatear o fundo, recolhermos um pouco e, começarmos o jogo de trabalho + recolhimento (uma manivelada) até alcançarmos a zona de ataque das espécies. O trabalho neste caso é de ponta de vara e consiste em um ou mais toques levantando a ponta de vara. Vale lembrar que cada pescador tem o seu ritmo e técnica específica conforme sua experiência com estas iscas.

No mercado temos modelos de vara (jigueiras), de vários fabricantes, especialmente desenvolvidos para esta modalidade assim como linhas, com marcação em cores diferentes de 10 em 10m (pode variar conforme fabricante), para facilitar a memorização da profundidade onde os peixes estejam em atividade.

 

Lembrete: se a isca for trabalhar em grande profundidade é primordial utilizar de multifilamento (em comparação a linha monofilamento) pois além de possibilitar maior quantidade, também tem muito mais sensibilidade na ponta da linha, por justamente não apresentar a mesma elasticidade. E se for o caso, complete com líder de fluorocarbon dimensionado para a pescaria em questão.

 

 

Convencionou chamar de pesca vertical e é praticada em rios, mares, lagos, represas e pesque-pagues. Tem como principais iscas: jigs; jumping jigs; tube jigs, rubber jigs e metal jigs entre outros.

 

 

São iscas com peso incorporado ao anzol enfeitados ou não com penas e outros artigos para melhor imitar e dar movimento a mesma para atrair os predadores como os jigs e os seus variantes: jumping jigs  – inicialmente confeccionados em chumbo – atualmente são fabricados em diversos tipos de material e, levam também o nome de metal jigs mas o que interessa para nós é sua ação predominante que é no fundo. Predominante, pois dependendo do trabalho estes podem ser trabalhados na meia água e até na superfície. Tubes jigs são assim denominados pelo seu formato e trabalham também em profundidade.

Podem ser montados com garatéias, anzóis simples ou com support hooks e assist hooks, cuja utilidade é não permitir o enrosco dos anzóis neles mesmos (e claro nas estruturas no fundo) além de melhorar efetivamente as capturas pois ficam colocadas em locais estratégicos da isca. Anzóis já são fabricados só para atender melhor estas montagens.

 

Cores diferentes e principalmente os atuais com formatos desalinhados, ao serem tracionados apresentam movimentos erráticos parecem cair no gosto e curiosidade das espécies que as atacam sem pestanejar. Atualmente vários fabricantes nacionais e importadores abastecem o mercado com novidades todo o dia.

A pescaria vertical pode ser praticada nos rios, atrás de peixes que estejam comendo abaixo do alcance da isca de meia-água exemplo das corvinas, tucunarés, traíras, pintados e etc.

Às vezes numa pescaria com iscas de superfícies o tucunaré bate e erra o alvo, se você tiver outra vara já montada com jig e, lançar no mesmo local é grande a chance de capturar o exemplar.

 

Em água salgada é uma isca coringa, versátil e tem sua utilização para todas as espécies que habitam o fundo. Imprescindível ter na sua caixa de pesca em vários formatos, cores e peso.

Nos pesque-pagues também funcionam, principalmente em dias de grande atividade dos peixes, para pegar trairas, redondos, bagres e exemplares de carpas mais ao fundo ou então mesmo a meia água, tracionando um pouco mais rápido os jumpings jigs de pouco peso.

Não esquecer dos óculos de proteção, preferencialmente polarizados (cortam o reflexo dos raios solares na superfície dágua) e, usar roupas leves e confortáveis, boné ou chapéu e protetor solar. Hidratar sempre com muito líquido (água e isotônico) nestes dias que prometem ser de sol muito forte daqui para frente!

Ótimas pescarias!!!

 

 

 

NIPPAK PESCA
Texto:  Mauro Yoshiaki Novalo
Revisão: Aldo Shiguti
Publicidade
nippak@nippak.com.br
Tel.   (11) 3208-4863

 

 

Apoio:

MTK Fishing Adventure Outdoor    www.mtkbrasil.com.br      

Produtos Petersen    http://pescabrasil.net/boias.html

Moro e Deconto    www.morodeconto.com.br

Piscicultura Chang   www.pisciculturachang.com.br

Alkalis www.alkalis.com.br

Mustad www.mustad.com.br

 

 

 

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

SUMÔ: 55º Campeonato Brasileiro Masculino e 19º Ca... SUMÔ – No 55º Campeonato Brasileiro Masculino e 19º Campeonato Brasileiro Feminino, marcaram presença os vereadores George Hato e Ushitaro Kamia. A CB...
RIO 2016: ‘É como se tivéssemos conquistado uma me... Se é verdade que em tempos de crise as empresas devem apostar na criatividade, a Birdo Produções, estúdio de animação com sede em São Paulo, faz uma g...
TÊNIS DE MESA: Brasileiros participam de estágio n... Desde 1987 mesa-tenistas brasileiros iniciaram um intercâmbio com a empresa Butterfly no Japão.   A partir da esquerda: Jessica, Afonso, E...
AKIRA SAITO: 33° Campeonato Brasileiro de Karate-d... Acontece nos dias 19, 20 e 21 de maio de 2017, na cidade de Tubarão-SC, o 33° Campeonato Brasileiro de Karate-do Goju-ryu IKGA, que servirá de seletiv...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *